Vol. 14 Ano XIV nº 2 - Julho - Dezembro de 2017

  • Editorial
  • Artigos
  • Resenha

MAIS DE QUATRO MILHÕES (4.000.000) LEITORES!

É com imensa satisfação que lançamos mais um número da Fênix – Revista de História e Estudos Culturais (Volume 14, Ano XIV, Número 2 – Agosto/Dezembro – 2017).

Nesse momento, temos novamente que expressar os nossos sinceros agradecimentos e a nossa gratidão a todos(as) que se envolveram, com desprendimento e coragem, na efetividade desta revista. Muito do que foi feito, desde o mês de dezembro de 2004, em prol da melhoria, expansão e diversificação deste periódico científico, deveu-se ao envolvimento da Secretaria Executiva, dos Conselhos Editorial e Consultivo, bem como de nosso Webmaster. Ao lado disso, devemos, com muita alegria, agradecer a todos aqueles que enviaram seus artigos, pois, fazendo isso, contribuíram para que Fênix – Revista de História e Estudos Culturais pudesse se consolidar, ao longo dos últimos treze (13) anos. Por fim, é fundamental registrar uma especial manifestação de agradecimento aos(às) nossos(as) leitores(as): sem eles(as), nada disso teria sido possível. Foi graças ao interesse e ao apoio deles(as) que esse projeto editorial obteve acolhida tão positiva.

O site www.revistafenix.pro.br entrou no ar em dezembro de 2004 com o objetivo de trazer ao público leitor uma publicação que se caracterizasse pela agilidade, universalidade e gratuidade. Essa preocupação, porém, não encerrava as expectativas depositadas na sua criação. Pelo contrário, o grande propósito era tornar acessível uma publicação capaz de incentivar a interlocução acadêmica e a ampla divulgação de pesquisas instigantes e de alto nível, procurando traduzir a dinâmica e a diversidade dos diálogos interdisciplinares da pesquisa histórica e dos Estudos Culturais.

Os resultados positivos obtidos com esse projeto, considerando também a atual edição, materializam-se na publicação de CEM (100) RESENHAS QUINHENTOS E OIENTA E DOIS (582) ARTIGOS, oriundos de diferentes estados: Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Pernambuco, Piauí, Paraíba, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Distrito Federal.

Ademais, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais acolheu VINTE E UM (21) DOSSIÊS, a saber: Chico Buarque & Vianinha: arte e política no Brasil Contemporâneo (organizado pela Editoria), História Oral (organização de Paulo Roberto de Almeida), Homenagem a Jorge Andrade – 50 anos d’A Moratória: Encruzilhadas da Literatura e da História (organização de Diógenes Maciel), Cinema-História (organização de Sheila Schvarzman), Teoria da História (organização de Pedro Spinola Pereira Caldas), História e Visualidades (organização de Alcides Freire Ramos), Teorias do Espetáculo e da Recepção (organização de Robson Camargo), Mundo Romano (organização de Ana Teresa Marques Gonçalves), Estudos Literários (organizado pela Editoria), História da Ciência (organização de Antonio Augusto Passos Videira), História Cultural & Multidisciplinaridade (organizado por Sandra Pesavento, Mônica Pimenta Velloso e Antonio Herculano) Sandra Jatahy Pesavento: a Historiadora e suas Interlocuções (organizado por Nádia Maria Weber Santos, Maria Luiza Martini e Miriam de Souza Rossini), Jogos Teatrais no Brasil: 30 Anos (organizado por Ingrid Dormien Koudela e Robson Corrêa de Camargo), O Tapete Voador – Teorias do Espetáculo e da Recepção (organizado por Marcus Mota e Robson Corrêa de Camargo), Tempo e História (organizado por André Fabiano Voigt), Histórias Visuais: Experiências de Pesquisa entre História e Arte (organizado por Maria Elizia Borges e Heloisa Selma Fernandes Capel), História e Saúde (organizado por Iranilson Buriti de Oliveira), Encontros entre Brasil e Itália: Intercâmbios Acadêmicos [organizado por Rodrigo de Freitas Costa e Fulvia Zega (Università degli Studi di Genova)],História e Literatura abordagens e diálogos (organizado por Euclides Antunes de Medeiros e Olivia Macedo Miranda Cormineiro), Dossiê Cartas (organizado por Francisco Alcides do Nascimento e Frederico Osanam Amorim Lima) e Escola sem Partido (organizado por Nivaldo Alexandre de Freitas e Merilin Baldan).

