EXPLORAÇÕES SOBRE A HISTÓRIA DO LIVRO DE ESQUERDA NO BRASIL

A SÍNTESE DE LINCOLN SECCO

Palavras-chave: A Batalha dos Livros, Lincoln Secco

Resumo

O último trabalho de Lincoln Secco originou-se exatamente dessa segunda vertente. A obra lançada em 2017, intitulada A Batalha dos Livros, é uma pesquisa sobre a história editorial das esquerdas brasileiras. Em grande medida, trata-se de um intento de esmiuçar os caminhos textuais do processo de circulação de ideias de esquerda no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, Aristélio; MELO, Clóvis; MONIZ BANDEIRA, Luiz Alberto. O Ano Vermelho: A Revolução Russa e seus reflexos no Brasil. 4º ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017, p. 83-102.

BARTZ, Frederico Duarte. O Horizonte Vermelho: O impacto da Revolução Russa no movimento operário do Rio Grande do Sul, 1917-1920. Porto Alegre: Sulina, 2017.

CARONE, Edgard. O Marxismo no Brasil. Rio de Janeiro: Dois Pontos, 1986.

CHACON, Vamireh. História das Ideias Socialistas no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

DARNTON, Robert. “O que é a História dos Livros”. In: O Beijo de Lamourette: Mídia, Cultura e Revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, p. 109-131. DARNTON, Robert. História da Leitura. In: BURKE, Peter. A Escrita da História: Novas Perspectivas. São Paulo: UNESP, 1992.

ENGELS, Friedrich. Socialisme utopique et socialisme scientifique. Paris: Éditions Sociales, 1973.

KAREPOVS, Dainis. Resenha: A batalha dos livros: Formação da Esquerda no Brasil. Perseu, nº 16, ano 12, 2018, p. 230-235.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. 7ª edição. Campinas: Ed. Unicamp, 2013.

MALDONADO, Luccas Eduardo; TARCUS, Horacio. “Edição e revolução na América Latina: um diálogo com o historiador argentino Horacio Tarcus sobre o marxismo latino-americano. Crítica Marxista, nº 48, 2019.

MAUÉS, Flamarion. "A Editorial Vitória e a Divulgação das Ideias Comunistas no Brasil (1944-1964)", in: DEAECTO, Marisa Midori; MOLLIER, Jean-Yves (orgs.). Edição e Revolução: Leituras Comunistas no Brasil e na França. Cotia; Belo Horizonte: Ateliê; Editora UFMG, 2013.

PETRONE, Maria Tereza Schorer. "Imigração". FAUSTO, Boris (org.). O Brasil republicano, v. 2: sociedades e instituições (1889-1930). 7º Ed. Rio de Janeiro: Ed. Bertrand Brasil, 2004.

REIMÃO, Sandra. Repressão e Resistência: Censura a Livros na Ditadura Militar. São Paulo: EDUSP, 2012.

RICOEUR, Paul. A história, a memória, o esquecimento. Campinas: Ed. Unicamp, 2007.

SALLES, Iza. Um cadáver ao sol: a história do operário brasileiro que desafiou Moscou e o PCB. Rio de Janeiro: Ediouro, 2005.

SECCO, Lincoln. A Batalha dos Livros. São Paulo: Ateliê Editorial, 2018.

SECCO, Lincoln. Gramsci e o Brasil: recepção e difusão de suas ideias. São Paulo: Cortez, 2002.

SECCO, Lincoln. A Revolução dos Cravos e a Crise do Império Colonial Português. São Paulo: Alameda, 2004.

SECCO, Lincoln. 25 de abril de 1974 – A Revolução dos Cravos. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2005.

SECCO, Lincoln. “Leituras Comunistas no Brasil (1919-1943)”. In: DEAECTO, Marisa Midori; MOLLIER, Jean-Yves (orgs.). Edição e revolução: leituras comunistas no Brasil e na França. Cotia; Belo Horizonte: Ateliê Editorial; UFMG, 2013, p. 29-64.

Publicado
2021-06-28
Como Citar
Maldonado, L. E. . (2021). EXPLORAÇÕES SOBRE A HISTÓRIA DO LIVRO DE ESQUERDA NO BRASIL: A SÍNTESE DE LINCOLN SECCO. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 18(1), 551-559. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v18i1.1076