ESTUDO GENEALÓGICO E MESSIANISMO PORTUGUÊS

O REI PARA BANDARRA

  • Leandro Henrique Magalhães Centro Universitário Filadélfia – UniFil
Palavras-chave: Trovas de Bandarra, Messianismo Português, Genealogia

Resumo

Bandarra foi um sapateiro que viveu na Vila de Trancoso, no século XVI, comunidade cristã nova localizada na região da Beira. Foi detido pela inquisição devido a autoria de trovas de caráter messiânico que, apesar de proibida, adquire importância junto a tradição profética lusitana, tornando-se fundamental para os estudiosos do sebastianismo e da restauração portuguesa. Nesta obra são apontados diversos problemas sociais que, segundo Bandarra, só seriam resolvidos após a vinda de um líder, um rei que retomasse a ordem e, ao mesmo tempo, mantivesse em curso o processo de expansão ultramarina e de guerra contra os mouros. É neste sentido que o autor identifica, em suas Trovas, este rei, apresentando suas características e nos dando pistas genealógicas. Pretendemos, aqui, como fizeram os sebastianistas e restauracionistas, identificar quem era o rei referido. De certa forma, trilharemos os mesmos caminhos de seus leitores, ao buscar pistas e formular argumentos para legitimar a interpretação aqui proposta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Henrique Magalhães, Centro Universitário Filadélfia – UniFil

Doutor em História pela Universidade Federal do Paraná – UFPR. Professor do Centro Universitário Filadélfia – UniFil, de Londrina-PR.

Referências

AMEAL, João. História de Portugal. Porto: Tavares Martins, 1949.

BANDARRA, Gonçalo Annes. “Profecias” do Bandarra. Lisboa: Vega, 1989.

BESSELAR, José Van. O Sebastianismo: História Sumária. Lisboa: Biblioteca Breve/ Instituto de Cultura e Língua Portuguesa/ Ministério da Educação e Cultura, 1987.

CASTRO, D. Iom. Paraphrase et Concordancia de Alguas Propheçias de Bandarra, Çapateiro de Trancoso. 1603.

DAMIÃO, Peres. História de Portugal. Palestras na Emissora Nacional: O Século dos Descobrimentos. Porto: Portucalense, 1966.

GÓIS, Damião. Crónica do Felicíssimo Rei D. Manuel. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1926.

GOMES DA SILVA, Nuno J. Espinosa. História do Direito Português: Fontes de Direito. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1985.

HERMANN, Jacqueline. No Reino do Desejado: a Construção do Sebastianismo em Portugal (séculos XVI e XVII). São Paulo: Cia. das Letras, 1998.

HESPANHA, Antonio Manuel. A Restauração Portuguesas nos capítulos das cortes de Lisboa de 1641. In: HESPANHA, Antonio Manuel. (Dir.). A Restauração e sua Época. Lisboa: Cosmos, 1993.

LIPINER, Elias. O Sapateiro de Trancoso e o Alfaiate de Setúbal. Rio de Janeiro: Imâgo, 1993.

MAGALHÃES, Leandro Henrique. A Legitimidade da Restauração Portuguesa a partir do Discurso do Padre Antonio Vieira. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 2006.

MAGALHÃES, Leandro Henrique. Poder e Sociedade no Reino de Portugal no Século XVI: as Trovas de Bandarra. 2004. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Paraná – UFPR, Curitiba, 2004.

MARQUES, A. H. de Oliveira. Breve História de Portugal. Lisboa: Presença, 1996.

MONTEIRO, John. História & Utopias. São Paulo: ANPUH/CNPq, 1996.

PINA, Ruy de. Crônica de El-Rei D. João II. Coimbra: Atlântida, 1950.

SERRÃO, Joaquim Veríssimo. História de Portugal: A Restauração e a Monarquia Absoluta (1640 - 1750). Lisboa: Verbo, 1982.

OUTRAS FONTES

PROCESSO DE GONÇALO ANNES BANDARRA. n. 7197 – Pasta 08. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Decifração Paleográfica de Arnaldo da Soledade. Câmara Municipal de Trancoso, 1996. Disponibilizado no Real Gabinete Português de Leitura.

Publicado
2009-09-30
Como Citar
Magalhães, L. H. . (2009). ESTUDO GENEALÓGICO E MESSIANISMO PORTUGUÊS: O REI PARA BANDARRA. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 6(3), 1-10. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/200