Vale salientar que, ao longo desse período, Fênix – Revista de História e Estudos Culturais deu passos decisivos para o seu amadurecimento e aceitação no meio acadêmico. Como comprovação disso, merece destaque: o aumento considerável da remessa de artigos, a predominância da colaboração de doutores e o recebimento de artigos internacionais. Acrescente-se como indicador importante para a avaliação das atividades desenvolvidas, nesses últimos anos, o número de visitas ao site www.revistafenix.pro.br e de Downloads dos arquivos. Em outros termos: até o momento, Fênix – Revista de História e Estudos Culturais recebeu a prestigiosa atenção de MAIS DE QUATRO MILHÕES  (4.000.000) LEITORES, assim distribuídos: 70% dos acessos originam-se do Brasil, e os 30% restantes são internacionais (Portugal, EUA, México, França, Itália, Espanha, Alemanha, Suécia, Inglaterra, entre outros).Para melhorar ainda mais, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais, desde o início de 2013, por decisão de seus editores, passou a lançar seus números de seis em seis meses. Essa mudança, longe de apontar para um estreitamento do espaço utilizado para a divulgação de artigos e resenhas, tem permitido a otimização dos recursos humanos e materiais disponíveis para o cumprimento de todas as etapas de trabalho envolvidas na edição de uma revista científica.

Frente a isso, é motivo de muita alegria poder publicar neste número DEZOITO (18) excelentes ARTIGOS na SEÇÃO LIVRE, cujos autores(as) são: Andréia Márcia de Castro Galvão, Rosangela Patriota Ramos, Paulo Ricardo Kralik Angelini, Fernanda Pacheco de Campos Brozoski, Marcelo de Araújo, Ane Luíse Silva Mecenas Santos, Amailton Magno Azevedo, Beatriz dos Santos de Oliveira Feitosa, Cristiano Pinheiro de Paula Couto, Leonardo Dallacque de Carvalho, Ricardo de Aguiar Pacheco e Herika Paes Rodrigues Viana, Pedro Ragusa, Mauro Augusto dos Santos e  Islane Archanjo Rocha, Leonara Lacerda Delfino, Sérgio Sezino Douets Vasconcelos e Luiz Claudio Barroca da Silva, Geraldo Peroni, Maria de Fátima Oliveira, Luiz Gonzaga Godoi Trigo e Guilherme Silva Pires de Freitas.

Como se isso não bastasse, a seção reservada às RESENHAS presenteia o leitor com DOIS (02) textos instigantes. De fato, merecem ser vistas, mais de perto, as avaliações críticas de Dirceu Casagrande Júnior e Raony Valdenésio Aduci Odremán Mendes.

Mais uma vez, agradecemos pelas resenhas e artigos enviados e, antecipadamente, pelo apoio na divulgação deste periódico.

Boa leitura a todos!

Alcides Freire Ramos, Rosangela Patriota e Rodrigo de Freitas Costa
Editores da Fênix – Revista de História e Estudos Culturais

  • Andréia Márcia de Castro Galvão

RESUMO: O objetivo desse ensaio é fazer uma reflexão sobre a vida de Carolina Maria de Jesus mediante suas três obras autobiográficas: Quarto de despejo (1960), Casa de alvenaria: diário de uma exfavelada (1961) e Diário de Bibita (1986). Acredita-se que Carolina tenha rompido com paradigmas sócio-culturais de sua época, na medida em que conseguiu, não obstante sua condição de extrema marginalidade, fazer-se ‘ouvir’ por meio da escrita de seu cotidiano. Nesse sentido, observadas algumas denúncias e reivindicações históricas da crítica feminista, é possível perceber que, à sua maneira, a autora conferiu um significado particular à sua condição de mulher, negra, pobre, escritora, mãe e, distanciandose do ‘ideal feminino’, proclamou um ’empoderamento’ invulgar, considerado o seu contexto de existência.

PALAVRAS-CHAVE: Escrita – Crítica feminista – Marginalidade – Ideal feminino – Empoderamento

  • Rosangela Patriota

RESUMO: Este artigo, ao discutir o livro O homem que amava os cachorros, de Leonardo Padura, busca refletir sobre as ideias e as perspectivas de transformação que marcaram o ideário do socialismo no decorrer do século XX.

