Corpos e maternidade na Paulicéia desvairada (São Paulo inícios do século XX)

  • Maria Izilda Santos Matos Pontifí¬cia Universidade Católica de São Paulo – PUC
  • Tania Soares da Silva Universidade Paulista - UNIP
Palavras-chave: Médicos, corpos, mulheres, maternidade, Geraldo de Paula Souza

Resumo

Este artigo analisa as representações de gênero, da família e da maternidade propalados pelos discursos médicos através dos materiais de campanhas. Nas primeiras décadas do XX, a instituição familiar foi identificada como a célula da sociedade, para assumir tal papel deveria ser regenerada, civilizada e higienizada, nesse processo, o papel das mulheres como mãe foi o centro dos discursos médicos e de ações pública. Cabendo destacar as reformas empreendidas pelo médico sanitarista Geraldo de Paula Souza quando da sua gestão no Serviço Sanitário paulista (1922-1927) que causou impacto na condução das questões da saúde pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Miguel Vale de. Senhores de si: uma interpretação antropológica da masculinidade. Lisboa, Fim de Século, 1995.

ALMEIDA, Waldemar. "Discurso contra o alcoolismo". In Arquivos Brasileiros de neuriatria e psiquiatria. RJ, Tipografia Besnard Freres, 1919, pp. 432-437.

Artigo 346, do Decreto n. º 3356, de 31 de maio de 1921

CAMPOS DA PAZ, Arthur Fernandes. A utilidade do casamento sob o ponto de vista higiênico. FMRJ, 1909.

CAMPOS, Cristina de. São Paulo pela lente da higiene: as propostas de Geraldo de Paula Souza para a cidade (1925-1945). São Carlos: RiMa, 2002.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados da República. SP, Cia das Letras, 1987.

CASTILHO, Brandão. Breves considerações sobre a Educação Sexual. Faculdade de Medicina da Bahia, 1910.

CHARTIER, Roger. Diferenças entre os sexos e dominação simbólica (nota crítica). Cadernos Pagú, 4, Fazendo história das mulheres. Campinas, NEG/Unicamp, 1995, pp.40-2.

CHEVALIER, Louis. Classes Laborieuses et dangereuses. Paris: Hochete, 1984.

COLUCCI, Sandra Regina. Mães, Médicos e Charlatães – Configurações culturais e múltiplas representações dos discursos médicos-sanitaristas. (São Paulo, 1920-1930). São Paulo, 2001. Dissertação de Mestrado, PUC/ SP.

CONNELL, Robert W., "Políticas da masculinidade". Educação e realidade. Porto Alegre, n.20, v.2, 1995, pp. 185-206.

CONNELL, Robert W., Masculinities: knowledge, power and social change. Berkeley/Los Angeles; University of California Press, 1995.

CORTEZ, Adamastor. Centros de Saúde de São Paulo. São Paulo, 1926. Tese (Doutorado).

DECCA, Maria Auxiliadora Guzzo. A vida fora das fábricas – Cotidiano operário em São Paulo (1920/1934). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Decreto N. 3876 de 11 de julho de 1925. Leis e Decretos do Estado de São Paulo, 1925.

FARIA, Lina. A Casa de Geraldo de Paula Souza: texto e imagem sobre um sanitarista paulista. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, p. 1011-24, set. dez. 2005.

FREIRE COSTA, J. Ordem Médica e norma familiar. RJ, Graal, 1979.

GOUVEIA, Antonio Epaminondas de. “A missão social do médico e da mulher no Brasil”. Annaes do Primeiro Congresso Brasileiro de Protecção a infância. 28 de agosto de 1922.

GUERNER, Nuno. A Educação Hygienica na Escola. These apresentada à escola de hygiene e Saúde Pública Johns Hopkins University-Baltimores, Estados Unidos. Revista da Sociedade de Educação, Vol. II – nº 4 – 1924.

ALMEIDA JUNIOR, A. Cartilha de Hygiene. São Paulo, 1923.

MAGALHAES, Antonio Simão de. Do aleitamento materno. FMSP, 1913.

MARQUES, Marília Bernardes. Discursos médicos sobre seres frágeis. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2000.

MATOS, Maria Izilda S. Cotidiano e Cultura, SP, E@manuscrito, 2018.

MATOS, Maria Izilda Santos de. Meu Lar é o Botequim – Alcoolismo e Masculinidade. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2000.

MATOS, Maria Izilda S. e OLIVEIRA, Iranilson Buriti de. “Para maior glória do nosso Brasil”: educação e cuidados para a saúde bucal infantil, 1912-1940. In: História, ciência, saúde-Manguinhos vol.25 no.4 Rio de Janeiro out./dez. 2018, pp.

