O ESTRUTURALISMO NA ARQUEOLOGIA DO SABER: EPISTEME COMO ESTRUTURA – HISTÓRICA

  • Pedro Ragusa
  • Universidade Estadual Paulista - UNESP
  • pedroragusa@yahoo.com.br

RESUMO: O objetivo deste artigo é mostrar como a pesquisa arqueológica de Michel Foucault foi desenvolvida a partir de um interesse em mostrar como se constituíram historicamente as relações discursivas sobre os saberes através de uma perspectiva estrutural. Assim, pode-se dizer que existiu um estilo de análise estrutural que serviu de aporte para a prática de suas histórias arqueológicas nos anos sessenta. Tendo em vista que Michel Foucault, desenvolveu sua pesquisa arqueológica nos anos sessenta pela introdução de análise Estruturais no domínio da história das ciências pôde realizar um conjunto de descrições histórico-estruturais sobre as relações discursivas entre os saberes em diferentes períodos históricos, chamados por ele de Episteme.

PALAVRAS-CHAVE: Metodologia – Arqueologia – Estruturalismo – Episteme

DELEUZE, Gilles. Em que se pode Reconhecer o Estruturalismo? In: CHATELET, François. História da Filosofia: Idéias e Doutrinas, volume 8, O Século XX. São Paulo. Zahar Editora. 1974.

DOSSE, François. História do Estruturalismo. O campo do Signo. Bauru. Editora. Edusc. 2007. DREYFUS, Hubert L. RABINOW, Paul. Michel Foucault: uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. 2° Edição. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2010.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro. Editora: Forense Universitária. 2007.

FOUCAULT, Michel. A Filosofia Estruturalista Permite Diagnosticar o que É “a Atualidade”. In: Ditos e Escritos, volume II. Arqueologia das Ciências, e História dos Sistemas de Pensamento. Organizado por Manoel Barros da Motta. Rio de Janeiro. Forense Universitária. 1° Edição. 2011.

FOUCAULT, Michel. As Palavras e as Coisas. 9° Edição. São Paulo. Editora: Martins Fontes. 2007.

FOUCAULT, Michel. Entrevista com Madeleine Chapsal. In: Ditos e Escritos, volume VII. Arte, Epistemologia, Filosofia e História da Medicina. Organizado por Manoel Barros da Motta. Rio de Janeiro. Forense Universitária. 1° Edição. 2011.

GREGOLIM. Maria do Rosário. Foucault e Pêcheux na análise do discurso – diálogos e duelos. São Carlos. Editora: Claraluz. 2006.

MADARASZ, Norman R.; JAQUET, Gabriela M.; FÁVERO, Daniela N.; CENTENARO, Natasha (Orgs.). Foucault: leituras acontecimentais. [recurso eletrônico] / Norman R. Madarasz, Gabriela M. Jaquet, Daniela N. Fávero, Natasha Centenaro (Orgs.) – Porto Alegre, RS: Editora: Fi, 2016.

REVEL. Judith. Foucault. Un Pensamento de lo descontínuo. Buenos Aires. Editora: Amorrotu. 2010.

VEYNE. Paul. Foucault, seu Pensamento, sua Pessoa. Rio de Janeiro. Editora. Civilização Brasileira. 2011.