Vol. 5 Ano V nº 4 - Outubro/ Novembro/ Dezembro de 2008

  • Editorial
  • Artigos
  • Resenhas

É com imensa satisfação que lançamos mais um número da Fênix – Revista de História e Estudos Culturais (Volume 5, Ano V, Número 4 – Outubro / Novembro / Dezembro – 2008).

site www.revistafenix.pro.br entrou no ar em dezembro de 2004 com o objetivo de trazer ao público leitor uma publicação que se caracterizasse pela agilidade, universalidade e gratuidade. Essa preocupação, porém, não encerrava as expectativas depositadas na sua criação. Pelo contrário, o grande propósito era tornar acessível uma publicação capaz de incentivar a interlocução acadêmica e a ampla divulgação de pesquisas instigantes e de alto nível, procurando traduzir a dinâmica e a diversidade dos diálogos interdisciplinares da pesquisa histórica e dos Estudos Culturais.

Os resultados positivos obtidos com esse projeto, considerando também a atual edição, materializam-se na publicação de TRINTA E TRÊS (36) RESENHAS DUZENTOS E QUARENTA E SETE (247) ARTIGOS, oriundos de diferentes estados do Brasil: Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Pernambuco, Piauí, Paraíba, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Distrito Federal.

Ademais, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais acolheu onze (11) dossiês, a saber: Chico Buarque & Vianinha: arte e política no Brasil Contemporâneo (organizado pela Editoria), História Oral (organização de Paulo Roberto de Almeida), Homenagem a Jorge Andrade – 50 anos d’A Moratória: Encruzilhadas da Literatura e da História (organização de Diógenes Maciel), Cinema-História (organização de Sheila Schvarzman), Teoria da História (organização de Pedro Spinola Pereira Caldas), História e Visualidades (organização de Alcides Freire Ramos), Teorias do Espetáculo e da Recepção (organização de Robson Camargo), Mundo Romano (organização de Ana Teresa Marques Gonçalves), Estudos Literários (organizado pela Editoria), História da Ciência (organização de Antonio Augusto Passos Videira) e História Cultural & Multidisciplinaridade (organizado por Sandra Pesavento, Mônica Pimenta Velloso e Antonio Herculano).

Vale salientar que, ao longo desse período, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais deu passos decisivos para a sua consolidação no meio acadêmico. Isto pode ser afirmado não somente por ter sido incluída no Portal de Periódicos de Acesso Livre da CAPES e em um importante indexador internacional, o DOAJ – Directory of Open Access Journals, ambas ocorridas em 2006, mas também pelo fato de ela ter melhorado sua avaliação no QUALIS CAPES. Tudo isso contribuiu para o aumento de seu impacto junto à comunidade acadêmica nacional e internacional das áreas de História, Letras e Artes.

Como comprovação dessa melhora merece destaque o aumento considerável da remessa de artigos, a predominância da colaboração de doutores e o recebimento de artigos internacionais. Outro indicador importante para a avaliação das atividades desenvolvidas nesses últimos anos diz respeito ao número de visitas ao site www.revistafenix.pro.br, isto é, até o momento, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais recebeu mais de TREZENTAS MIL (300.000) consultas, assim divididas: 70% dos acessos originam-se do Brasil, e os 30% restantes são internacionais (Portugal, EUA, México, França, Itália, Espanha, Alemanha, Suécia, Inglaterra, entre outros).

Além disso, a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais concorreu a recursos de Edital de apoio a publicações científicas e, com base no bom desempenho desses últimos anos, recebeu em 2007 suporte financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Por fim, cabe sublinhar que, como coroamento de todo esse processo, em 2008, recebeu apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), tendo em vista a liberação das verbas previstas no Edital 07/2007, referente ao Programa de Apoio a Publicações Científicas e Tecnológicas.

