CONTRADIÇÕES DA CARNE

A MULHER E O NEGRO EM DOIS MOMENTOS DO NATURALISMO BRASILEIRO

  • Pedro Amaral Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio
Palavras-chave: Literatura Brasileira, Naturalismo, Adelaide Carraro, Júlio Ribeiro

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar as obras A carne, de Júlio Ribeiro, e Submundo da sociedade, de Adelaide Carraro, representativas de dois momentos do Naturalismo brasileiro (e, ambas, censuradas quando de seu lançamento, sob a acusação de pornografia) do prisma das caracterizações da mulher e do negro por elas apresentadas. Nosso objetivo é examinar se as obras em tela serviriam para corroborar o ponto de vista segundo o qual o Naturalismo, em suas diversas fases, seria fundamentalmente conservador, diluidor de conflitos que marcam a sociedade brasileira, ou se, diferentemente – esta é nossa hipótese – as obras de Ribeiro e Carraro seriam exemplo sobretudo de uma postura contraditória, hesitante em relação a questões como o lugar da mulher e do negro na sociedade – e neste sentido refletiriam contradições e hesitações que, ontem como hoje, marcam o enfrentamento dessas questões no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Amaral, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio

Doutorando em Letras pela PUC-Rio.

Referências

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. 36. ed. São Paulo: Cultrix, 1994.

CARRARO, Adelaide. Submundo da sociedade. 4. ed. São Paulo: Gama, 1974.

CARRARO, Adelaide. Eu e o governador. São Paulo: L.Oren, 1967.

CHIARA, Ana Cristina de Rezende. Leituras malvadas. 1996. Tese (Doutorado em Letras) – Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1996.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala. 39. ed. Rio de Janeiro: Record: 2000.

ROMERO, Sílvio. O naturalismo em literatura. São Paulo: Tipografia da Província de São Paulo, 1882.

RIBEIRO, Júlio. A carne. São Paulo: Savério Fittipaldi, s.d.

SILVA, José Bonifácio de Andrada e. Projetos para o Brasil. São Paulo: Publifolha/Cia. Das Letras, 2000.

SUSSEKIND, Flora. Tal Brasil, qual romance? Rio de Janeiro: Achiamé, 1984.

Publicado
2007-06-14
Como Citar
Amaral, P. . (2007). CONTRADIÇÕES DA CARNE: A MULHER E O NEGRO EM DOIS MOMENTOS DO NATURALISMO BRASILEIRO. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 4(2), 1-13. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/722