ROMANCES AMATÓRIOS

LITERATURA E SUICÍDIO NA BAHIA NOS MEADOS DO SÉCULO XIX

  • Jackson Ferreira Universidade do Estado da Bahia
Palavras-chave: Representações Culturais, Literatura e Suicídio

Resumo

Este texto se propõe a analisar algumas representações acerca do suicídio na literatura baiana dos meados do século XIX e verificar quais são as relações existentes entre elas e os ideais românticos. As fontes utilizadas foram folhetins e poesias publicadas por autores baianos que direta e indiretamente tratam do assunto. Segundo concepções vigentes no período, o suicídio era um dos maiores pecados da humanidade. Atentado não apenas contra Deus, mas também contra a família e a sociedade. Relacionar o amor ao suicídio foi uma estratégia usada por alguns escritores baianos para criticar as transformações pelas quais a sociedade vinha passando.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jackson Ferreira, Universidade do Estado da Bahia

Possui graduação em História pela UFBA, Mestrado em História Social pela mesma instituição. Atualmente é professor e coordenador do curso de Licenciatura de História da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Campus IV – Jacobina e do Núcleo de Estudos Orais, Memória e Iconografia – NEO, na mesma unidade de ensino.

Referências

ALIGHIERI, Dante. A divina comédia. Tradução de Fábio M. Albert. São Paulo: Nova Cultural, 2003.

ALVAREZ, Alfred. O deus selvagem: um estudo do suicídio. Tradução de Sonia Moreira. São Paulo: Cia. das Letras, 1999.

ARAÚJO, Anete Regis Castro de. Espaço privado moderno e relações sociais de gênero em Salvador: 1930-1949. 2003. Tese (Doutorado). Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2003.

BILLACOIS, François. Fogueira barroca e brasas clássicas. In: CZECHOWSKY, Nicole. (Org.). A honra: imagem de si ou dom de si – um ideal equívoco. Tradução de Cláudia Cavalcante. Porto Alegre: L&PM, 1992.

BLAKE, Augusto Victorino Alves Sacramento. Diccionario bibliográphico brazileiro. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1883.

CÂNDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. São Paulo: Livraria Martins Editores, 1964.

CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis, historiador. São Paulo: Cia. das Letras, 2003.

COUTINHO, José Lino. Cartas sobre a educação de Cora, seguidas de um cathecismo moral, político, e religioso. Publicado por João Gualberto de Passos. Bahia: Typographia de Carlos Poggette, 1849.

DARNTON, Robert. Os leitores respondem a Rousseau: a fabricação da sensibilidade romântica. In: O grande massacre de gatos, e outros episódios da história cultural francesa. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

DURKHEIM, Émile. O suicídio: estudo sociológico. Tradução de Mônica Stahel. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

DÓRIA, Franklin. Obras póstumas de L. J. Junqueira Freira. 4 ed. Rio de Janeiro: H Garnier/Liveiro-Editor, 1868.

FERREIRA, Jackson. ‘Por hoje se acaba a lida’: suicídio escravo na Bahia (1850-1888). Revista Afro-Ásia, Salvador, n. 31, p. 197-234, 2004.

FERREIRA FILHO, Alberto Heráclito. Quem pariu e bate, que balance! mundos femininos, maternidade e pobreza: Salvador, 1890-1940. Salvador: CEB, 2003.

FREIRE, Junqueira. Desespero na solidão: seleção poética. Rio de Janeiro: Nova Aguilar; Brasília: INL, 1976.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e mocambos: decadência do patriarcado rural e desenvolvimento do urbano. São Paulo: Global: 2003.

HAUSER, Arnold. História social da literatura e da arte. Tradução de Walter H. Geener. São Paulo: Mestre Jou, 1972.

MACHADO DE ASSIS, Joaquim Maria. Memórias póstumas de Brás Cubas. São Paulo: FTD, 1998.

MENDES, Maria Lúcia Dias. A História na visão de Alexandre Dumas. Alea, v.6, n. 1, p. 67-79 Jan./Jun. 2004.

MINOIS, Georges. História do suicídio: a sociedade ocidental perante a morte voluntária. Tradução de Serafim Ferreira. Lisboa: Teorema, 1998.

OLOMOLA, Isola. Suicide in yoruba culture. Revista de Estudos Africanos da USP, São Paulo, n. 10, 1997.

PEREIRA, Jerônimo Sodré. Qual a influência da civilização sobre o desenvolvimento das moléstias nervosas? Bahia: Typographia do Diário, 1861.

REIS, Adriana Dantas. Cora: lições de comportamento feminino na Bahia do século XIX. Salvador: FCJA, Centro de Estudos Baianos da Ufba, 2000.

RODRIGUES, José Carlos. Tabu da morte. Rio de Janeiro: Achiamé, 1983.

SALLES, David. Primeiras manifestações da ficção na Bahia. São Paulo: Cultrix, 1979.

SARMENTO, Antonio de Paiva. O suicídio na Bahia. Bahia: Imprensa Official do Estado, 1919.

SOARES, Cecília Moreira. A negra de rua, outros conflitos. In: SARDERBERG, Cecília M. B. et al. (Orgs.). Fazendo gênero na historiografia baiana. Salvador: NEIM/UFBa, 2001.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira: seus fundamentos econômicos. 5 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

STENGEL, Erwin. Suicídio e tentativa de suicídio. Tradução de Álvaro de Figueiredo. Lisboa: Dom Quixote, 1980.

THOMPSON, Edward Palmer. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Cia. das Letras, 1998.

OUTRAS FONTES

APEB – Colonial e Provincial. Correspondências Recebidas de Subdelegados, maço 6234 (1861-62).

APEB – Colonial e Provincial. Correspondências Recebidas de Delegados, maço 6206 (1869-70).

APEB – Microfilmes. A Marmota Fluminense, 29 de agosto de 1854.

APEB – Microfilmes. O Crepúsculo, 25 de dezembro de 1845.

APEB – Microfilmes. O Crepúsculo, 10 de janeiro de 1846.

APEB – Microfilmes. O Crepúsculo, 10 de março de 1866.

APEB – Microfilmes. O Noticiador Catholico, 10 de março de 1849.

Publicado
2008-09-30
Como Citar
Ferreira, J. (2008). ROMANCES AMATÓRIOS: LITERATURA E SUICÍDIO NA BAHIA NOS MEADOS DO SÉCULO XIX. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 5(3), 1-19. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/73