Entretanto, é preciso que se diga: muito pouco teria sido feito sem o envolvimento da Secretaria Executiva e dos Conselhos Editorial e Consultivo. O desprendimento e a coragem dos diretamente envolvidos nessa empreitada foram de grande importância para o bom encaminhamento dos trabalhos, mantendo a qualidade editorial e publicando artigos de excelência. Acima de tudo, devemos aqui registrar uma especial menção aos nossos leitores e colaboradores: sem eles, nada disso teria sido possível. Por esta razão, queremos expressar nossos mais sinceros agradecimentos a todos aqueles que, acessando o site ou enviando seus artigos, contribuíram e contribuem para que a Fênix – Revista de História e Estudos Culturais tenha sido tão bem recebida.

Com efeito, mais um bom exemplo dessa afirmação pode ser verificado neste número, que ora vem a público. Nele, o leitor encontrará excelentes contribuições que se materializam nos artigos dos seguintes pesquisadores: Aldo Lopes Dinucci, Anderson Ribeiro Oliva, Ana Claudia Ribas, Edivalma Cristina da Silva, Hamlet Fernández Díaz, Isaías Pascoal, Alcides Freire Ramos, André Luis Bertelli Duarte, Cândida Barros, Cláudia Steffens de Castro, Manoel Dourado Bastos, Marcos Henrique Silva, Mayara Paiva de Souza, Paulo Roberto Romanowski, Stephan Baumgärtel, Vanderlei Sebastião de Souza.

Como se isso não bastasse, na Seção dedicada às resenhas, os nossos leitores poderão conferir avaliações críticas de três publicações que são, de fato, instigantes. Primeiramente, temos a resenha assinada por Jailson Dias Carvalho, na qual o autor faz uma apreciação muito competente do livro Helvécio Ratton: o cinema além das montanhas (São Paulo: Imprensa Oficial, 2005). Em seguida, Leilane Aparecida Oliveira, de maneira cuidadosa, mostra a relevância da obra Imagens na História, (São Paulo: Hucitec, 2008). Igualmente importante é a avaliação de Maria Abadia Cardoso acerca de mais um lançamento da Editora Perspectiva, Ibsen e o novo sujeito da modernidade, de Tereza Menezes.

A expectativa em relação a esse novo número é a de que ele tenha aceitação semelhante aos anteriores.

Mais uma vez, agradecemos pelos artigos enviados e, antecipadamente, pelo apoio na divulgação deste periódico.

Boa leitura a todos!

Alcides Freire Ramos, Rosangela Patriota e Pedro Spinola Pereira Caldas
Editores da Fênix – Revista de História e Estudos Culturais

JOAQUIM NABUCO, EPICTETO E A ABOLIÇÃO DA ESCRAVATURA

  • Aldo Lopes Dinucci

RESUMO: Neste artigo veremos como Joaquim Nabuco juntou literariamente suas forças a Epicteto na luta contra a escravidão no Brasil, fazendo uma distinção entre a escravidão dos tempos antigos e a moderna e demonstrando que a instituição da escravidão corrompe as demais instituições sociais e ameaça a sociedade como um todo, tornando-a iníqua.

PALAVRAS-CHAVE: Joaquim Nabuco – Escravidão – Epicteto

DA AETHIOPIA À AFRICA: AS IDÉIAS DE ÁFRICA, DO MEDIEVO EUROPEU À IDADE MODERNA

  • Anderson Ribeiro Oliva

RESUMO: O presente artigo possui como objetivo maior realizar uma descrição reflexiva de algumas das principais representações elaboradas sobre a África no medievo europeu e durante a Idade Moderna, sinalizando tanto para as especificidades das construções imaginárias como para suas conexões.

PALAVRAS-CHAVE: Representações – África – Idade Média e Idade Moderna

RELIGIÃO, MIGRAÇÃO E PÁGINAS NA INTERNET: APOSTOLADO BRASILEIRO, OS CARISMÁTICOS E OS MIGRANTES EM MASSACHUSETTS

  • Ana Claudia Ribas

RESUMO: O presente artigo tem por objetivo lançar olhares sobre os discursos contidos em páginas da internet destinadas a migrantes brasileiros no exterior, buscando a realização de uma análise que se desprenda das mais tradicionais, dentro do que se refere ao tema migração, proponho lançar olhares sobre a religião entre os migrantes especialmente a religião católica através dos discursos produzidos para estes pelo Apostolado Brasileiro e pela a Renovação Carismática Católica.

