Os processos e as formas da expansão do espaço intraurbano decorrente da ferrovia

uma análise das cidades de Araraquara/SP e Campina Grande/PB

  • Fernanda de Lima Lourencetti Universidade de Évora– Portugal https://orcid.org/0000-0001-5649-8774
  • Elizângela Justino de Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - IFPB
Palavras-chave: Urbanização, Intraurbano, Ferrovias, Araraquara/SP, Campina Grande/PB

Resumo

As estradas de ferro construídas no Brasil contribuíram para a expansão dos núcleos urbanos, criaram cidades e dinamizaram economias. Algumas urbes tiveram suas atividades mais aquecidas que outras, mas, de maneira geral, quando sobreveio a crise do sistema ferroviário, muitas viram suas estações ferroviárias serem suprimidas. Nesse sentido, este artigo tem como objetivo analisar comparativamente o processo de formação do espaço intraurbano das cidades de Araraquarara/SP e Campina Grande/PB, decorrente da implantação de suas ferrovias. Mesmo sendo exemplos localizados em regiões distintas do território brasileiro, a análise indica que essas cidades são tipos representativos dos processos de crescimento urbano ocorridos em outras urbes do Brasil, as quais tiveram na produção agroexportadora motivo de atração da ferrovia, tendo as condições de cidade “Boca de Sertão” e ferroviária lhes permitido uma grande dinâmica, a qual repercutiu diretamente e de forma semelhante na expansão dos seus espaços intraurbanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Francisco Jose de Lacerda e. Diário de viagem de D. Francisco José Lacerda e Almeida pelas Capitanias do Pará, Rio Negro, Mato Grosso, Cuiabá e São Paulo, de 1780 a 1790. São Paulo: Na Typ. de Costa Silveira, 1841.

ALMEIDA, Elpidio de. História de Campina Grande. (2 ed.) João Pessoa: Editora Universitária-UFPB, 1978.

AZEVEDO, Aroldo de. Vilas e cidades do Brasil colonial: ensaio de geografia urbana retrospectiva. Terra Livre – AGB, São Paulo, n. 10, 1992, p. 23-78.

BARCELLONE, Wilson Lopes Christensen. O avanço da indústria no oeste paulista: o Ramal Ferroviário da Alta Paulista, Alta Araraquarense, Noroeste, Sorocabana (Iniciação Científica), São Paulo, FAPESP, 2009.

BERGAMIM, Francisco de Assis. E era assim... Abrindo as cortinas de ferro das memórias dos trabalhadores das oficinas E.F.A. 2015. 267f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente) - Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, 2015.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

BRASIL. Ministério da Indústria, Viação e Obras Públicas. Relatório apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Industria, Viação e Obras Públicas, Miguel Calmon du Pin e Almeida, v. I. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1907.

CÂMARA, Epaminondas. Datas campinenses. Campina Grande-PB: Ed. Caravela, 1998.

CÂMARA, Epaminondas. Os alicerces de Campina Grande: Esboço Histórico-Social do povoado e da vila (1697-1864). Campina Grande-PB: Ed. Caravela, 1999.

CAPEL, Horácio. La morfologia de los edificios industriales. In: La morfologia de las ciudades. II. Aedes facere: técnica, cultura y clase social en la construcción de edificios. Barcelona (ES): Ediciones del Serbal, 2005, p.525-573. (Colección La estrela polar).

________. Ferrocarril, territorio y ciudades. Biblio 3W Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, v. xii, n. 717, 2007.

CLAUDE, Levi.-Strauss. Tristes Tropiques. Librarie Plon, 1955.

CORRÊA, Anna Maria Martinez. Araraquara 1720-1930: um capítulo da história do café em São Paulo. São Paulo: Cultura Acadêmica. 2008.

DEFFONTAINES, Pierre. Como se constituiu no Brasil a rede de cidades. Boletim Geográfico, v.14, p. 141-148, 1944.

FRANÇA, Antonio M. (org.). Álbum de Araraquara de 1915. Araraquara, 1915.

GEIGER, Pedro Pinchas. Evolução da rede urbana brasileira. Rio de Janeiro: Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais, 1963.

GONÇALVES, Regina Célia. et al. A questão urbana na Paraíba. (V. 3). João Pessoa: editora universitária, 1999.

INSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO. Municípios e Distritos do Estado de São Paulo, 1995.

JOFFILY, Irinêo. Notas sobre a Parahyba. Rio de Janeiro: Typographia do “Jornal do Commercio” de Rodrigues & C., 1977 [1892].

MAIA, Doralice Sátyro. Das cidades tradicionais a centros Históricos: o núcleo original e o centro histórico das cidades médias brasileiras. In: BELLET, Carmen.; SPÓSITO, Maria Encarnação Beltrão. (Org.). Las ciudades medias o intermedias em um mundo globalizado. Lleida – ES: Edición de la Universitat de Lleida, 2009, p. 179-202.

_______. A ferrovia nas cidades bocas de Sertão. Terra Brasilis, n. 8, p. 1-17, 2017a.

_______. Cidades Bocas de Sertão: sobre a origem e a constituição do núcleo primaz e os primeiros indícios do processo de urbanização. In: MAIA, Doralice Satyro; SILVA, William Ribeiro da; WHITACKER, Arthur Magon. (org.). Centro e centralidade em cidades médias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2017b, p. 27-59.

MARTINS, Felipe Turioni; BERGAMIM, Francisco de Assis. Máquina estranha que consumia água e carvão e cuspia fumaça. Centro Universitário de Araraquara, Livro-Reportagem, 2012.

ROLNIK, Raquel. A cidade e a lei. Legislação: Política Urbana e Territórios na cidade de São Paulo. São Paulo, Studio Nobel: FAPESP, 1997.

SANTOS Y GANGES, Luis. Urbanismo y ferrocarril: La construcción del espacio ferroviario en las ciudades medias españolas. Madrid: Fundación de los Ferrocarriles Españoles, 2007.

TELAROLLI, Rodolpho. Para uma história de Araraquara (1800-2000). Editora Unesp, 2003.

VASCONCELOS NETO, Américo Maia. A política ferroviária brasileira (1835-1945): 110 anos de acertos e desacertos na construção da malha ferroviária nacional. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2018. v 1.

VILLAR, Euclydes. (dir.). Almanach de Campina Grande. Campina Grande: Tipographia da Livraria Campinense, 1933. Ano I

VILLAÇA, Flávio. Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel: FAPESP: Lincoln Institute, 2001.

Publicado
2021-12-17
Como Citar
de Lima Lourencetti, F., & Justino de Oliveira, E. . (2021). Os processos e as formas da expansão do espaço intraurbano decorrente da ferrovia: uma análise das cidades de Araraquara/SP e Campina Grande/PB. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 18(2), 526-547. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v18i2.1171