PALAVRAS-CHAVE: História e Literatura – Leonardo Padura – O homem que amava os cachorros

  • Paulo Ricardo Kralik Angelini

RESUMO: Sabe-se que José Saramago sempre manteve com a História uma relação de tensão, de constante questionamento. O autor buscava corrigir a História, e preencher os espaços vazios existentes no discurso oficial com a voz dos oprimidos, silenciada por séculos de exploração. Este artigo pretende apontar a forma como a História pretensamente oficial, em especial o historiador João Ameal, tratou a construção do Convento de Mafra e a atuação do rei D. João V e, por outro lado, o olhar crítico de José Saramago na reelaboração deste mesmo momento histórico em Memorial do Convento. Para o debate teórico, pretende-se reunir autores como Stephen Bann, Paul Ricoeur, Roland Barthes, Paul Veyne, José Carlos Barreiro, Hilario Franco Júnior, entre outros.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura e História – Literatura Portuguesa – D. João V – Convento de Mafra

  • Fernanda Pacheco de Campos Brozoski

RESUMO: No presente trabalho buscamos analisar aspectos da obra O Vermelho e o Negro que assinalam o final do século XVIII e o início do XIX como um período de profunda transformação do Sistema Interestatal Capitalista. A narrativa de Sthendal oferece importantes vestígios das alterações que se processaram na dinâmica das relações de poder na época e, consequentemente, na hierarquia de poder mundial. Acompanhando a trajetória do jovem protagonista Julien, pretendemos levantar algumas reflexões sobre possíveis mudanças sistêmicas introduzidas pela Revolução Francesa e pela figura de Napoleão Bonaparte. Além disso, através de uma perspectiva interdisciplinar, pretendemos contribuir com estudos que busquem caminhos alternativos para pensar a lógica de funcionamento do Sistema Mundial.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura – Sistema Interestatal Capitalista – História e Geopolítica mundial

  • Marcelo de Araujo

RESUMO: Em 1915 o poeta Annibal Theophilo foi morto a tiros pelo então deputado federal Gilberto Amado. O crime ocorreu na cidade do Rio de Janeiro ao final de um evento literário promovido pela recém-fundada Sociedade Brasileira dos Homens de Letras. O poeta Olavo Bilac era o presidente de honra da associação. O objetivo da Sociedade Brasileira dos Homens de Letras era promover a profissionalização do ofício de escritor no Brasil. O presente artigo reconstrói as circunstâncias do crime de 1915 tendo principalmente em vista os diversos relatos publicados em jornais e revistas da época. O artigo procura também mostrar que apenas em 2015, cem anos após a morte de Annibal Theophilo, os objetivos da Sociedade Brasileira dos Homens de Letras foram plenamente assegurados no Brasil.

PALAVRAS-CHAVE: Annibal Theophilo – Gilberto Amado – literatura brasileira – memória – liberdade de expressão

  • Ane Luíse Silva Mecenas Santos

RESUMO: O presente trabalho visa analisar o papel da tipografia Miguel Deslandes para difusão da produção jesuítica em Portugal na segunda metade do século XVII. Através da produção de obras que remetem às experiências missionárias dos jesuítas, se torna possível compreender também como se deu a circulação dos saberes que seus autores sistematizaram e qual era seu potencial público leitor. Por meio da observação da documentação administrativa, buscou-se analisar os interesses que cercavam a publicação de livros nesse período.

PALAVRAS-CHAVE: Impressos – Miguel Deslandes – Jesuítas

  • Amailton Magno Azevedo

RESUMO: Este artigo pretendeu rastrear histórias de sambistas negros que protagonizaram a consolidação do samba na cidade São Paulo. As histórias dos sambistas negros instituíram uma narrativa histórica multicêntrica, que se difundiu em vários espaços geográficos – do centro à margem, de norte a sul, de oeste a leste da cidade. Histórias moduladas pelo sentimento de comunidade carnavalesca, pela música, saberes orais-acústicos, relações familiares e de amizade. Por toda São Paulo há rastros dessa memória, apesar da tragédia urbana brasileira no século XX que promoveu segregações sócio espacial do negro e do pobre empurrando-os para os morros, periferias e franjas da cidade.

PALAVRAS-CHAVE: Vida comunitária – Cultura negra – Artes

  • Beatriz dos Santos de Oliveira Feitosa

RESUMO: Este artigo tem o objetivo de refletir a respeito da dinâmica de ocupação territorial do estado de Mato Grosso do Sul. Para tanto recorreremos às discussões que envolvem o conceito de tempo, pensadas em sintonia com a obra de Koselleck, com a consciência de que sua leitura do tempo histórico é uma, dentre outras possíveis. Fundamentamos nossas interpretações no ideal de que existem tempos múltiplos que convergem para que seja possível tratar de um tempo em particular. O presente neste sentido, é resultante das experiências temporais do passado e de perspectivas que dialogam com o futuro, a partir destas reflexões, buscamos perceber a permanência ao longo do tempo dos discursos da modernidade que permeiam os deslocamentos e trajetórias de pessoas no interior do Brasil, presentes em jornais de circulação local ao longo dos anos de 1970.

