A REPRESENTAÇÃO DO INTELECTUAL NA OBRA DE LIMA BARRETO

  • Jomar Ricardo da Silva
  • Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
  • jomarricardosilva@hotmail
  • Maria Arisnete Camara de Morais
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
  • arisnete@terra.com.br

RESUMO: O presente trabalho intenciona analisar as contribuições de Lima Barreto para a construção da representação de intelectual na obra Triste fim de Policarpo Quaresma. Para realizarmos uma interpretação dos aspectos propostos, utilizamos o conceito de representação a partir das concepções teóricas de Roger Chartier. O procedimento para se chegar aos objetivos determinados obedeceu ao método indiciário, proposto por Carl Ginzburg, que desde a segunda metade do século XIX estava posto como um paradigma epistemológico no âmbito das ciências humanas. Lima Barreto possuía uma concepção de intelectual condizente com a realidade vivenciada, marcada pelas desigualdades econômicas, que em sua produção literária aporta em uma crítica mordaz às classes dominantes e uma contundente denúncia contra as injustiças sociais.

PALAVRAS-CHAVE: História – Literatura – Representação – Intelectual

BARBOSA, Francisco de Assis. A vida de Lima Barreto (1881-1922). 8. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2002.

BARRETO, Lima. Toda Crônica. 1890-1919. Rio de Janeiro: Agir, 2004, v. I.

BARRETO, Lima. Triste fim de Policarpo Quaresma. Romance. São Paulo: Brasiliense, 1956.

BOSI, Alfredo. O pré-modernismo. São Paulo: Cultrix, 1983. (A literatura Brasileira Vol.5).

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Difel. (Col. Memória e Sociedade).

COELHO, Marcelo. Engajamento e Traição. In: NOVAES, Adauto. (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais: morfologia e história. Trad. Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GUILLEMIN, HENRI. Prefácio. In:  ZOLA, Émile. J’accuse: a verdade em marcha. Tradução Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2010, pp.69-83.

LOPES, Eliane Marta Teixeira. Pensar categorias em História da educação e Gênero. Projeto História. São Paulo: 1994, pp.19-29.

MICELI, Sergio. Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. 2. ed. Rev.e Ampl. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

ROUSSEAU, Jean Jacques. O contrato social. São Paulo: Nova Cultural 1991.

ZOLA, Émile. J’accuse…! In: ZOLA, Émile. J’accuse: a verdade  em marcha. Tradução Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2010, pp.69-83.