TOCANDO DESAFINADO”: CONSIDERAÇÕES SOBRE AS CARTAS FILOSÓFICAS
E A EXPERIÊNCIA DE VOLTAIRE COMO EXILADO

  • Caio Moraes Ferreira
  • Pontifícia Universidade Católica – PUC-Rio
  • caiomferreira@gmail.com

RESUMO: O presente artigo propõe uma interpretação particular das Cartas Filosóficas, texto de Voltaire publicado em 1734 e aqui visto sob o prisma de sua experiência enquanto exilado. Ainda que nossa intenção não seja atribuir ao texto e ao seu autor o peso de intelectuais como Joyce e Victor Hugo (que encontram na escrita a consolidação de um novo compromisso e de uma nova identidade frente ao trauma do desterramento), o fato é que a experiência de Voltaire na Inglaterra parece ter alterado significativamente não só sua visão de mundo, mas os mecanismos utilizados para expressá-la em texto. Nesse sentido, a publicação das Cartas causou um furor até então inédito no contexto da França setecentista, apresentando uma acidez e uma forma de crítica que tornariam Voltaire famoso ao longo da segunda metade do séc. XVIII e consolidariam seu lugar no cânone dos grandes polemistas de língua francesa. A experiência do exílio, portanto, se não definidora de sua poética, certamente lhe concede uma inteligibilidade peculiar e frequentemente ignorada pela historiografia interessada nela.

PALAVRAS-CHAVE: Voltaire – Exílio – Narrativa – Cartas Filosóficas – Século XVIII

AUERBACH, Eric. Mímesis: representações da realidade na literatura ocidental. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BONNO, Gabriel. La Culture et la civilization britanniques devant l’opinion française, de la paix d’Utrecht aux Lettres philosophiques. Filadélfia: American Philosophical Society, 1948.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros. São Paulo: Cia. das Letras, 2007.

LEPAPE, Pierre. Voltaire: o nascimento dos intelectuais no Século das Luzes. Rio de Janeiro: J. Zahar, 1995.

LOPES, Marco Antônio. Voltaire Historiador: uma introdução ao pensamento histórico na época do Iluminismo. Campinas: Papirus, 2001.

LOWITH, Karl. O sentido da História. Lisboa: Edições 70, 1991.

MORA, Ferrater. Visões da História. Porto: RÉS, 1962.

QUEIROZ, Maria José de. Os males da ausência, ou a literatura do exílio. Rio de Janeiro: Topbooks, 1998.

STAROBINSKI, Jean. As máscaras da civilização. São Paulo: Cia. das Letras, 2001.

STENGER, Gerhardt. Presentation. In: VOLTAIRE. Lettres Philosophiques. Paris: Flammarion, 2006.

VOLTAIRE. Lettres Philosophiques. Paris: Flammarion, 2006.

VOLTAIRE. Le Sciècle de Louis XIV. In: Oeuvres historiques. Paris: Gallimard, 1957.

VOLTAIRE. Micromegas. In: Romans et contes. Paris: Flammarion, 1966.