NIEMEYER, Carlos Augusto da Costa. Parques Infantis de São Paulo: Lazer como expressão de cidadania. São Paulo: Annablume, 2002.

OLIVEIRA, Sueli Teresa de. Escolarização profissional Feminina em São Paulo, nos Anos 1910/20/30. In: Projeto História, São Paulo, n. º11, novembro, 1994.

PASCARELI, Vicente. Da proteção a primeira infância em São Paulo, FMSP, 1926.

PAULA, David Ferreira de. A infância e o poder: A recreação no parque infantil e sua implicação social (1930-1945). Dissertação (Mestrado em História), UNESP, Assis, 1992.

Pelo Brasil futuro. Revista de Hygiene e Saúde Pública. s/a, s/d.

PERROT, Michelle. “Qu´est-ce qu´um métier de femme?” In: Lê Mouvement Social, n. 140, Lês Éditions Ouvrières, Paris, juillet/septembre, 1987.

QUINTANILHA, Ivo Lindemberg. Higiene pré-natal. FMSP, 1927.

REZENDE, Eliana Almeida de Souza. Construindo imagens, fazendo clichês: fotografias pela cidade. Anais do Museu Paulista. São Paulo, n. Sér. V. 15, n. 1, p. 115-186, jan. jun., 2007.

RIBEIRO, Maria Alice Rosa. História sem fim...Inventário da saúde pública. São Paulo (1880-1930). São Paulo, Editora da Unesp, 1993, p. 246.

ROCHA, Heloísa Helena Pimenta. A Educação Sanitária como profissão feminina. Cadernos Pagu (24), Janeiro-junho de 2005, PP. 69-104.

ROXO, Henrique. "Perturbações nervosas e mentais que se observam as doenças do útero e dos ovários". In: Tribuna Médica, ano XXXII, 1928.

SENNET, Richard. O declínio do homem público. SP, Cia das Letras, 1988.

SILVEIRA, Alfredo Balthazar da. O Filme cinematógrafo como fator de delinquência infantil. Primeiro Congresso Brasileiro de Proteção à Infância (1922).

SOUZA, Geraldo Horácio de Paula Souza. Anais do Primeiro Congresso Brasileiro de Hygiene, outubro, 1923.

SOUZA, Geraldo Horácio de Paula, CINTRA, A. de Ulhôa, CARVALHO, Pedro Egydio. Inquérito sobre a alimentação popular em um bairro de São Paulo. Boletim do Instituto de Higiene de São Paulo. São Paulo, 1935.

SOUZA, Geraldo Horácio de Paula, VIEIRA, Francisco Borges. Centro de Saúde: “Eixo” da Organização Sanitária. Boletim do Instituto de higiene de São Paulo, São Paulo, Imprensa Oficial, reeditado em 1944.

SOUZA, Geraldo Horácio de Paula. Algumas considerações sobre a mortalidade infantil em São Paulo. Annaes Paulista de Medicina e Cirurgia – Volume XIV – n. º 12 – 1923.

SOUZA, Geraldo Horácio de Paula. Deverão os serviços de proteção e higiene da criança ser entregues aos Estados, ou ficar subordinados à administração Federal? Revista de Higiene e Saúde Pública. Rio de Janeiro, 1933, p. 99.

SOUZA, Geraldo Horácio de Paula. Relatório Anual, 1920.

SILVA, Tânia Soares da. Da Panacéa para Hygéa: crianças, mulheres e famílias no discurso médico. São Paulo: E@manuscrito, 2018.

TRINDADE, Etelvina Maria de Castro. Clotildes ou Marias. Mulheres de Curitiba na Primeira República. Curitiba: Ed. Fundação Cultural - Farol do Saber, 1996.

VASCONCELOS, Maria da Penha C. Memórias da Saúde Pública: a fotografia como testemunha. São Paulo- Rio de Janeiro - Hucitec/Abrasco,1995.

VIEIRA, Francisco Borges e SOUZA, Geraldo Horácio de Paula. A Mortalidade nos Escolares e suas principais causas no município de São Paulo. Congresso Brasileiro de Hygiene, 1923.

VIEIRA, Francisco Borges. Noções sobre as doenças transmissíveis mais commumente encontradas no meio escolar. Série de Vulgarização Sanitária. Instituto de Hygiene de São Paulo. Imprensa Oficial do Estado, 1935.

Publicado
2021-12-17
Como Citar
Santos Matos , M. I. ., & Soares da Silva, T. . (2021). Corpos e maternidade na Paulicéia desvairada (São Paulo inícios do século XX). Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 18(2), 25-48. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v18i2.1157