A escrita literária da Farroupilha

o caso a Divina Pastora

Palavras-chave: História intelectual, Literatura, Lugar social, Teoria da história

Resumo

O presente trabalho quer examinar como o lugar social se articula com a construção de sentido na narrativa da literatura. O período e o espaço investigados são o primeiro quartel de Brasil pós-Independência. O objetivo é analisar como foi construída a narrativa sobre a Farroupilha no contexto denominado a “Construção da Ordem”. Para isso, examina-se o romance A divina pastora, de Caldre e Fião. O problema que norteia o artigo é saber como o lugar social contribuiu para a construção de sentido da Farroupilha. Conclui que a operacionalidade do lugar social de produção do romance foi decisiva como elemento da constituição de sentido da sua narrativa sobre a Farroupilha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALONSO, Angela. Crítica e contestação: o movimento reformista da geração 1870. In: Revista brasileira de ciências sociais, vol. 15, n.º 44 outubro de 2000.

ARAUJO, Valdei Lopes de. A experiência do tempo: conceitos e narrativas na formação nacional brasileira (1813-1845). São Paulo: Aderaldo & Rothschild, 2008.

ASSIS BRASIL, Joaquim Francisco. (1882). História da República Rio-Grandense. Porto Alegre: ERUS, 1981.

BOEIRA, Luciana Fernandes. Entre história e literatura: a formação do panteão rio-grandense e os primórdios da escrita da história do Rio Grande do Sul no século XIX. Porto Alegre: IFCH/UFRGS, 2009. Dissertação (Mestrado em história).

CALDRE E FIÃO, José Antonio do Vale. (1847). A divina pastora. Porto Alegre: RBS, 1992.

CÂMARA, Antônio Manuel Correia. (1846). Reflexões sobre o generalato do Conde de Caxias: Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1938.

CANDIDO. Antonio. A formação da literatura brasileira: Momentos decisivos. Rio de janeiro: Ouro sobre azul, 2013.

CARVALHO, José Murilo de. A vida política. In: CARVALHO, José Murilo de (org.). A construção nacional 1830-1889. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

CARVALHO, José Murilo de. Introdução. In: VASCONCELOS, Bernardo Pereira. Bernardo Pereira de Vasconcelos. Organização e introdução de José Murilo de Carvalho. São Paulo: Ed. 34, 1999.

CERTEAU, Michel. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

CEZAR, Temístocles. Presentismo, memória e poesia. Noções da escrita da história no Brasil oitocentista. In: PESAVENTO, Sandra. Escrita, linguagem, objetos: Leituras de história cultural. Bauru: Edusc, 2004. (A)

CEZAR, Temístocles. Narrativa, cor local e ciência: Notas para um debate sobre o conhecimento histórico no século XIX. In: História Unisinos, vol. 8, n.º 10, jul/dez, 2004. (B)

CHAVES, Flávio Loureiro. Um texto resgatado. In: Caldre e Fião, José Antonio do Vale. A divina pastora. Porto Alegre: RBS, 1992.

COUTINHO, Saturnino de Souza e Oliveira. (1841-1842). Bosquejo histórico e documentado e negócios do Rio Grande. Porto Alegre: Corag, 1986.

DOLHNIKOFF, Miriam. O pacto imperial: origens do federalismo no Brasil do século XIX. São Paulo: Globo, 2005.

GOMES, Carla Renata Antunes de Souza. De Rio-Grandense a Gaúcho: o triunfo do avesso – um processo de representação regional na literatura do século XIX (1847-1877). Porto Alegre: Editora Associadas/Secretaria Municipal de Cultura – Prefeitura de Porto Alegre, 2009.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Historiografia e nação no Brasil: 1838-1857. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

KOSSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2006.

LAZZARI, Alexandre. Entre a grande e a pequena pátria: letrados, identidade gaúcha e nacionalidade (1860/1910). Unicamp/IFCH, 2004. Tese (Doutorado em história).

LIMA, Luiz Costa. O controle do imaginário & a afirmação do romance: Dom Quixote, As relações perigosas, Mool Flanders, Tristram Shandy. São Paulo: Cia das Letras, 2009.

MAGALHÃES, Gonçalves. Ensaio sobre a história da literatura. Niterói, Revista Brasiliense. Ciência, Letras e Artes. Paris: Dauvin et Fontaine, libraires, 1836. Tomo 1.

RÜSEN, Jörn. História viva: teoria da história: formas e funções do conhecimento histórico. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2007.

THIESSE, Anne-Marie. Ficções criadoras: as identidades nacionais. Anos 90, Porto Alegre, n.º 15, 2001/2002.

TOMASI, Greice. Leituras na fronteira: um estudo sobre a relação entre literatura e história nas obras de Caldre e Fião. Caxias do Sul: UCS/CCS, 2007. Dissertação. (Mestrado em História).

Publicado
2021-12-17
Como Citar
Antunes Soares, F. A. . (2021). A escrita literária da Farroupilha: o caso a Divina Pastora. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 18(2), 641-659. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v18i2.1178