TEATRO DE RUA, RECEPÇÃO E IDENTIDADES

OIGALÊ, TCHÊ!

  • Taís Ferreira Universidade Federal de Pelotas – UFPel
Palavras-chave: Teatro de rua, Recepção, Identidade

Resumo

Este artigo trata de questões relativas à recepção do teatro de rua a partir de experiências da Cooperativa de Artistas Teatrais Oigalê (RS). Para tanto, discutem-se técnicas e estratégias de encenação voltadas à recepção desenvolvidas nos espetáculos de teatro de rua do grupo. O debate volta-se à ressignificação efetuada pela Oigalê na criação de seus personagens gaudérios, construíndo uma nova recepção da identidade gaúcha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taís Ferreira, Universidade Federal de Pelotas – UFPel

Mestre em Educação pela UFRGS. Professora do curso de Licenciatura em Teatro da UFPel.

Referências

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire: A Lyric Poet in the Era of High Capitalism. Tradução de Harry Zohn. London: Verso, 1983

CARREIRA, André. El teatro callejero em la Argentina y en el Brasil democráticos de la década del 80. Buenos Aires: Editorial Nueva Generación, 2003.

CRUCIANI, Fabrizio; FALLETTI, Clélia. Teatro de rua. São Paulo: HUCITEC, 1999.

Publicado
2010-12-10
Como Citar
Ferreira, T. . (2010). TEATRO DE RUA, RECEPÇÃO E IDENTIDADES: OIGALÊ, TCHÊ!. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 7(3), 1-19. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/280