UMA REFLEXÃO SOBRE BIOGRAFIA E SUBJETIVIDADE NA HISTÓRIA

  • Carlo Romani
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO
  • carlo.romani@unirio.br

RESUMO: Este ensaio busca refletir sobre o uso da biografia como forma de construção da narrativa histórica e discutir o estatuto da biografia no âmbito da historiografia. Para isso, empreendemos uma reflexão sobre a produção da biografia do italiano Oreste Ristori, iniciada como um estudo acadêmico das formas internacionalistas de organização e difusão do movimento anarquista entre os séculos XIX e XX. A partir dessa experiência pessoal na escrita de uma biografia, discutem-se as relações entre a biografia, a história e a historiografia: os diferentes usos das biografias na história, as formas de narratividade, a relação entre o particular e o geral, a preponderância da subjetividade e o indivíduo elevado à condição de categoria histórica. São analisadas as diferentes perspectivas sobre esse gênero literário e discutem-se questões específicas do método de pesquisa voltado para a escrita da biografia.

PALAVRAS-CHAVE: Biografia – subjetividade – indivíduo – cultura libertária

ADDOR Carlos Augusto. Um homem vale um homem. Memória, história e anarquismo na obra de Edgar Rodrigues. Rio de Janeiro: Achiamé, 2012.

BARCKHAUSEN-CANALE, Christiane. No rastro de Tina Modotti. São Paulo: Alfa-Ômega, 1989.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In FERREIRA, Marieta; AMADO, Janaína (org.). Usos e abusos da história oral. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 1998, p. 183-192. 

CASTAÑEDA, Jorge. Che Guevara: a vida em vermelho. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

DAVIS, Natalie Zemon. O retorno de Martin Guerre. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

DEBENEDETTI, Giacomo. Commemorazione provvisoria del personaggio – uomo. In: DEBENEDETTI, Giacomo. Il personaggio uomo. L’uomo di fronte alle forme del destino nei grandi romanzi del Novecento. Milão: Garzanti Libri, 1998.

DELEUZE, Gilles. Controle e devir. In Conversações. São Paulo; Ed. 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATARI, Felix. Mil platôs. vol. 1. São Paulo: Ed. 34, 1995.

DIAS, Everardo. História das lutas sociais no Brasil. São Paulo: Edaglit, 1962.

DUARTE, Regina Horta. Lógica histórica, sujeito e criação: temas de pesquisa na história do Brasil, século XIX e XX. História da historiografia, UFOP (5) 2010.

DUARTE, Regina Horta. A imagem rebelde a trajetória libertária de Avelino Fóscolo. Campinas; Pontes, 1991.

DUBY, Georges. Guilherme Marechal. Rio de Janeiro: Graal, 1988, p. 211.

DULLES, John. W. Foster. Anarquistas e comunistas no Brasil (1900-1935). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1977.

ENZENSBERGER, Hans Magnus. O curto verão da anarquia. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

FERRAROTTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. Sociologia – Problemas e Práticas, CIES-IUL, Lisboa, 1991.

FERRAROTTI, Franco. Storia e storie di vita. Roma: Laterza, 1981.

FOUCAULT, Michel. Eu, Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão… 3a. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

GATTAI, Zélia. Anarquistas graças a Deus. Rio de Janeiro: Record, 1996.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 

LEVI, Giovanni. Les usages de la biografie, Annales ESC, nov.-dez.1989, nº. 6, p. 1325-1336.

LIMA, Henrique Spada. A micro-história italiana: escalas, indícios e singularidades. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

MAFFEI, Eduardo. A greve. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

MONTEIRO, Fabrício Pinto. Anarquismos e formas de subjetivação nas escritas da História. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal de Uberlândia, 2014.

PASSOS, Mateus Yuri. De personagens, partículas e destinos: o ensaísmo de Giacomo Debenedetti, Remate de Males, Campinas-SP (31.1-2) p. 227-240, jan.-dez. 2011.

PORTELLI, Alessandro. Memória e acontecimento. A morte de Luigi Trastulli. In: CARDINA, Miguel e CORDOVIL, Bruno (org.). A morte de Luigi Trastulli e outros ensaios. Lisboa: Unipop, 2014.

RAGO, Margareth. Entre a história e a liberdade Luce Fabbri e o anarquismo contemporâneo. São Paulo: Unesp, 2001.

RODRIGUES, Edgar. Os Companheiros. Vol. 4. Florianópolis: Insular, 1997.

RODRIGUES, Edgar. Os anarquistas: trabalhadores italianos no Brasil. São Paulo: Global, 1984.

ROMANI, Carlo. Oreste Ristori. Pisa: BFS, (2014 no prelo). A edição original: ROMANI, Carlo. Oreste Ristori, Uma aventura anarquista. São Paulo: Annablume, 2002. 308 p.

ROMANO, Sergio. Considerazioni sulla biografia storica, Storia della storiografia (3) 1983.

SAMIS, Alexandre. Minha pátria é o mundo inteiro. Neno Vasco, o anarquismo e o sindicalismo revolucionário em dois mundos. Lisboa: Letra Livre, 2009.

SANTOS, Boaventura de Souza. Um discurso sobre as Ciências na transição para uma ciência pós-moderna. Estudos Avançados, v. 2 nº. 2, São Paulo, IEA/USP, 1988.

SCHMIDT, Benito Bisso. Um socialista no Rio Grande do Sul: Antônio Guedes Coutinho. Porto Alegre: UFRS, 2000. 180 p.

SVEVO, Italo. A consciência de Zeno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

VALOTA, Bianca. Storia e biografia. Storia della storiografia (1) 1982.