PLURAL E SINGULAR

DA NARRATIVA SOBRE NARRATIVA À HISTÓRIA DIGITAL

  • Ivan Luís Lima Cavalcanti Universidade Federal da Paraíba – UFPB
Palavras-chave: A História ou Leitura do Tempo, Roger Chartier

Resumo

A ideia de que a essência teórica de um livro curto fica devendo a um longo tempo é retrógrada e mais uma vez é negada no livro A História ou Leitura do Tempo,  de Roger Chartier. Nesse pequeno texto ele nos apresenta várias discussões teóricas (algumas de forma resumida) que fazem parte de boa parcela de sua produção textual na academia. Citado como autor de história cultural, e na maioria das vezes se colocando como um, Roger logo na ‘nota prévia’ do livro nos apresenta um pouco de sua postura diante e a favor da história cultural e a necessidade dessa em superar os limites dos conceitos de história das Mentalidades e da História quantitativa, baseada nos métodos estatísticos na história econômica. Alega a importância do estudo das representações e essas servem como entidades que vão construindo as próprias divisões do mundo. Ainda nessa nota, que de certa forma ganha um teor introdutório da obra, o autor discute sobre a nova mudança da forma da escrita, dos enunciados e da própria história em relação à cultura digital. Nos encaminha, rapidamente, para as reorganizações das práticas culturais a medida que a comunicação oral passou para a escrita, a escrita se difundiu e utilizou a imagem e nesse sentido até a era atual de informação e reprodução de textos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Luís Lima Cavalcanti, Universidade Federal da Paraíba – UFPB

Mestrando/Programa Pós Graduação em História da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de fazer, Petrópolis: Vozes, 1994.

CERTEAU, Michel de. L’écriture de l’Histoire. Paris: Gallimard, 1975.

CHARTIER, Roger. A História ou Leitura do Tempo. Tradução de Cristina Antunes. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.

GINZBURG, Carlo. Relações de força: história, retórica, prova. São Paulo: Cia. das Letras, 2002.

RICOEUR, P. A memória, a história e o esquecimento. Campinas: Unicamp, 2010.

Publicado
2014-12-15
Como Citar
Lima Cavalcanti, I. L. . (2014). PLURAL E SINGULAR: DA NARRATIVA SOBRE NARRATIVA À HISTÓRIA DIGITAL . Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 11(2), 1-8. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/627