A GUERRA SANGUINOLENTA AOS ÍNDIOS NO SERTÃO COLONIAL

  • Núbia Braga Ribeiro
  • Universidade de São Paulo – USP-SP
  • n8bia@yahoo.com.br

RESUMO: Este artigo reflete acerca da concepção de guerra contra os índios no sertão da América Portuguesa, principalmente entre as décadas de 1730 e 1740. Toma-se como referência para a análise a narrativa de Luiz de Nascimentos e Souza, registrada em 7 de abril de 1788, intitulada “Rellação da sanguinolenta Guerra” aos índios Paiaguá no ano de 1733. Também, para a análise da narrativa busca-se dialogar com as fontes que revelam a situação de outros grupos indígenas no período e com estudiosos da história indígena que tratam da concepção de guerra.

PALAVRAS-CHAVE: Índios – Guerra  Colônia

ALMEIDA, Rita Heloisa de. O Diretório dos Índios. Um projeto de civilização no Brasil do século XVIII. Brasília: Unb, 1997.

AMANTINO, Marcia. O mundo das feras: os moradores do sertão oeste de Minas Gerais – século XVIII. 2001. Tese (Doutorado em História). Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais. Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, 2001.

BARRETO, Domingos Álvares Branco Muniz. Capitão de Infantaria do Regimento de Extremos. Plano sobre a civilização dos índios do Brasil e principalmente para a capitania da Bahia. Biblioteca Nacional de Lisboa. Códice 10624 – FR 1239.

CASTRO, Eduardo Batalha Viveiros de. Curt-Nimuendaju: 104 mitos indígenas nunca publicados. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, Imprinta. SPHAN/Fundação Nacional Pró-Memória, 1986, n. 21.

COSTA, Maria de Fátima. História de um país inexistente: o Pantanal entre os séculos XVI e XVIII. São Paulo: Estação Liberdade/ Kosmos, 1999.

CUNHA, Manuela Carneiro da. (Org.). Legislação indigenista no século XIX. São Paulo: Edusp, 1992.

CUNHA, Manuela Carneiro da. (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras/ Fapesp/SMC, 1992.

DOMINGUES, Ângela. Ameríndios no norte do Brasil na segunda metade do século XVIII. As contradições da liberdade. Revista da SBPH, Curitiba, n. 12, p.17-30, 1997.

FERNANDES, Florestan. A função social da guerra na sociedade tupinambá. São Paulo, FFLCH, USP-SP, 1951.

HOLANDA, Sergio Buarque de. Caminhos e Fronteiras. Rio de Janeiro: José Olympio, 1957. (Edição ilustrada – Coleção Documentos Brasileiros).

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Metais e pedras preciosas. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de. História geral da civilização brasileira. São Paulo: Difel, 1973, p.259-310. vol. 2.

MADER, Maria Elisa Noronha de Sá. O vazio: o sertão imaginário da colônia nos séculos XVI e XVII. 1995. Dissertação (Mestrado em História). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro . Rio de Janeiro, 1995.

MATTOS, Izabel Missagia de. Civilização e Revolta. Os Botocudos e a catequese na Província de Minas. São Paulo: Edusc, 2004.

MONTEIRO, John Manuel. Negros da terra; índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Cia. das Letras, 1994.

MONTEIRO, John. O Escravo Índio, esse Desconhecido. In: GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. (Org.). Índios do Brasil. São Paulo: Global, 1998.

NOVAIS, Fernando A. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). 8ed. São Paulo: Hucitec, 2005.

PARAÍSO, Maria Hilda. Os botocudos e sua trajetória histórica. In: CUNHA, Manuela Carneiro da (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras/FAPESP/SMC, 1992.

PAULA, João Antônio de. O Prometeu do sertão: economia e sociedade da capitania das Minas dos Matos Gerais. 1988. Tese (Doutorado em História). Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988.

PERRONE-MOISÉS, Beatriz. Índios livres e índios escravos: os princípios da legislação indigenista do período colonial (séculos XVI a XVIII). In: CUNHA, Manuela C. da. (Org.). História dos índios no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras/ Fapesp/SMC,1992.

PUNTONI, Pedro. A Guerra dos Bárbaros – povos indígenas e a colonização do sertão nordeste do Brasil, 1650-1720. São Paulo: Hucitec/Edusp, 2002.

PRADO JÚNIOR, Caio. História econômica do Brasil. 35 ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

RESENDE, Maria Leônia Chaves. Gentios Brasílicos – Índios Coloniais em Minas Setecentista. 2003. Tese (Doutorado em História Social).  Universidade Estadual de Campinas. 2003.

RIBEIRO, Núbia Braga. Os povos indígenas e os sertões das Minas do ouro no século XVIII. 2008. Tese (Doutorado em História Social). Universidade de São Paulo – SP, 2008.

RIBEIRO, Núbia Braga. Lutas e focos de resistências indígenas no sertão colonial (século XVIII). In: XV Encontro Regional de História da ANPUH-MG, São João Del Rei, 2006. (CD-ROM, anais eletrônicos).