UM MONUMENTO VASTO E DURADOURO: A REPUTAÇÃO LITERÁRIA DE WILLIAM FAULKNER

  • Jay Watson
  • Universidade do Mississippi – Ole Miss
  • jwatson@olemiss.edu

RESUMO: O presente texto visa introduzir o leitor às problemáticas específicas relacionadas à assunção e manutenção de uma reputação literária referente ao romancista norte-americano William Faulkner. Para tanto, identifica-se os diferentes momentos que marcaram a ascensão de uma reputação literária que permanece em uma posição de prestígio até o presente. Parte-se da constatação da obscuridade à qual o autor foi relegado durante grande parte de sua carreira artística, passando pelo período dos anos 1950 e 1960 no qual a obra do autor foi coadunada à defesa da Guerra Fria como manutenção dos valores norteamericanos, chegando ao momento no qual a obra do autor é utilizada exatamente como uma crítica determinada e penetrante contra o American Way of Life.

PALAVRAS-CHAVE: William Faulkner – História Literária – Recepção Crítica

BARBOSA, Francisco de Assis. A vida de Lima Barreto (1881-1922). 8. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2002.

BARRETO, Lima. Toda Crônica. 1890-1919. Rio de Janeiro: Agir, 2004, v. I.

BARRETO, Lima. Triste fim de Policarpo Quaresma. Romance. São Paulo: Brasiliense, 1956.

BOSI, Alfredo. O pré-modernismo. São Paulo: Cultrix, 1983. (A literatura Brasileira Vol.5).

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Difel. (Col. Memória e Sociedade).

COELHO, Marcelo. Engajamento e Traição. In: NOVAES, Adauto. (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

COSTA, Emília Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais: morfologia e história. Trad. Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GUILLEMIN, HENRI. Prefácio. In:  ZOLA, Émile. J’accuse: a verdade em marcha. Tradução Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2010, pp.69-83.

LOPES, Eliane Marta Teixeira. Pensar categorias em História da educação e Gênero. Projeto História. São Paulo: 1994, pp.19-29.

MICELI, Sergio. Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. 2. ed. Rev.e Ampl. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

ROUSSEAU, Jean Jacques. O contrato social. São Paulo: Nova Cultural 1991.

ZOLA, Émile. J’accuse…! In: ZOLA, Émile. J’accuse: a verdade  em marcha. Tradução Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2010, pp.69-83.