MARABAIXO: PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL DO AMAPÁ

RESUMO: O objetivo deste artigo é o de expor os aspectos característicos da cultura marabaixeira afro-amapaense, destacando sua designação como Patrimônio Cultural Imaterial (PCI) inscrito na ordem das discussões culturais que se iniciaram na década de 1970 e se estenderam até o ano de 2006, quando ocorre a efetivação dos objetivos traçados na Convenção da UNESCO, que aconteceu em outubro de 2003, em Paris. Para isso, procedeu-se à consulta a textos impressos e outros provenientes de periódicos on-line os quais utilizam como categorias de análise termos que transitam pela formação de um recente campo de estudos, aquele da produção imaterial de cultura, portanto, fortemente popular e marcado por traços de oralidade. Os resultados obtidos com a escrita deste artigo demonstram que apesar de anúncio do Ministério da Cultura, em novembro de 2018, de ter sido tombado como PCI da região norte entre as Formas de Expressão, o Marabaixo ainda está por alcançar o reconhecimento social que lhe é devido.

PALAVRAS-CHAVE: Patrimônio cultural imaterial – Cultura afrodescendente – Marabaixo – História do Amapá – Política cultural

AIKAWA, Noriko. An historical overview of the preparation of the UNESCO international Convention for the Safeguarding of the Intangible Cultural Heritage. Museum. No. 221-222 (Vol. 56. No. 1-2, p. 137-149, 2004.

AMESCUA, Cristina. Anthropology of Intangible Cultural Heritage and Migration: an uncharted field. In: ARIZPE, Lourdes; AMESCUA, Cristina (Eds.). Anthropological perspectives on Intangible Cultural Heritage. New York: Springer, 2013. p. 103-120.

BENEDICT, Ruth. O crisântemo e a espada: padrões da cultura japonesa. São Paulo: Editora Perspectiva, 1972.

BRASIL. Decreto nº 3.551, de 4 de agosto de 2000. In: CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro; FONSECA, Maria Cecília Londres. Patrimônio imaterial no Brasil: legislação e políticas estaduais. Brasília: UNESCO, Educarte, 2008. p. 119-120.

_______. Ministério da Cultura. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Dossiê de registro: Marabaixo. Brasília/DF, agosto, 2018. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/DOSSIE_MARABAIXO.pdf>. Acessado em 07 maio 2020. 

______. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Supremo Tribunal Federal, Secretaria de Documentação, 2019.

CABRAL, Clara Maria Ferreira Bertrand. Património cultural imaterial: proposta de uma metodologia de inventariação. Dissertação (Mestrado em Ciências Antropológicas). Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas de Lisboa. Universidade Técnicas de Lisboa, 2009.

CARVALHO, Ana Filipa Estêvão de. Reafirmar a identidade cultural local: património cultural imaterial local como recurso. Dissertação (Mestre em Educação Social e Intervenção Comunitária). Instituto Politécnico de Lisboa. Escola Superior de Lisboa, 2014.

CASSIRER, Ernst. Ensaio sobre o homem: introdução a uma filosofia da cultura humana. São Paulo: Martins Fontes, 2012. 

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro; FONSECA, Maria Cecília Londres. Antecedentes históricos. In: ____; ____. Patrimônio imaterial no Brasil: legislação e políticas estaduais. Brasília: UNESCO, Educarte, 2008. p. 13-17.

CORÁ, Maria Amelia Jundurian. Do material ao imaterial: patrimônios culturais do Brasil. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2011.

COSTA, Rodrigo Vieira. O registro do patrimônio cultural imaterial como mecanismo de reconhecimento de direitos intelectuais coletivos de povos e comunidades tradicionais: os efeitos do instrumento sob a ótica dos direitos culturais. Tese (Doutorado em Direito). Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Jurídicas. Florianópolis, 2017.

IPHAN. Programa Nacional do Patrimônio Imaterial: balanços e perspectivas. Notícia on-line, 10 de agosto de 2017. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/4257>.  Acessado em: 07 maio 2020.

IPHAN. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Os sambas, as rodas, os bumbas, os meus e os bois: princípios, ações e resultados da política de salvaguarda do patrimônio cultural imaterial do Brasil (2003-2010). Brasília/DF, Ministério da Cultura, 2010.

IPHAN, INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Patrimônio Cultural Imaterial: para saber mais. 3. ed. Brasília, DF: Iphan, 2012. p. 31. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/cartilha_1__parasabermais_web.pdf>. Acessado em: 09 maio 2020.

_____. Parecer do Relator do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural Professor Dr. José Reginaldo Santos Gonçalves (UFRJ). 08 de novembro de 2018.  Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Marabaixo.pdf>. Acessado em: 07 maio 2020.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 21. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007.

LEARS, T. J. Jackson. The concept of cultural hegemony: problems and possibilities. The American Historical Review, Vol. 90, No. 3, p. 567-593, jun., 1985.

LIMA, Alessandra Rodrigues. O reconhecimento do patrimônio cultural afro-brasileiro. Revista Palmares, Cultura Afro-brasileira, Ano X, p. 6-15, Edição 08 – novembro 2014.

PELEGRINI, Sandra C. A.; FUNARI, Pedro Paulo. O que é patrimônio cultural imaterial. São Paulo: Editora Brasiliense, 2008.

SILVA, Paulo Sérgio da. Patrimônio cultural imaterial: conceito e instrumentos legais de tutela na atual ordem jurídica brasileira. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, São Paulo, p. 1-11, julho de 2011. Disponível em: <http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1312573747_ARQUIVO_Patrimonio_cultural_imaterial.pdf>. Acessado em: 09 maio 2020.

SIMIS, Anita. A política cultura como política pública. In: RUBIM, Antonio Albino Canelas; BARBALHO, Alexandre (Orgs.). Políticas culturais no Brasil. Rubim, Salvador: EDUFBA, 2007. p. 133-155.

UNESCO. Convention for the Safeguarding of the Intangible Cultural Heritage. Paris, 17 October, 2003. Disponível em: <https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000132540>. Acessado em: 08 maio 2020.

VANNUCCHI, Aldo. Cultura brasileira. São Paulo: Edições Loyola, 2006.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofía de la praxis. Ciudad de Mexico: Siglo Veintiuno Editores, 2003

VIDEIRA, Piedade Lino. O Marabaixo do Amapá: encontros de saberes, histórias e memórias afro-amapaenses. Revista Palmares, Cultura Afro-brasileira, Ano X, p. 16-21, Edição 08 – novembro 2014, p. 19-20.