“FAZEM-SE VERSOS PRA TIRAR UM PESO”

AS BATALHAS DE VITTORIO SERENI

Palavras-chave: Vittorio Sereni, Segunda Guerra Mundial, Capital, industrialização, poesia

Resumo

A Segunda Guerra e a reconstrução marcaram toda uma geração, assim como as transformações num país sempre mais industrializado e partícipe do sistema capitalista configuram-se como etapas relevantes das mudanças intrínsecas a um húmus social. Vittorio Sereni (1913- 1983) traz uma trajetória emblemática, tenente de infantaria do exército italiano, poeta, professor, funcionário da Olivetti e diretor da editora Mondadori. A apreensão inicial diante do conflito é suspensa quando ele é preso pelos Aliados e levado para campos no norte da África, de onde sairá somente em 1946. Sereni, portanto, não compartilha da atmosfera de seus coetâneos, os quais farão parte da Resistenza. Esse sentimento de exclusão da história atravessa sua poética, operando como uma lente singular sobre momentos da história individual e coletiva, como acontece com a industrialização na década de 1960, quando outros vivos-mortos são produzidos e esquecidos. O gesto antropológico dessa escrita, então, abarca uma complexa condição existencial vivo-morto-vivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANCESCHI, Luciano. Lirici nuovi. Milano: Hoepli, 1943.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Trad. Roberto Raposo, posf. Celso Lafer. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

CAPRONI, Giorgio. A coisa perdida. Agamben comenta Caproni. Trad. Aurora Fornoni Bernardini. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2012.

ESPOSITO, Roberto. O pensamento vivo. Trad. Henrique Burigo. Belo Horizonte: Editora UGMG, 2013.

ESPOSITO, Edoardo. Lettura della poesia di Vittorio Sereni. Milano: Mimesis, 2015.

ESPOSITO, Edoardo (Org.). Vittorio Sereni, un altro compleanno. Milano: Ledizioni, 2016.

FORTINI, Franco. Saggi ed epigrammi. Org. Luca Lenzini, pref. Rossana Rossanda. Milano: Mondadori, 2003.

GHIDINELLI, Stefano. “L’infaticabile ‘ma’ di Sereni. In Studi Novecenteschi, v. 26, n. 57, jun, 1999, pp. 157-184.

GHISI, Agnes. CARMINATI, Helena Bressan.Entre prosa e poesia: o experimentalismo de Elio Pagliarani. In Literatura Italiana Traduzida, v.1., n.2, fev. 2020.Disponível em https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/209952 . Acesso em 15.02.2021.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Org., introd. de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

KUTUFÀ, Paolo. “ Raffrontando e / rammemorando”, memoria e alegoria in Una visita in fabbrica di Vittorio Sereni. In L’ospite ingrato, n. 7, 2020. Disponivel em https://www.ospiteingrato.unisi.it/raffrontando-e-rammemorandomemoria-e-allegoria-in-una-visita-in-fabbrica-di-vittorio-serenipaolo-kutufa/ . Acesso em 5.02.2020.

MENGALDO, Pier Vicenzo. “Iterazione e specularità in Sereni”. In Strumenti critici, n. 17, 1972, pp. 19-48.

MONTALE, Eugenio. Poesias. Trad. Geraldo Holanda Cavalcanti, pref. Luciana Stegagno Picchio. Rio de Janeiro: Record, 1997.

MONTALE, Eugenio. Ossos de sépia. Trad. Renato Xavier. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

PASOLINI, Pier Paolo. Passione e ideologia. Milano: Garzanti, 1960, pp. 424-428.

PETERLE, Patricia. No limite da palavra. Rio de Janeiro: 7Letras, 2015.

PETERLE, Patricia; GASPARI, Silvana de. Itália do pós-guerra em diálogo. Rio de Janeiro: Comunità, 2012.

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea (orgs.). Contemporaneidades na/da literatura italiana. Florianópolis: Rafael Copetti Editor, 2020.

PETERLE, Patricia. “Contatos necessários: uma reflexão sobre a tradução de “A toalha” de Giovanni Pascoli. In Aletria: Revista de Estudos de Literatura, n. 30 (4), 2020a, pp. 177-199.

PETERLE, Patricia. “O silêncio criativo”: sobre a poesia de Vittorio Sereni”. In Literatura Italiana Traduzida, v.1., n.7, jul. 2020b. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/209578 . Acesso em 30.01.2021.

PETERLE, Patricia; SANTURBANO, Andrea; DEGANI, Francisco; SALVADO, Rossana. Krisis – Tempos de Covid-19. Florianópolis: Rafael Copetti Editor, 2020.

PINTO, Tatiara Aline. O sono e o sonho na poética de Franco Fortini. Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Literatura, Florianópolis, 2019. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/206477 . Acesso 05.02.2021.

QUIRICONI, Giancarlo (Org.). In questo mezzo sonno. Vittorio Sereni, la poesia e i dintorni. Venezia: Marsilio, 2018.

WATAGHIN, Lucia. Daquela estrela à outra. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

SERENI, Vittorio. Poesie e prose. Org. Giulia Raboni. Milano: Oscar Mondadori, 2013a (e-pub).

SERENI, Vittorio. Carteggio com Luciano Anceschi 1935-1983. Org. Beatrice Carletti, Pref. Niva Lorenzini. Milano: Feltrinelli, 2013b.

SERENI, Vittorio; BETOCCHI, Carlo. Un uomo fratello. Carteggio (1937-1982). Milano: Mimesis, 2018.

SURDICH, Luigi (Org.). “Era così bello parlare”. Conversazioni radiofoniche com Giorgio Caproni. Genova: Il Melangolo, 2004.

TESTA, Enrico. Cinzas do século XX: três lições sobre poesia italiana. Rio de Janeiro: 7Letras, 2016.

Publicado
2021-06-28
Como Citar
Peterle, P. . (2021). “FAZEM-SE VERSOS PRA TIRAR UM PESO”: AS BATALHAS DE VITTORIO SERENI. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 18(1), 107-130. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v18i1.1053