MORAL E POLÍTICA NA ALTA MODERNIDADE: UMA CARTOGRAFIA DA FRAGMENTAÇÃO

  • Alexandre Fernandes Corrêa
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • alexfcorrea@macae.ufrj.br

RESUMO: Reflexão sobre as dominantes socioculturais na estrutura da subjetividade contemporânea. Visitando autores clássicos e modernos da cultura sociológica, propomos uma reflexão sobre as possibilidades de novos reposicionamentos da teoria social para a compreensão da formação subjetiva na atualidade, com o foco de análise na estrutura moral e política.

PALAVRAS-CHAVE: Subjetividade – Moral – Política – Cultura Sociológica 

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 1997.

BAUMAN, Zygmunt. Ética pós-moderna. São Paulo: Paulus, 1997.

BARTHES, Roland. Aula. São Paulo: Cultrix, 2007.

BENJAMIN, Walter. O capitalismo como religião. São Paulo: Boitempo, 2013.

BIRMAN, Joel. Mal-estar na atualidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

BIRMAN, Joel. Cadernos sobre o mal. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

CASTORIADIS, C. A instituição imaginária da sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982. E a obra do mesmo autor As encruzilhadas do labirinto 2. R: Paz e Terra, 1987.

CONNOR, Steven. Cultura Pós-Moderna. São Paulo: Loyola, 1996.

CORRÊA, Alexandre Fernandes. Identificações cristalizadas. Psicanálise & Barroco em revista v.11, n.2: 07-17, Dez. 2013.

DURKHEIM, Émile. Da divisão do trabalho social. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

JAMESON, Fredric. A cultura do dinheiro. Petrópolis: Vozes, 2001.

LIPOVETSKY, Gilles. A era do vazio. Lisboa: Relógio D’água. 1989.

LIPOVETSKY, Gilles. A sociedade pós-moralista. Barueri: Manole, 2005.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre o dom. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

RODRIGUES, José C. Antropologia do poder. Rio de Janeiro: Terra Nova. 1992.

ROUANET, Sérgio Paulo. O espectador noturno. São Paulo: Cia das Letras, 1988.

SANTOS, Laymert Garcia dos. Politizar as novas tecnologias. São Paulo: 34, 2003.

ŽIŽEK, Slavoj. Menos que nada. São Paulo: Boitempo Editorial, 2013.

WALLERSTEIN, Immanuel. O fim do mundo como o concebemos. Rio de Janeiro: Revan, 2002.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar. 1979.