TEMPOS, MUNDOS E HISTÓRIAS MADIJA

  • Wladimyr Sena Araújo Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO
Palavras-chave: Cosmologia, História, Madija

Resumo

 Este artigo tem como finalidade mostrar como os Madija, povo indígena da família Arauá (habitantes do sul do Amazonas, região central do Acre e, também, do Peru), concebem os tempos através de suas histórias, articulando-as com suas visões de mundos. Para isso, toma como exemplo o sistema dsoppineje como confluência de tempos, mundos e histórias. O dsoppineje é o sistema de saúde desse povo e o motivo central de sua existência. Os Madija vivem em constante conflito com a doença e buscam, frequentemente, a saúde. Esta relação é mítica e se materializa no cotidiano das aldeias por meio de enfermidades, geralmente causada por seres a mando de terceiros. Neste contexto, o xamã (também chamado de dsoppineje) desempenha o papel de buscar o reestabelecimento daqueles que estão em desequilíbrio físico e espiritual. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Maria Celestino de. Os índios na história do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

ALTMANN, Lori. Madija: um povo entre a floresta e o rio – trilhas de produção simbólica Kulina. 1994. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Instituto Metodista de Ensino Superior, São Bernardo do Campo, 1994.

______. Maittaccadsama: categorias de espaço e tempo como referenciais para a identidade Kulina (Madija). 2000. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2000.

ARAÚJO, Wladimyr Sena. Breve histórico de ocupação territorial do Acre. In: ACRE. Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente. Zoneamento ecológico-econômico do estado do Acre. Rio Branco: SECTMA, 2000. p. 151-158.

______. Relatório do etnozoneamento da terra indígena Kulina do rio Envira. Rio Branco: SEMA, 2012.

______. Richard Spruce e Alfred Russel Wallace: naturalistas do século XIX e o encontro com caapi. Jamaxi, Rio Branco, v. 2, n. 2, p. 141-158, 2018. Disponível em: <https://periodicos.ufac.br/index.php/jamaxi/article/view/2267>. Acesso em: 24 fev. 2020.

BALESTRA, Aline Alcarde. Tempos mansos: história, socialidade e transformação no Juruá-Purus indígena. 2013. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Departamento de Antropologia, Universidade de Brasília, Brasília, 2013. Disponível em: <https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/13210/1/2013_AlineAlcardeBalestra.pdf>. Acesso em: 28 fev. 2020.

CERQUEIRA, Felipe Agostini. Os mundos, os corpos e os objetos: o xamanismo como troca entre os Madiha e outros seres. 2015. Tese (Doutorado em Sociologia e Antropologia) – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

FUNAI. Área indígena Culina do Médio Jurua e área indígena Cacau do Itarauacá: proposta para delimitação. Rio Branco: Funai, 1985. Relatório datilografado. Disponível em: <https://acervo.socioambiental.org/sites/default/files/documents/KVD00020.pdf>. Acesso em: 2 mar. 2020.

IGLÉSIAS, Marcelo Manuel Piedrafita. Os Kaxinawá de Felizardo: correrias, trabalho e civilização no Alto Juruá. 2008. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2008. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cp064338.pdf>. Acesso em: 1 mar. 2020.

INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaio sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis: Vozes, 2015.

POLLOCK, Donald K. Kulina shamanism: gender, power and knowledge. In: E. Jean Langdon and G. Baer (Eds.). Portals of power: shamanism in South America. Albuquerque: University of New Mexico Press, 1992. p. 25-40.

TASTEVIN, Constantin. Informações sobre Kulina e Kaxinawá no Tarauacá e Acuraua. [S.l.], 1908-1914. Manuscrito. Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro).

______. Le “Riozinho da Liberdade”. La Geographie, t. 489, n. 3-4, p. 205-215, 1928.

TAUSSIG, Michael. Xamanismo, colonialismo e o homem selvagem: um estudo sobre o terror e a cura. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Os Culina do Alto Rio Purus. Rio de Janeiro: Museu Nacional, 1978. Relatório datilografado.

Publicado
2020-08-14
Como Citar
Araújo, . W. S. . (2020). TEMPOS, MUNDOS E HISTÓRIAS MADIJA. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 17(1), 45-65. https://doi.org/10.35355/0000042