PALAVRAS-CHAVE: Ocupação Recente – Tempo; Migrações – Modernidade

  • Cristiano Pinheiro de Paula Couto

RESUMO: As revistas político-culturais da América Latina formam incontrastável locus de “sociabilidade intelectual” e fecundo meio de propagação de ideias. Imersas nos grandes movimentos da história, atuam como laboratórios da crítica e como protagonistas de muito daquilo que sacode a vida política e cultural do subcontinente. Na qualidade de instrumento de mediação cultural, por excelência, rendem um tributo ao presente, ao passo que retêm invariável determinação de intervir para modificá-lo. Este ensaio propõe uma análise das revistas culturais enquanto objeto de estudo da história intelectual.

PALAVRAS-CHAVE: Periodismo político-cultural – História Intelectual – Crítica Cultural – América Latina

  • Leonardo Dallacqua de Carvalho

RESUMO: Este artigo busca analisar a trajetória e a posição eugênica do cientista inglês Francis Galton nos três primeiros números da The Eugenics Review, em 1909. Ao longo do texto pretendo responder quais eram os objetivos de Galton com a fundação do periódico que sobreviveu por quase seis décadas. Desse modo, ao trazer a expectativa de Galton no The Eugenics Review, apresento as intenções de um periódico que pretendia ser um fio condutor entre ciência eugênica e sociedade.

PALAVRAS-CHAVE: Francis Galton – Eugenia –The Eugenics Review

  • Ricardo de Aguiar Pacheco
  • Herika Paes Rodrigues Viana

RESUMO: Este artigo aborda a identidade profissional do professor de história. Nosso objeto de estudo é pensado para o exercício profissional de um futuro corpo docente. A partir da revisão teórica de autores renomados na área e de pesquisas acerca da formação docente encontramos um espaço pertinente para esclarecermos como a identidade profissional é constituída de um campo maior que os espaços físicos da Universidade. Vemos uma relação profunda entre a formação do sujeito enquanto pessoa que sente, que pensa, que tem sentimentos e a formação do sujeito profissional que atenderá outros tantos sujeitos no exercício de sua futura profissão.

PALAVRAS-CHAVE: identidade – formação docente – sujeito profissional

  • Pedro Ragusa

RESUMO: O objetivo deste artigo é mostrar como a pesquisa arqueológica de Michel Foucault foi desenvolvida a partir de um interesse em mostrar como se constituíram historicamente as relações discursivas sobre os saberes através de uma perspectiva estrutural. Assim, pode-se dizer que existiu um estilo de análise estrutural que serviu de aporte para a prática de suas histórias arqueológicas nos anos sessenta. Tendo em vista que Michel Foucault, desenvolveu sua pesquisa arqueológica nos anos sessenta pela introdução de análise Estruturais no domínio da história das ciências pôde realizar um conjunto de descrições histórico-estruturais sobre as relações discursivas entre os saberes em diferentes períodos históricos, chamados por ele de Episteme.

PALAVRAS-CHAVE: Metodologia – Arqueologia – Estruturalismo – Episteme

  • Mauro Augusto dos Santos
  • Islane Archanjo Rocha

RESUMO: Este estudo faz uma abordagem territorial sobre a luta pela manutenção da identidade quilombola e correlaciona com as políticas públicas voltadas para essa população. O sentido de empoderamento étnico determina a relação com o território que inclui uma significação simbólica. Como metodologia foi adotada a pesquisa bibliográfica e documental. Conclui-se que o território quilombola reflete a forma da comunidade se autodeterminar em razão das condições de sociabilidade, que se distingue da coletividade nacional; tendo suas próprias histórias de múltiplas resistências que importam em sua territorialidade, mas a diversidade dá ensejo ao grau de investida política, sendo esta indispensável.

