DOSSIÊ “SANDRA JATAHY
PESAVENTO: A HISTORIADORA E SUAS
INTERLOCUÇÕES”


- Apresentação do Dossiê “Sandra Jatahy

Pesavento: A Historiadora e Suas
Interlocuções”
Nádia Maria Weber Santos
Maria Luiza Martini
Miriam de Souza Rossini


- Sandra Jatahy Pesavento: Imagens,
Lembranças, Indícios
Chiara Vangelista


- A Imagem de Si no Retrato Fotografico Fin
de Siècle : De Paris para Porto Alegre
Jacques Leenhardt


- Entre Acácias e Ipês, Cores e Formas da
História Cultural
Heloisa Selma Fernandes Capel


- Uma Resenha para Sandra Jatahy Pesavento
Ricardo De Aguiar Pacheco


- Fragmentos Identitários: A Literatura como
Narrativa Sensível do Sul Profundo
Luis Fernando Beneduzi


- Uma História das Mulheres: Representações Femininas na Obra Os Sete Pecados Da Capital de Sandra Pesavento
Vanderlei Machado



ARTIGOS


- Olhares Sobre a
Polícia No Brasil: A Construção da Ordem Imperial numa Sociedade Mestiça
Francis Albert Cotta

- Watchmen E O Discurso Distópico do “Bem Maior”
Drª Níncia Cecília Ribas e
Borges Teixeira e  Wyllian Eduardo De Souza Correa


- A Iluminação Pública da Cidade da Parahyba:
Século XIX e Início do Século XX
Doralice Sátyro Maia, Henrique Elias Pessoa Gutierres e
Maria Simone Morais Soares


- As Ameaças à
Corporidade Estatal em Romeu e Julieta

Alexander Martins Vianna


- Os (Re)Posicionamentos Identitários e o Jogo
Ético-Político nos Quadrinhos Pasquinianos
Maria Isabel Borges


- A Juventude Operária Católica
Raimundo César De Olíveira Mattos

- A Cidade Decifrada: de Atenas a Bagdá – De Platão a Al-Farabi Reminiscências Platônicas e Farabianas em Matrix
Renatho Costa


- A Religiosidade Caipira: A Festa do Divino em Piracicaba
Cibélia Renata da Silva Pires


- Música e Vestimenta na Pintura de Vasos Gregos Antigos
Pedro Luis Machado Sanches


- Os Raptos Consentidos e o Cotidiano das Cidades
- O Papel das Festas – Na Paraíba do Período
Imperial.
Rosemere Olimpio De Santana


- Sons da Contracultura: Raul Seixas entre Cidades e Sociedades Alternativas
Emília Saraiva Nery


- Relações Entre o Patrimônio Material e Imaterial: O Caso do Cemitério Japonês
Rodrigo Modesto Nascimento



RESENHAS


- Em Busca da Definição: Mas Afinal... O Que é Mesmo Documentário? De Fernão Pessoa Ramos
Rodrigo Francisco Dias

- Dicionário Crítico Nelson Werneck Sodré: O Balanço de uma Obra e das Fissuras da Sociedade Brasileira do Século XX
Julierme Sebastião Morais Souza




 
 

 

OLHARES SOBRE A POLÍCIA NO BRASIL:
A CONSTRUÇÃO DA ORDEM IMPERIAL NUMA
SOCIEDADE MESTIÇA

Francis Albert Cotta

RESUMO: Ao correr os olhos nas aquarelas do alemão Johann Moritz Rugendas e do francês Jean- Baptiste Debret é possível identificar ações da polícia no cotidiano brasileiro, e mais especificamente do Rio de Janeiro, nas primeiras décadas do século XIX. A iconografia, em diálogo com outras fontes, lança luz sobre as estratégias de institucionalização da polícia numa sociedade composta, em sua maioria, por negros e mestiços. Uma das grandes contradições de uma cidade que pretendia ter polícia era a tarefa de manter a manutenção da escravidão. Assim, a necessidade de manter a ordem e o controle através de mecanismos repressivos impediu o surgimento de instituições responsáveis pela polícia enquanto guardiã dos direitos do homem e do cidadão. Entretanto, na esfera cotidiana observam-se acomodações e “desvios de conduta” de militares responsáveis pela polícia que interagiam com as comunidades locais, formadas por negros e mestiços.

PALAVRAS-CHAVE: Polícia e Sociedade – História Militar – Brasil

ABSTRACT: As we look at the watercolors by Johann Moritz Rugendas and Jean-Baptiste Debret, we can identify activities of the police in Brazilian daylife, specially in Rio de Janeiro, during the first decades of 19th century. The images, along with other historical sources, shad a light over the strategies of the police in a society which was formed, mostly, by black people and “mestizos/mulattoes”. One of the biggest contradictions of a city that intended to have a police corps was the task it had to perform: to help to maintain the slavery system. Therefore, the need of maintaining order and control through violent means prevented the development / rising of institutions that would guarantee the rights of men and citizens. Although, in everyday life we can observe "adjustments" and “behavior deviance” of police officers, responsible for the police, which got along with the local communities, formed by black people and “mestizos/mulattoes” (multiracial / multiethnic people).

KEYWORDS: Police and Society – Military history – Brazil