Imagens latino-americanas

o fragmento como questão e a montagem como forma de operar

Palavras-chave: América Latina, Arte, Imagem, Montagem

Resumo

O presente artigo tece reflexões sobre imagens latino-americanas em diálogos com uma teoria da montagem. O texto está dividido em três partes. Na primeira, analisa-se como a historiografia da arte – desde as últimas décadas do século XX – aponta significativas aberturas para questões mais alargadas da imagem. Na segunda parte, apresenta-se teorias da montagem embasadas nas experiências que dois intelectuais, significativamente utilizados na história da arte, com base em suas viagens à América: Aby Warburg e Sergüei Eisentein. Num terceiro momento, estuda-se a proposta do Museu de Arte Latino-Americano que em suas salas expõe imagens que contemplam fragmentos de uma heterogeneidade. Neste momento do texto, foram também expressas três propostas montagens de imagens, onde as mesmas se encostam pelo problema proposto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADES, Dawn. Arte na América Latina. A Era Moderna, 1820-1980. São Paulo: Cosac & Naify, 1997.

AMARAL, Aracy. Trópicos de Capricórnio. Vol. 2. São Paulo: Editora 34, 2006.

___________. Tarsila do Amaral: sua obra e seu tempo. São Paulo: Tenenge, 1986.

BARRAGÁN, Elsa García. El pintor Juan Cordero. Los días y las obras. Ciudad de México: Universidad Nacional Autónoma de México, 1984.

BARRIO, Artur. Registro de Trabalho. Rio de Janeiros: Edições FUNARTE, 1981.

BARRATA, Mário. Século XIX. Transição e início do século XX. In: ZANINI, Walter. História Geral da Arte no Brasil. Volume 1. São Paulo: Instituto Moreira Salles, 1983.

BELTING, Hans. Antropologia da Imagem. Lisboa: KKYM, 2014.

___________. O fim da história da arte. São Paulo: Cosac Naif, 2012.

BREDEKAMP, Horst. Teoria do ato icônico. Lisboa: KKYM, 2015.

BUENAVENTURA, Júlia. Isto não é uma obra de arte: arte e ditadura. In: Revista Estudos Avançados, 2014.

BURUCÚA, José Emílio. Repercussões de Warburg na América Latina. In: Revista Concinnitas, 2012.

CAMNITZER, Luís. Arte contemporânea colonial. In: FERREIRA, Glória; COTRIM, Cecília (orgs.). Escritos de Artistas. Anos 60/70. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2006.

CANONGIA, Ligia. Barrio Dinamite. In:_ (org.). Artur Barrio. Modo Edições, 2002.

CLARK, Kenneth. O nu. Um estudo sobre o ideal em arte. Lisboa: Editora Ulisseia, 1956.

CONDURU, Roberto. Arte Afro-brasileira. Belo Horizonte: Editora C/Arte, 2012.

DANTO, Arthur. O descredenciamento filosófico da arte. Belos Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem sobrevivente. História da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2013b.

_____________. Diante da Imagem. Questões colocadas ao fim de uma história da arte. São Paulo: Editora 34, 2013a.

______________. Venus rajada. Desnudez, sueño, crueldad. Madrid: Editorial Losada, 2005.

______________. L’œil de l’histoire : Tome 6, Peuples en larmes, peuples en armes. Paris : Minuit, 2016.GIRAUDO, Victoria. Colección Malba del arte moderno al arte conceptual 1900-1970. In: Colección Malba. Arte Latino-americano siglo XX Colección Malba. Buenos Aires: Akian Gráfica Editora, 2018.

MORAES, Frederico. Introdução. In: Frida Kahlo. O diário de Frida Kahlo. Um retrato intimo. Rio de Janeiro: Editora José Olympo, 2015.

NAVAS, Adolfo Montejo. A constelação Artur Barrio (inscrições). In: CANANGIA, Ligia (org.). Artur Barrio. Modo Edições, 2002.

NEAD, Lynda. El desuno femenino. Arte, Obscenidad y sexualidad. Madrid: Alianza Editorial, 2013.

MICHAUD, Yves. Visualizações – O corpo e as artes visuais. In: COURTINE, Jean-Jacques. História do Corpo. Volume 3: as mutações do molhar. O século XX. Petrópolis: Editora Vozes, 2008.

MOLINA, Fulvia. Arte, Memória e Direitos Humanos. In: Revista Lua Nova. São Paulo, 99, p.101-115, 2015.

NEAD, Lynda. Desnudo feminino. Arte, obscenidade. Madrid: Alianza Editorial, 2013.

OLIVA, Fernando e PEDROSA, Adriano. Tarsila Popular. In: Catálogo da Exposição Tarsila Popular. São Paulo: MASP, 2019.

OLIVEIRA, Claudia. A Carioca de Pedro Américo: gênero, raça e miscigenação no Segundo Reinado. In: Revista Caiana, v.2, anos 2013.

PACHECO, Marcelo E. Guia coleção MALBA. Buenos Aires, Funcación Eduardo F. Costantini, 2011.

PANOFSKY, Erwin. Significado nas artes visuais. São Paulo: Perspectiva, 2011.

PEDROSA, Adriano. Artur Barrio. In: HERKENHOFF, Paulo e PEDROSA, Adriano (curadores). XXVI Bienal de São Paulo. Exposição de arte contemporânea brasileira: um e/entre outro/s. São Paulo: A Fundação, 1998.

PEREIRA, Sônia Gomes. Arte Brasileira no século XIX. Belo Horizonte: Editora C/Arte, 2011.

RIEGL, Alois. Question de style. Paris: Hazan, 2002.

RUBIO, Agustín Pérez. Historia abierta, tiempo múltiple. La colección Malba desde otro giro. In: Verboamérica. Catálogo do Museu de Arte Latino-americana, 2016.

SARDENBERG, Ricardo. Arte contemporânea do século XXI. 10 artistas brasileiros no circuito internacional. Rio de Janeiro: Editora Capivara, 2011.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Sobre o anarquivamento – um encadeamento a partir de Walter Benjamin. In: Revista Poésis. Volume 15, número 24, 2014.

SOMAINI, Antonio. Généalogie, morphologie, anthropologie des images, archéologie des médias”. In: Sergueï M. Eisenstein, Notes pour une histoire générale du cinéma.

TOSCANO, Salvador. Juan Cordero y la pintura mexicana en el siclo XIX. Leon: Universidade Nova de Leon, 1946.

VASARI, Giorgio. Vidas dos artistas. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

WARBURG, Aby. Atlas Mnemosyne. Madri: Editora AKAL, 2012.

___________. História de Fantasmas para gente grande. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

WOLFFLING, Henrich. Conceitos fundamentais da história da arte. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

ZANINI, Walter. Arte Contemporânea. In:_ História Geral da Arte no Brasil. Volume 1 e 2. São Paulo: Instituto Moreira Salles, 1983.

KEETNMANN, Andrea. Frida Kahlo. Dor e Paixão. Colônia: Taschen, 2001.

KERN, Maria Lúcia. Arte Argentina. Tradição e Modernidade. Porto Alegre: Editora PUCRS, 1996

Publicado
2021-12-17
Como Citar
Queiroz Campos, D. . (2021). Imagens latino-americanas: o fragmento como questão e a montagem como forma de operar. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 18(2), 434-457. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v18i2.1166