PALAVRAS-CHAVE: Imigração – Renovação Carismática Católica – Identidade

JOÃO BATISTA DE ANDRADE E O JORNALISMO TELEVISIVO DURANTE A DITADURA MILITAR

  • Alcides Freire Ramos

RESUMO: Este artigo apresenta uma reflexão sobre a trajetória artística de João Batista de Andrade no cinema, na televisão e no jornalismo, bem como os contornos de seu engajamento durante o período conturbado da ditadura militar brasileira (1964-1985). Seus filmes são analisados de modo a salientar os seus contornos estéticos e políticos e os problemas enfrentados pelas propostas desse artista.

PALAVRAS-CHAVE: História e Cinema – História do Cinema Brasileiro – João Batista de Andrade

MIMESE E TRADIÇÃO EM CYRANO DE BERGERAC: UM OLHAR “LUNÁTICO” SOBRE O MUNDO NO SÉCULO XVII

  • André Luis Bertelli Duarte

RESUMO: Este artigo propõe estabelecer pressupostos relativos à poética de Cyrano de Bergerac, salientando o diálogo que o autor realiza com alguns elementos da tradição literária e filosófica na França do século XVII, o que possibilita um olhar privilegiado sobre o mundo e a cultura do período.

PALAVRAS-CHAVE: Cyrano de Bergerac – Tradição – França – Século XVII

ENTRE HETERODOXOS E ORTODOXOS: NOTAS SOBRE CATECISMOS DIALOGADOS NA EUROPA E NAS COLÔNIAS NO SÉCULO XVI

  • Cândida Barros

RESUMO: O trabalho traça uma história dos catecismos dialogados na Espanha, em Portugal e no Novo Mundo no século XVI por meio da comparação das formas em que o diálogo de perguntas e respostas se apresenta em autores de catecismo de duas correntes religiosas, os heterodoxos, que seguiam a Erasmo de Rotterdan, e ortodoxos, que refletiam as linhas do Concílio de Trento. Este debate na Europa se refletiu no campo dos catecismos coloniais.

PALAVRAS-CHAVE: Catecismos – Heterodoxos – Jesuítas – Catecismo Tupi

EDUCAÇÃO PARA O TURISMO: PRESERVAÇÃO DA IDENTIDADE REGIONAL E RESPEITO À CULTURA IMATERIAL

  • Cláudia Steffens de Castro

RESUMO: A educação para o turismo não pode, nos dias de hoje, estar focada tão somente no sentido de qualificação profissional. A memória de um povo é o fator definidor da origem e identidade do indivíduo, conferindo-lhe, além disso, a sua dignidade. Através da memória o homem guarda seus usos e valores, os quais irá transmitir de geração a geração. A troca de experiências e vivências, entre o turista e o autóctone, que interagindo, transmitem seus costumes e valores através das manifestações de cultura popular, configura-se em uma possibilidade de enriquecimento do indivíduo e da sociedade. Revela-se, esse processo, em uma alternativa viável para o desenvolvimento consciente da atividade turística dentro de uma determinada localidade.

PALAVRAS-CHAVE: Educação – Turismo – Cultura Popular

DE SEDUZIDAS A SEDUTORAS: UMA ANÁLISE DISCURSIVA SOBRE A FEMINILIDADE E VALORES CULTURAIS E MORAIS NO SERIDÓ DO RIO GRANDE DO NORTE, PRESENTE NOS PROCESSOS-CRIME DE SEDUÇÃO E DEFLORAMENTO E NO JORNAL DAS MOÇAS (1900-1945)

  • Edivalma Cristina da Silva

RESUMO: Este trabalho tem como objetivo analisar os discursos acerca de valores culturais e morais que emergiram no Seridó do Rio Grande do Norte entre 1900 e 1945, pretendendo entender as construções discursivas jurídicas e literárias acerca da feminilidade e honra, através da análise de processos-crime de sedução e defloramento. Esta malha discursiva é costurada por Michel Foucault com seus fios de poder, saber, disciplina, sexualidade e discursos. Chega-se à conclusão que o feminino foi tecido por várias categorias: ora valorizando o corpo familiar através de um ideal de feminilidade burguesa, ora mostrando quebra de valores e costumes através das mulheres seduzidas e sedutoras, o que enriquece, ainda mais, a análise desta documentação.