PALAVRAS-CHAVE: Políticas públicas – Comunidades Quilombolas – Território

  • Leonara Lacerda Delfino

RESUMO: O objetivo deste artigo consiste em abalizar, a partir de uma perspectiva de culturas híbridas do mundo atlântico, as contínuas e mútuas influências das diversificadas representações em torno da investidura do rei congo tangenciadas na experiência devocional do Rosário de São João del-Rei (séculos XVIII e XIX). Nesse sentido, analisamos a catolicização dos diferentes grupos étnicos africanos e o processo de africanização dos preceitos católicos vividos na irmandade, através dos mecanismos de apropriação cultural presentes na realização dos reinados. Para este fim utilizamos as fontes confrariais (estatuto, receitas, livro de missas e os registros de matrículas de irmãos), juntamente com a análise de discurso dos relatos de missionários capuchinhos e franciscanos em suas expedições nos reinos centroafricanos.

PALAVRAS-CHAVE: Reinados – Festejo do Rosário – Ancestralidade Centro-Africana – diáspora atlântica

  • Sérgio Sezino Douets Vasconcelos
  • Luiz Claudio Barroca da Silva

RESUMO: Este artigo apresenta o que de mais significativo foi discutido nos 3º e 4º Congressos Afrobrasileiros, ocorridos nos anos de 1982 e 1994, respectivamente. Ele é dividido em quatro partes: na primeira é apresentada uma contextualização sobre o tema; a segunda e terceira se referem aos textos dos respectivos congressos, os quais dialogam entre si; considera-se, por fim, que as temáticas veiculadas nos dois congressos são o embrião de novas discussões acerca dos estudos culturais afro-brasileiros e das relações étnico-sociais no país naquele momento.

PALAVRAS-CHAVE: Memória – Identidade e religião – Estudos culturais – Relações étnico-sociais

  • Geraldo Pieroni

RESUMO: De acordo com Regimentos e Ordenações portuguesas do século XVI, o casamento cristão segue a lógica da aliança de Deus com a humanidade e se apoia sobre a encarnação de Cristo na história dos homens, de onde emerge toda a moral conjugal. A razão primeira deste «sacramento», desta inviolabilidade social, deriva do mandamento contido no Evangelho: «Não separe, pois, o homem o que Deus uniu». Discuto aqui, evidentemente, sobre o casamento contraído segundo as normas canônicas, «por palavras de presente», o que significa, das núpcias que os fieis celebram na igreja diante de um padre. Romper o casamento cristão significa quebrar a aliança entre Deus e o seu povo; portanto, isto comporta uma dessacralização, um pecado, um crime, uma inversão da ordem divina concebida pela Igreja. Aqueles que já haviam contraído matrimônio na Igreja Católica e, porventura, se casassem uma segunda vez, foram duramente castigados.

PALAVRAS-CHAVE: Igreja – Estado – Leis – Inquisição – Portugal/Brasil

  • Maria de Fátima Oliveira

RESUMO: Do Tempo das Cachoeiras ao Rio Afogadouma História ambiental do Tocantins trata-se de uma reflexão sobre as transformações que vêm ocorrendo no Rio Tocantins, sob o enfoque da História ambiental. Em linhas gerais, buscou-se reunir e analisar documentos que descrevem a natureza, os usos que se faz desse rio e o modo de vida das populações ribeirinhas, em contraste com as transformações que estão afetando o meio ambiente, causando sérios impactos na região nas últimas décadas. A investigação se pauta no estudo de diferentes fontes históricas como relatórios técnicos, relatos de viajantes, diários de viagens, correspondências, artigos de periódicos, fotografias e vídeos. Portanto, este texto visa discorrer sobre o importante papel que os rios do Cerrado desempenharam como caminhos fluviais no processo de conquista e ocupação do interior do Brasil e a atual forma de aproveitamento de seu potencial energético com a construção de barragens.

PALAVRAS-CHAVE: Rio Tocantins – História Ambiental – Populações Ribeirinhas – Cerrado

  • Luiz Gonzaga Godoi Trigo
  • Guilherme Silva Pires de Freitas

RESUMO: Este artigo tem como tema analisar e buscar discutir o papel político e social do futebol na presente crise migratória que atinge a Europa, dando maior destaque e ênfase para a Alemanha, país mais rico da União Europeia e principal destino dos refugiados. Enquanto autoridades demoraram para agir e decidir o que fazer, os torcedores tomaram frente e se manifestaram em prol dos imigrantes que chegavam ao país criando o bordão Refugees Welcome. Posteriormente foram os clubes que se engajaram em campanhas solidárias, mostrando a força e responsabilidade social que o esporte possui. Este texto tem como objetivo mostrar como o futebol pode ser uma importante ferramenta de inclusão e para compreendermos assuntos complexos da atualidade através do esporte.

PALAVRAS-CHAVE: Futebol – Alemanha – refugiados – imigração