REPRESENTAÇÃO DA FEMINILIDADE POR MEIO DO STAR SYSTEM NORTE-AMERICANO NA REVISTA ALTEROSA (1939-1945)

  • Gelka Arruda de Barros Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais- IFMG
Palavras-chave: revista Alterosa, mulher, ordem conjugal, star system, Estado Novo

Resumo

Este artigo analisa a estratégia discursiva presente na revista Alterosa com o intuito de compreender a representação da feminilidade por meio do star systemnorte-americano, entre 1939 e 1945. A primeira seção aborda, brevemente, algumas relações entre o rádio nacional e o cinema norte-americano apresentando a construção de imagens modelo das rainhas do rádio e das estrelas de cinema. A investigação trata dos atributos e dos comportamentos desejáveis para a conformação da feminilidade voltada para a valorização da ordem conjugal. A segunda seção apresenta o entrelaçamento das noções de beleza e saúde como elementos de mobilização feminina para a prática de exercícios físicos e para o chamamento de guerra, analisando como esses discursos dirigiam a mulher para a maternidade sadia e para o cuidado com o outro. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEVEDO, Lia C. No tempo do rádio: radiofusão e cotidiano no Brasil (1923-1960). Tese (Doutorado em História). Universidade Federal Fluminense, 2002.

BARBOSA, Marialva C. Comunicação e História: presente e passado em atos narrativos. Comunicação, mídia e consumo. São Paulo, v.6, n. 16, jul. 2009.

BERGER, John. Modos de Ver. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

DEL PRIORI, Mary. Corpo a corpo com a mulher: pequena história das transformações do corpo feminino no Brasil. São Paulo: Senac, 2000.

COSTA, Maria Cristina Castilho. Sociologia: introdução à ciência da sociedade. 3 ed. São Paulo: Moderna, 2005.

GOELLNER, Silvana Vilodre. As mulheres fortes são aquelas que fazem uma raça forte: esporte, eugenia e nacionalismo no Brasil no início do século XX. Recorde. Rio de Janeiro, vol. 1, n. 1, jun. 2008.

LINDSAY, Patricia. OUÇA OS CONSELHOS QUE LHE DA DEANNA DURBIN. Alterosa, ano IV, n. 30, setembro de 1942.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

MAIA, Cláudia J. Genealogia da solteirona no Brasil. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 26, 2001, São Paulo. Anais… São Paulo: ANPUH, 2001.

MAIA, Cláudia de J. A invenção da solteirona: conjugalidade moderna e terror moral – Minas Gerais (1890-1948). Tese (Doutorado em História). Universidade de Brasília, 2007.

MALUF, Marina; MOTT, Lúcia. Recônditos do mundo feminino. In: SEVCENKO, Nicolau. (Org). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Cia das letras, 2004.

PERROT, Michelle. Os silêncios do corpo da mulher. In: MATOS, Maria Izilda Santos de; SOIHET, Raquel (Orgs.). O corpo feminino em debate. São Paulo: Unesp, 2003.

SILVA, Soraia. Poemadançando Gilka Machado e Eros Volúsia. Brasília: UNB, 2007.

SCOTT, Joan Wallach. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 20, n. 2, jul./dez. 1995.

SIMILI, Ivana G. O que virou moda? As voluntárias da Legião Brasileira de Assistência no Jornal Correio da Manhã. In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA, 18., 2006, Assis. Anais… Assis: ANPUH/SP – UNESP, 2006.

TOTA, Antonio Pedro. O imperialismo sedutor: a americanização do Brasil na época da Segunda Guerra. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

Publicado
2020-08-13
Como Citar
Barros, G. A. de . (2020). REPRESENTAÇÃO DA FEMINILIDADE POR MEIO DO STAR SYSTEM NORTE-AMERICANO NA REVISTA ALTEROSA (1939-1945). Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 17(1), 285-302. https://doi.org/10.35355/0000055