PALAVRAS-CHAVE: Feminilidade – Honra – Sedução

BABEL: UMA LEITURA ANTI-IMPERIALISTA

  • Hamlet Fernández Díaz

RESUMO: Pode-se afirmar que a tese de Babel (2006) – uma das últimas produções do cineasta mexicano Alejandro González Iñárritu – é que a falta de comunicação entre os homens persiste, apesar da globalização e das redes de comunicação. Este diretor mostra que a civilização atual também pode ser representada como uma Torre de Babel, um lugar de caos, devido à arrogância humana que constrói relações imperiais sobre as sempre frágeis fundações do poder. Em Babel, somos mostrados como todas as histórias do agora comum são reproduzidas em pontos fugazes enquanto a Terra gira. Também vemos que esse espaço de encontro virtual, onde é possível reconhecer o outro e descobrir sua dor, é totalmente anulado pela avalanche de frases que se bloqueiam mutuamente, impedindo a escolha da decodificação. Este artigo enfoca o espaço em que as línguas são confusas, formando uma área de caos linguístico na qual são articuladas as três histórias que o filme desenvolve, um espaço reduzido à pura virtualidade pelos sistemas de hipercomunicação. Também é estudada a novidade da estrutura narrativa do filme, que funciona através de códigos de hipercomunicação. Iñárritu gira a terra e com ela uma série de existências que se encontram ao acaso ou cruzam olhares em espaços virtuais, dentro de um presente que consumimos como espectadores de fragmentos de fábulas que nos transmitem a esquizofrenia de uma rede de notícias .

PALAVRAS-CHAVE: Incomunicação – Esquizofrenia – Fragmentação – Poder

EM CARRANCAS, SUJEITOS SE ENCONTRAM E SE DESENCONTRAM

  • Isaías Pascoal

RESUMO: No dia 13 de maio de 1833, em Carrancas, freguesia pertencente à vila de São João Del Rei, escravos amotinados chacinaram membros da família do deputado Gabriel Francisco Junqueira, criando pânico em toda região. Que motivos os levaram à rebelião, e o que se pode dela inferir para esclarecer os mecanismos que garantem a permanência ou a ruptura do status-quo da relação entre senhores e escravos são os móveis deste artigo, que se pretende crítico em relação a concepções demasiado esquemáticas.

PALAVRAS-CHAVE: Conflito – Escravidão – Poder

PERMANÊNCIA DA PROMESSA DE FELICIDADE: UM ESQUEMA INTERPRETATIVO DA NOTA DE CLASSES DA “LINHA EVOLUTIVA” MUSICAL BRASILEIRA

  • Manoel Dourado Bastos

RESUMO: O presente texto busca compreender historicamente a primeira tentativa de Caetano Veloso botar em prática o seu programa para a música popular brasileira, com Domingo (1967). O intento deste artigo é compreender o processo de permanência da promessa de felicidade, de sua matriz na bossa nova de Tom Jobim e João Gilberto, até a revelação de sua nota de classe no disco citado de Caetano Veloso.

PALAVRAS-CHAVE: Bossa Nova – Caetano Veloso – Promessa de Felicidade

PINTURA REALISTA RUSSA NO SÉCULO XX – A CONSTRUÇÃO DA REALIDADE PROLETÁRIA

  • Marcos Henrique Silva

RESUMO: Neste artigo analisamos a pintura realista russa produzida na década de 1920. Partindo de uma discussão acerca do significado do realismo no século XX, procuramos situar a arte pictórica no contexto pós-revolucionário, investigando as complexas relações existentes entre a política cultural conservadora promovida pelo governo e a arte efetivamente produzida por vários artistas reunidos em associações, cujos princípios estavam plenamente sintonizados com as novas diretrizes.

