TODA PALAVRA GUARDA UMA CILADA

TORQUATO NETO ENTRE A VERTIGEM E A VIAGEM

  • Edwar de Alencar Castelo Branco Universidade Federal do Piauí – UFPI
Palavras-chave: Literatura Brasileira, Torquato Neto, Anos sessenta

Resumo

Muito já se escreveu sobre Torquato Neto e sua atividade intelectual. Entretanto, alguma coisa permanece na sombra, especialmente no concernente à apropriação histórica de seus textos. A ênfase dada aos textos reunidos em Os últimos dias de Paupéria, os quais ganharam grande publicidade a partir do início dos anos setenta, acabou por ofuscar boa parte da produção literária de Torquato. Do mesmo modo, textos importantes, como Arte e cultura popular, permanecem inéditos e ofuscados pela intensidade do foco que se projeta sobre o “Torquato tropicalista”. Este texto, com o intuito de refletir sobre esse silêncio, propõe uma apropriação e uma revisão histórica dos textos torquateanos, de modo que eles possam expressar as condições de existir para parte da juventude brasileira nos anos sessenta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edwar de Alencar Castelo Branco, Universidade Federal do Piauí – UFPI

Professor adjunto da Universidade Federal do Piauí – UFPI.

Referências

ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval M. de. Quem é frouxo não se mete: violência e masculinidade como elementos constitutivos da imagem do nordestino. São Paulo: Projeto História, 1999. p. 173-188. v. 19.

ALBUQUERQUE JR., D. M. de. Os nomes do pai. In: RAGO, Margareth; et al. (Orgs.). Imagens de Foucault e Deleuze. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

ANDRADE, Paulo. Torquato Neto – uma poética de estilhaço. São Paulo: Annablume, 2002.

ANDRADE, Mário. Macunaíma – O Herói sem Nenhum Caráter. São Paulo: Livraria Martins Editora, 1974.

ARTAUD, Antonin. Surrealismo e revolução. In: WILLER, Cláudio. Escritos de Antonin Artaud. Porto Alegre: L&PM, 1983.

CALADO, Carlos. Tropicália – a história de uma revolução musical. São Paulo: Editora 34, 1997.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 1994.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34, 1996.

ESCOBAR, Carlos Henrique de. Dossier Deleuze. Rio de Janeiro: Holon editorial, 1991.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Vega, 1984.

HOLANDA, Heloisa B. Poetas rendem chefe de redação (II). Jornal do Brasil, Coluna B. Rio de Janeiro, Sábado, 12 de fev. de 1983.

LARROSA, Jorge. Pedagogia profana. Danças, piruetas e mascaradas. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

PIGNATARI, Décio. Depoimento-entrevista a Régis Bonvicino. In: TORQUATO NETO. Os últimos dias de Paupéria. São Paulo: Max Limonad, 1973.

RAMOS, Graciliano. Vidas secas. 100. ed. Rio de Jeneiro: Record, 2006.

RAMOS, Graciliano. Memórias do cárcere. Rio de Jeneiro: Record, 1996.

REGO, José Lins do. O Moleque Ricardo. 13. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1980.

ROLNIK, Suely. Por um estado de arte: a atualidade de Lygia Clark. XXIV Bienal de São Paulo – Antropofagia e as histórias de canibalismos, São Paulo, Fundação Bienal, 1998.

SIBILA, Paula. O Homem Pós-Orgânico. Corpo, subjetividade e tecnologias digitais. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2002.

TORQUATO NETO. A explicação do fato – I. Rio de Janeiro, 09 de agos. de 1962.

TORQUATO NETO. A explicação do fato – II. Rio de Janeiro, 31 de agosto de 1962.

TORQUATO NETO. A explicação do fato – III. Rio de Janeiro, s/d.

TORQUATO NETO. Os últimos dias de Paupéria. São Paulo: Max Limonad, 1973.

TORQUATO NETO. Ao faz tudo do Leblon. In: TORQUATO NETO. Os últimos dias de Paupéria. São Paulo: Max Limonad, 1973.

OUTRAS FONTES

SALOMÃO, Wally. Cave Canem. Cuidado com o cão. Folha de São Paulo, São Paulo, p. 13, 05 de nov. de 1995.

TORQUATO NETO. Arte e cultura popular – I. Jornal O Dia, Teresina, Piauí, 02 de fev. de 1964.

TORQUATO NETO. Arte e cultura popular – IV. Jornal O Dia, Teresina, Piauí, 25 de fev. de 1964.

TORQUATO NETO. Treze anos depois, artista e poetas voltam à navilouca. Jornal do Commércio, Rio de Janeiro, 24 de nov. de 1985.

TORQUATO NETO. Pessoal e intransferível. Jornal Última Hora, Rio de Janeiro, Coluna Geléia Geral, edição 14 de set. de 1971.

Publicado
2007-06-14
Como Citar
de Alencar Castelo Branco, E. . (2007). TODA PALAVRA GUARDA UMA CILADA: TORQUATO NETO ENTRE A VERTIGEM E A VIAGEM. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 4(2), 1-17. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/716