O PROTAGONISMO FEMININO NA LUTA OPERÁRIA DO SETOR TÊXTIL EM ALAGOAS

O CASO DAS MULHERES GREVISTAS DE FERNÃO VELHO

Palavras-chave: gênero, Alagoas, indústria

Resumo

Durante a primeira metade do século XX, Alagoas teve grande relevância na indústria de tecidos nacional. Da tecelagem algodoeira, resultaram conflitos operários marcantes, ocorridos nos anos 1960. Este artigo identifica razões por que, entre as lutas operárias do período, destacou-se o protagonismo feminino nas lutas por melhores condições de trabalho, com foco na importância histórica da greve ocorrida em 1962 na Fábrica Carmen, em Maceió, Alagoas. O artigo visa analisar documentos presentes na bibliografia presente sobre o tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Luiz Sávio de. Breve reflexão sobre a mulher na indústria têxtil: Alagoas – 1920. In: Notas sobre poder, operários e comunistas em Alagoas. Maceió: Edufal, 2006, p. 83-8.

COSTA, Rodrigo José. Trabalhadores, greves, campanhas e repressão em Alagoas (1961-1964). Revista Mundos do Trabalho, vol. 5, n. 10, p. 125-144, jul-dez 2010. DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1984-9222.2013v5n10p125. DOI: https://doi.org/10.5007/1984-9222.2013v5n10p125

FARIAS, Ivo dos Santos. Dominação e resistência operária no núcleo fabril de Fernão Velho/AL (1953-1962). Dissertação para obtenção do título de Mestre em Sociologia. Maceió: Universidade Federal de Alagoas, 2012.

FARIAS, Ivo dos Santos. Nossa casa é do patrão: dominação e resistência operária no núcleo fabril de Fernão Velho – Maceió/AL. Curitiba: Appris, 2014.

FARIAS, Ivo dos Santos. Os fios tecidos da memória: a reconstrução do passado fabril de Fernão Velho (Maceió-Al): do início dos anos 1950 a 1962. Tese para título de doutor em Ciências Sociais. Marília: Universidade Estadual de São Paulo, 2017.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE ALAGOAS. Trajetória da indústria em Alagoas: 1850-2017. Maceió: FIEA; Instituto Euvaldo Lodi, 2018.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. São Paulo: Elefante, 2017.

HARAWAY, Donna. “Gênero” para um dicionário marxista: a política sexual de uma palavra. Cadernos Pagu, n. 22, p. 201-246, 2004. ISSN: 0104-8333. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332004000100009

HARAWAY, Donna. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque de (org.). Pensamento feminista: conceitos fundamentais. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2019, p. 157-212.

LESSA, Golbery Luiz. Trama da memória, urdidura do tempo: ethos e lugar dos operários têxteis alagoanos. In: TENÓRIO, Douglas Apratto; LESSA, Golbery Luiz. O ciclo do algodão e as vilas operárias. Maceió: Sebrae, 2013, p. 101-183.

LIMA, Jorge de. Mulher proletária. In: Novos poemas ; Poemas escolhidos ; Poemas negros. Rio de Janeiro: Lacerda Ed., 1997. Disponível em: http://www.ep.com.br/ livros_vest/poemas_jorge_ de_lima.pdf. Acesso em 20 nov. 2019.

LINDOSO, Dirceu. Interpretação da província: estudo da cultura alagoana. Maceió: Edufal, 2015.

MELO, Airton de Souza. Mulheres de ferro: o silêncio das atas e a memória da participação feminina no movimento operário têxtil de Maceió – a greve em 1962. Anais do XXX Simpósio Nacional de História, Recife, 2019.

MELO, Airton de Souza; MOURA, Anderson Vieira. Uma greve espontânea em Fernão Velho: comissão operária, justiça do trabalho e repressão patronal. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, São Paulo, jul 2011.

Memória da vida e do trabalho. Direção: Celso Brandão. Documentário, 20 min, Brasil, 1984.

OLIVEIRA, Eric Nilson da Costa. A Economia do Algodão No Nordeste Brasileiro. VI Congresso Sergipano de História & VI Encontro Estadual de História da ANPUH-SE, Aracaju, out. 2018. Disponível em: http://www.encontro2018.se.anpuh.org/ resources/anais/8/1540860966_ARQUIVO_AEconomiadoAlgodaonoNordesteARTIGO.pdf. Acesso em: 21 mar. 2020.

O País de São Saruê. Dir. Vladimir Carvalho, Documentário, 83 minutos, Brasil, 1979.

SILVA, Bruno Bianchi Gonçalves da. Indústria têxtil no Nordeste: a experiência de Alagoas e Sergipe. Dissertação de Mestrado em Geografia. Maceió: UFAL, 2019. Disponível em: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/5199. Acesso em 26 set 2019.

TAVARES, Marcelo Góes. Do tecer da memória ao tecido da história: operários, trabalho e política na indústria têxtil em Fernão Velho (Maceió, AL, 1943-1961). Tese de Doutorado em História. Recife: UFPE, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/23342. Acesso em 19 set 2019.

TENÓRIO, Douglas Apratto; LESSA, Golbery Luiz. O ciclo do algodão e as vilas operárias. Maceió: Sebrae, 2013.

Publicado
2021-06-28
Como Citar
Coutinho dos Santos, S. ., do Carmo Kabengele, D., Batista Pereira, J. ., & de Lima Mendes Junior, W. (2021). O PROTAGONISMO FEMININO NA LUTA OPERÁRIA DO SETOR TÊXTIL EM ALAGOAS: O CASO DAS MULHERES GREVISTAS DE FERNÃO VELHO. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 18(1), 193-213. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v18i1.1057