TELEVISÃO BRASILEIRA

UMA (RE)VISÃO

  • Maria Luiza Gonçalves Baracho Universidade Federal do Paraná - UFPR
Palavras-chave: televisão, história, bibliografia

Resumo

Revendo a bibliografia especializada, da década de 1970 em diante, verifica-se que poucos autores analisaram os vinte primeiros anos da televisão brasileira. Essa tem sido uma tarefa de memorialistas, que registram lembranças e saberes daquela época. Há quem afirme que, no Brasil, a TV seria um fenômeno significativo somente depois da criação da Rede Globo. Sem dúvida, com as redes nacionais foi reformulado o antigo modo de fazer televisão, que, nem por isso, deve ser esquecido. O que se pretende é apontar algumas das razões que ainda fazem, do início da TV brasileira, um tema de pouco interesse para a historiografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Luiza Gonçalves Baracho, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Mestre em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), vinculada ao Programa de Pós-Graduação em História na mesma Universidade (doutoranda); pesquisadora da Diretoria do Patrimônio Cultural da Fundação Cultural de Curitiba (DPC/FCC).

Referências

BUCCI, Eugênio. Brasil em tempo de TV. São Paulo: Boitempo, 1997.

COSTA, Alcir Henrique da. Rio e Excelsior: projetos fracassados? In: Um país no ar: história da TV brasileira em três canais. São Paulo: Brasiliense, 1986.

DANIEL FILHO. O circo eletrônico: fazendo TV no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

FIGUEIREDO, Anna Cristina Camargo Moraes. “Liberdade é uma calça velha azul e desbotada”: publicidade, cultura de consumo e comportamento político no Brasil (1954-1964). São Paulo: Hucitec, 1998.

HAMBURGUER, Esther. Diluindo fronteiras: a televisão e as novelas no cotidiano. In: NOVAIS, F. A. (Coord.). História da vida privada no Brasil: contrastes da intimidade contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

KEHL, Maria Rita. Um só povo, uma só cabeça, uma só nação. In: Anos 70: televisão. Rio de Janeiro: Europa.

KEHL, Maria Rita. Eu vi um Brasil na TV. In: Um país no ar: história da TV brasileira em três canais. São Paulo: Brasiliense, 1986.

LORÊDO, João. Era uma vez ... a televisão. São Paulo: Alegro, 2000.

MATTOS, Sérgio. História da televisão brasileira: uma visão econômica, social e política. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

MELLO, J. M. C. de; NOVAIS, F. A. Capitalismo tardio e sociabilidade moderna. In: NOVAIS, F. A. (Coord.). História da vida privada no Brasil: contrastes da intimidade contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

MOREIRA, Roberto. Vendo a televisão a partir do cinema. In: A TV aos 50: criticando a televisão brasileira no seu cinqüentenário. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2000.

NAPOLITANO, Marcos. “Seguindo a canção”: engajamento político e indústria cultural na MPB (1959-1969). São Paulo: Annablume: Fapesp, 2001.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira: cultura brasileira e indústria cultural. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 1999.

PEREIRA, Carlos Alberto. MIRANDA. Ricardo. Televisão: as imagens e os sons - no ar, o Brasil. São Paulo: Brasiliente, 1983.

PRIOLLI, Gabriel. Antenas da brasilidade. In: A TV aos 50: criticando a televisão brasileira no seu cinqüentenário. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2000.

SIMÕES, Inimá F. TV à Chateaubriand. In: Núcleo de Estudos e Pesquisas/FUNARTE (Coord.). Um país no ar: história da TV brasileira em três canais. São Paulo: Brasiliense, 1986.

RIDENTI, Marcelo. Em busca do povo brasileiro: artistas da revolução, do CPC à era da Tv. Rio de Janeiro: Record, 2000.

Publicado
2007-06-14
Como Citar
Gonçalves Baracho, M. L. . (2007). TELEVISÃO BRASILEIRA: UMA (RE)VISÃO. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 4(2), 1-19. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/727