Fênix

 

MenuMaker
 

VIVER É UMA TAREFA URGENTE! A ESCRITA DE SI NOS QUADRINHOS DE HENFIL

Ciro Lins Silva
Universidade do Norte do Paraná - UNOPAR
cirolinssilva@yahoo.com.br

Maria da Conceição Francisca Pires
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro-UNIRIO
conceicao.pires@uol.com.br

RESUMO: Pretendemos com esse artigo analisar a vida do chargista Henrique de Souza Filho, o Henfil, a partir dos personagens os Fradins. Para tal análise, empregaremos a categoria “escrita de si”, criada por Foucault, que propõe investigar os mecanismos desenvolvidos pelos sujeitos para a criação de espaços autônomos de subjetividade. Diferente das pesquisas históricas já desenvolvidas com essa perspectiva analítica, não centramos nossas atenções em cartas ou diários, mas em sua produção gráfica. Argumentamos que os personagens Fradins são parte do processo de construção de si do autor, pois entendemos que foi através desses personagens que o autor deu vida e voz aos questionamentos cultivados durante a infância e juventude, expondo enfaticamente os limites de seu contexto histórico e a dualidade que carregava em si mesmo, entre a sua criação religiosa conservadora e a necessidade de se forjar enquanto um sujeito livre e autônomo. Um sujeito de si, para si e em diálogo com o mundo.

PALAVRAS-CHAVE: Henfil – Escrita de si – Quadrinhos - Humor

LIVING IS AN URGENT TASK! SELF-WRITING IN THE HENFIL COMICS

ABSTRACT: Our intention in this article is to investigate the life of the cartoonist Henrique de Souza Filho and the Henfil, from the characters of the Mad monk. For this analysis, we will use the category of "self-writing", created by Foucault, which proposes to investigate the mechanisms developed by the subjects for the creation of autonomous spaces of subjectivity. Unlike the historical research already developed with this analytical perspective, we do not focus our attention on letters or diaries, but on their graphic production. We argue that the Mad Monk characters are a part of the process of self-construction of the author. We understand that it was through these characters that the author gave life and voice to the questions raised during childhood and youth, exposing emphatically the limits of their historical context and duality which he carried within himself, between his conservative religious creation and the need to forge himself as a free and autonomous subject. A subject of himself, for himself and in dialogue with the world.

KEYWORDS:
Henfil – self-writing – Comics – Humor

 

abrir  download

 
Fênix - Revista de História e Estudos Culturais | ISSN: 1807-6971 | Todos os direitos reservados.