PANORAMA DAS INVESTIGAÇÕES SOBRE O PUNK NO BRASIL E SUAS
CONSTRUÇÕES IDENTITÁRIAS (1982 - 2010)

  • Tiago de Jesus Vieira
  • Universidade Estadual de Goiás - UEG
  • tiago.vieira@ueg.br

RESUMO: Este trabalho tem por finalidade analisar os trabalhos monográficos que, direta ou indiretamente, abordaram o tema punk no Brasil, procurando evidenciar como ao longo das décadas de 1980, 1990 e 2000, foram retratadas as experiências desses indivíduos e coletividades que se vincularam aos referenciais punks. Explorando, especialmente, como as conjunturas de inserção social interferiram na produção de identidades punk pelos investigadores, que, por sua vez, espelharam os dilemas de sua época. Diante deste desafio se tornou imprescindível à utilização das ferramentas conceituais de Michel de Certeau, que a partir de sua categorização de lugar social favoreceu a exploração das condições de produção do saber, assim como Stuart Hall que através de suas três concepções de sujeito permitiram estabelecer uma ferramenta de mensuração dos modos de pertencimento identitário.

PALAVRAS CHAVE: Punk, Identidade, Escrita da História.

ABRAMO, Helena Wendel. Grupos juvenis nos anos 80 em São Paulo: um estilo de atuação social. 1992. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1992.

BIVAR, Antônio. O que é Punk. São Paulo: Brasiliense, 1982.

CAIAFA, Janice. Movimento Punk na Cidade: invasão dos bandos sub. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

CARDOSO, Ciro Flamarion. História e paradigmas rivais. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

CIRANI, Claudia Brito Silva; CAMPANARIO, Milton de Abreu; SILVA, Heloisa Helena Marques da. A evolução do ensino do pós-graduação senso estrito no Brasil: análise exploratória e proposição para pesquisa. Avaliação. Campinas; Sorocaba, v. 20, n. 1, p. 163-187, mar. 2015.

COSTA, Márcia Regina da. Os carecas do subúrbio: caminhos de um nomadismo moderno. 1992. Tese (Doutorado em Antropologia) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 1992.

ESSINGER, Silvio. Punk, a anarquia planetária e a cena brasileira. São Paulo: Editora 34, 1999.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade. n. 79, p. 257 – 272, ago 2002.

FICO, Carlos; POLITO, Ronald. A História no Brasil (1980 – 1989): Elementos para uma avaliação historiográfica. Ouro Preto: UFOP, 1992.

GOMES, Ângela de Castro. Questão social e historiografia no Brasil do pós-1980: notas para um debate. Estudos Históricos, São Paulo, n. 34, p. 157-186, jul./ dez. 2004.

GONÇALVES, Hoana Costa. Dominação e Transgressão: A relação da violência do movimento punk com a inconformidade com a ditadura militar no Brasil nos anos de 1980 a 1985 – Uma leitura do movimento punk inglês em Brasília. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Relações Internacionais), Centro Universitário de Brasília, Brasília/DF, 2006.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pósmodernidade. 10ª ed. Rio de janeiro: DP&A; 2005.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1991). São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto Ed. PUC-Rio, 2006.

KEMP, Kenia.  Grupos de Estilo Jovens: o “Rock Underground” e as práticas (contra) culturais dos grupos “punks” e “trashs” em São Paulo. 1993. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993.

MALHERBA, Jurandir. Notas à margem: a crítica historiográfica no Brasil dos anos 1990. Textos de História, v. 10, n. 1/2, p. 181-211, 2002.

MARTINS, Estevão de Rezende. Conhecimento histórico e historiografia brasileira contemporânea. Revista portuguesa de história. Coimbra/ Portugal, n. 42, p. 197-214, 2011.

PEDROSO, Helenrose Aparecida da Silva; SOUZA, Heder Claúdio Augusto de. Absurdo da Realidade: O Movimento Punk. Coleção Cadernos IFCH Unicamp n. 6. Campinas: Editora Unicamp, 1983.

RAGO, Margareth. A “novahistoriografia brasileira. Anos 90. Porto Alegre, v. 7, n. 11, p. 73-96, 1999.

REIS, Thiago Felipe dos. A produção historiográfica da Revista História: questões e debates – uma contribuição à história da historiografia paranaense. In: Anais: II Congresso Internacional de História UEPG – Unicentro, 2015.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e diferença: A perspectiva dos estudos culturais. 9ª ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2009.

SOUSA, Rafael Lopes de. Punk: cultura subversiva e protesto, as mutações ideológicas de uma comunidade subversiva – São Paulo 1983/1996. 1997.  Dissertação (Mestrado em História), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Assis, 1997.

TURRA NETO, Nécio. Múltiplas trajetórias juvenis em Guarapuava: territórios e redes sociabilidade. 2008. Tese (Doutorado em Geografia), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita”, Faculdade de Ciência e Tecnologia, Presidente Prudente – SP, 2008.

VAINFAS, Ronaldo. História cultural e historiografia brasileira. História: Questões e Debates, Curitiba, n. 50, p. 217-235, jan./jun. 2009.

WHEELER, Jesse Samba Samuel. Dark matter towards an architectonics of rock, place, and identity in Brasília’s utopian underground. 411 p. 2007.  Tese (Doutorado em Etnomusicologia), University of California, Los Angeles/CA, 2007.