DISCUTINDO A ARTE DE TOM ZÉ

NAS INCURSÕES PELA HERMENÊUTICA E ESTÉTICA

  • Emília Saraiva Nery Universidade Federal de Uberlândia – UFU
Palavras-chave: Hermenêutica, Estética, Tom Zé

Resumo

Este artigo trata, inicialmente, de uma problematização sobre o lugar “privilegiado” dos músicos, especialmente do baiano Tom Zé, para interpretar suas canções e trajetórias musicais. Em seguida, aborda-se o debate sobre a existência de uma hierarquia entre a Literatura e a Canção na proposta de uma linha evolutiva na Música Popular Brasileira. Por fim, aponta-se os elementos questionadores das noções de autor e obra na arte de Tom Zé, tais como: o plágio de outras músicas e o princípio da obra aberta.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emília Saraiva Nery, Universidade Federal de Uberlândia – UFU

Docente de História pela Secretaria de Educação do Estado do Piauí. Doutoranda em História pela Universidade Federal de Uberlândia-UFU e mestre em História do Brasil pela Universidade Federal do Piauí - UFPI. Integrante do grupo de pesquisa História, Cultura e Subjetividade, do CNPq.

Referências

ARÁUJO, Paulo César de. Eu não sou cachorro, não. Rio de Janeiro: Record, 2005.

BARTHES, Roland. O rumor da língua. Trad. Antonio Gonçalves. Lisboa : Edições 70, 1984.

CAMPOS, Augusto de. Balanço da Bossa e outras bossas. São Paulo: Perspectiva, 1974.

CANDÉ, Roland de. História universal da música: Vol. 2. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

CONTIER, Arnaldo. Linguagem e Ideologia – o mosaico dos desejos. In: Brasil novo – Música, nação e modernidade: os anos 20 e 30. 1988. Tese (Livre-docência em História) – USP, São Paulo, 1988.

DUNN, Christopher. Participação, Música Pop e o Som universal. In: Brutalidade Jardim: a Tropicália e o surgimento da contracultura brasileira. São Paulo: Unesp, 2009.

FAVARETTO, Celso Fernando. Tropicália – Alegoria, Alegria. São Paulo: Ateliê Editorial, 1996.

FOUCAULT, Michel. Linguagem e Literatura. In: MACHADO, Roberto. Foucault, a filosofia e a Literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

FOUCAULT, Michel. Nietzsche, Freud, Marx. In: Arqueologia das Ciências e História dos Sistemas de Pensamento. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Portugal: Vega, 1992.

GADAMER, Hans-Georg. Segunda Parte: a extensão da questão da verdade à compreensão nas ciências do espírito. In: Verdade e Método. Petrópolis: Vozes, 2008.

HEGEL, George W. F. Cursos de Estética. Vol. 1, São Paulo: EDUSP, 2001.

PANAROTTO, Demétrio. Tom Zé, 70 anos é pouco. Revista de Estudos Poéticos e Musicais. Florianópolis: UFSC, n.4, jul, 2007.

PANAROTTO, Demétrio. Um segundo olhar (Primeiro). In: Não se morre mais, cambada... (O tom de Tom Zé). 2005, Dissertação. (Mestrado em Curso de Pós-Graduação em Literatura) - Universidade Federal de Santa Catarina. – UFSC, Florianópolis, 2005.

PANAROTTO, Demétrio. Uma canção e Dois Zés (ou os sertões de Tom Zé). In. Qual Sertão: Euclides da Cunha e Tom Zé. São Paulo: Lumme Editor, 2009.

NERY, Emília Saraiva. Raul Seixas e os debates sobre uma linha evolutiva na MPB. In: Devires na Música Popular Brasileira: As aventuras de Raul Seixas e as tensões culturais no Brasil dos anos 1970. 2008. Dissertação. (Mestrado em História do Brasil) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2008

RANCIÈRE, Jacques. A literatura impensável. In: Políticas da escrita. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

SARLO, Beatriz. Crítica do testemunho: sujeito e experiência. Tempo Passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo/Belo Horizonte: Cia das Letras/ Ed. Da UFMG, 2007.

SCHLEIERMACHER, Friedrich D. Hermenêutica e Crítica. Ijuí: Editora da UNIJUÍ, 2005.

TATIT, Luiz. A Sonoridade Brasileira. In: O século da canção. Cotia: Ateliê Editorial, 2008.

TATIT, Luiz. Todos entoam: ensaios, conversas e canções. São Paulo: Publifolha, 2007.

VELOSO, Caetano. Que caminho seguir na música popular brasileira?, In: Revista Civilização brasileira, ano I, n.7, maio 1966.

WISNIK, José Miguel. Música: problema intelectual e político. In: Teoria e Debate. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, n.35, jul - set, 1997.

ZÉ, Tom. Tropicalista lenta luta. São Paulo: Publifolha, 2003.

OUTRAS FONTES

Entrevista de Tom Zé (Tropicalismo) Gravadora Trama s/d, 6 min. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=KcNDniOsh-8

Programa Roda Viva – TV Cultura, 1993. Disponível em: www.youtube.com.br

ZÉ, Tom. Com defeito de fabricação. Trama, 1999. 1. CD.

ZÉ, Tom. Jogos de Armar – Faça você mesmo. Trama, 2000. 1. CD.

ZÉ, Tom. O gênio de Irará. Caros Amigos, n. 31, out. 1999.

ZÉ, Tom e WINISK, Zé Miguel. Parabelo. Grupo Corpo, São Paulo, Continental/Warner, 1997. 1. CD.

ZÉ, Tom. Programa Nomes do Nordeste – Gravado no auditório do centro de convenções do Ceará, Fortaleza: 21/01/2005, 45 min e 15 s. Disponível em: www.youtube.com.br

ZÉ, Tom. Se o caso é chorar. São Paulo, Continental, 1972. 1. disco sonoro.

Publicado
2013-06-17
Como Citar
Saraiva Nery, E. . (2013). DISCUTINDO A ARTE DE TOM ZÉ: NAS INCURSÕES PELA HERMENÊUTICA E ESTÉTICA. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 10(1), 1-19. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/477