A NEGATIVIDADE RELIGIOSA NO PENSAMENTO DE GOETHE

E ALGUNS APONTAMENTOS DE SUA RELAÇÃO COM A CONSTITUIÇÃO HISTÓRICA DO NIILISMO

  • Humberto Schubert Coelho Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF
Palavras-chave: Negatividade, Niilismo, Panteísmo, Homem

Resumo

Este artigo visa apresentar através dos poemas Prometeu e O Divino o aspecto negativo e, até certo ponto, niilista da religiosidade de J. W. Goethe, na medida em que estes poemas inauguram marco histórico no pensamento religioso, contribuindo de maneira decisiva na formação do niilismo posterior, bem como em diversas concepções libertárias no âmbito teológico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Humberto Schubert Coelho, Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF

      Mestre pela Universidade Federal de Juiz de Fora em 2007. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Brasileira, Metafísica e Filosofia da Religião.

Referências

BLOCH, Ernst. Tübinger Einleitung in die Philosophie. Frankfurt: Suhrkamp, 1996.

GOETHE, Johann Wolfgang von. Dichtung und Wahrheit. Stuttgart: Reclam, 2002.

GOETHE, Johann Wolfgang von. Gedichte: Gesamtausgabe. Leipzig: Insel, 1992.

GOETHE, Johann Wolfgang von. Maximen und Reflexionen. Leipzig: Insel, 1976.

HIRSCH, Emanuel. Geschichte der neuern evangelischen Theologie. Gutersloh: Bertelsmann, 1952.

HOFMANN, Peter. Goethes Theologie. Paderborn: Schöningh, 2001.

JAMES, William. As variedades da experiência religiosa. São Paulo: Cultrix, 1991.

KORFF, Hermann August. Geist der Goethezeit. Leipzig: Koehler & Amelang, 1954.

LANGE, Erhard; DIETRICH, Alexander. Philosophen Lexikon. Berlin: Dietz Verlag, 1982.

TIMM, Hermann. Gott und die Freiheit: Studien zur Religionsphilosophie der Goethezeit. Frankfurt: Klostermann, 1974.

Publicado
2008-09-30
Como Citar
Schubert Coelho, H. (2008). A NEGATIVIDADE RELIGIOSA NO PENSAMENTO DE GOETHE: E ALGUNS APONTAMENTOS DE SUA RELAÇÃO COM A CONSTITUIÇÃO HISTÓRICA DO NIILISMO. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 5(3), 1-12. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/69