PALAVRAS-CHAVE: Realismo – Arte Pictórica – Proletariado

A CONSTITUINTE DE 1946: A BANCADA UDENISTA E A REINTERPRETAÇÃO DO TEMPO

  • Mayara Paiva de Souza

RESUMO: O texto visa captar a percepção do tempo histórico e os projetos políticos da elite deposta em 1930 por meio da análise de seus discursos na Assembléia Nacional Constituinte de 1946. A análise da experiência desse grupo na constituinte daquele ano é pertinente para a discussão acerca da relação entre história e memória, uma vez que demonstra as múltiplas percepções de tempo e o retorno de uma “memória subterrânea” que luta pela sua institucionalização. Pensar a atuação dos exilados da Velha República na Constituinte de 1946 é um campo fértil para se pensar a escrita da história.

PALAVRAS-CHAVE: Constituinte de 1946 – Memória – História

GESTA PRINCIPIUM POLONORUM: CULTURA E PODER NO MUNDO ESLAVO MEDIEVAL

  • Paulo Roberto Romanowski

RESUMO: A legitimação por meio da literatura ocorre em diversos períodos históricos. Na Idade Média a literatura oficial utiliza as crônicas ou gestas como instrumento desse processo. Entre os locais que tal fenômeno ocorre, a Europa Central, também apresenta sinais dessa ação. O duque Boleslaw III da Polônia, na primeira metade do século XII, patrocina a produção de uma Gesta, a Gesta principium Polonorum, obra redigida por um monge entre 1112-1114, logo após um período de crise entre a monarquia dos Piastes e o Império. O texto latino recria a trajetória dos antecedentes de Boleslaw III, transformando-os em personagens mais cristãos e latinos, eliminando qualquer desventura que tenham passado. Tal ação evidencia a necessidade de remodelar a figura régia local, que tentava, com isso, manter o equilíbrio interno e externo, pois não sendo coroado pelo Papado, a mesma sofria com problemas de legitimação.

PALAVRAS-CHAVE: Idade Média – História da Polônia – Eslavos

A PEÇA HISTÓRICA NO ÂMBITO DAS FORMAS TEATRAIS PÓS-DRAMÁTICAS: UMA BREVE ANÁLISE DA ENCENAÇÃO WALLENSTEIN DO COLETIVO TEATRAL ALEMÃO RIMINI-PROTOKOLL

  • Stephan Baumgärtel

RESUMO: O presente artigo analisa a encenação Wallenstein do grupo alemão Rimini-Protokoll como uma forma de montar peças históricas num contexto pós-dramático. Esta montagem não encena a peça e sua trama, mas põe em cena momentos da realidade atual que podem ser vinculados a motivos da fábula da peça. Deste modo, a encenação dá visibilidade a uma pesquisa histórica em forma fragmentada e anedótica, vinculada ao imaginário social e histórico tanto da peça quanto dos leitores atuais. A recepção só pode ser frutífera para espectadores que exploram a capacidade desta fragmentação de fazer pensar sobre as diferentes dimensões na história da peça Wallenstein.

PALAVRAS-CHAVE: Recepção – Teatro Pós-dramático – Teorias de Espetáculo – Peça Histórica

AUTOR, TEXTO E CONTEXTO: A HISTÓRIA INTELECTUAL E O ‘CONTEXTUALISMO LINGÜÍSTICO’ NA PERSPECTIVA DE QUENTIN SKINNER

  • Vanderlei Sebastião de Souza

RESUMO: Este trabalho analisa as contribuições teóricas e metodológicas propostas pelo historiador Quentin Skinner para pensar a prática da história intelectual. A partir da leitura de alguns de seus principais textos, especialmente “Meaning and understanding in the history of ideas”, artigo publicado no final dos anos 1960, procuro compreender as questões centrais que fundamentam o seu programa de estudos, conhecido como “contextualismo lingüístico”.

PALAVRAS-CHAVE: Quentin Skinner – História Intelectual – Contextualismo Lingüístico

IMAGENS NA HISTÓRIA: SENSIBILIDADES, SIGNIFICADOS E REPRESENTAÇÕES

  • Leilane Aparecida Oliveira

IBSEN E O NOVO SUJEITO DA MODERNIDADE

  • Maria Abadia Cardoso

HELVÉCIO RATTON E O CINEMA BRASILEIRO

  • Jailson Dias Carvalho
Fechar Menu