TRAJETÓRIAS BIOGRÁFICAS E MODOS DE SUBJETIVAÇÃO NAS CARTAS TROCADAS ENTRE INTELECTUAIS DA SOCIEDADE PIAUIENSE/BRASILEIRA NAS DÉCADAS DE 1980/1990

  • Audrey Maria Mendes de Freitas Tapety Pontifícia Universidade Católica – PUC/SP
Palavras-chave: História, Escrita de Si, Cartas, Autobiografia

Resumo

Neste texto abordo os cuidados teóricos e metodológicos que o historiador deve ter ao utilizar cartas pessoais como documentos históricos, ao mesmo tempo em que ressalto a importância de fontes como essa para a escrita da história, notadamente, quando se trata de temas e personagens comumente negligenciados ou silenciados pelos documentos e arquivos públicos e oficiais, como é o caso dos amores e amizades homoeróticos e de personagens homossexuais. Chamo atenção ainda para os limites e os cuidados éticos que o uso desse tipo de fonte requer da parte do historiador. Abordo, ainda, como o gênero epistolar permite tratar de temas como a escrita de si e a identidade de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARTIÈRES, Philippe. Arquivar a Própria Vida/Escrita de si /Escrita da História. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, 1998.

BOSI, Ecléia. Memória e sociedade: lembrança dos velhos. 3. ed. São Paulo: Cia das Letras, 1994.

BOURDIER, Pierre. 1998, p. 183-191. A ilusão biográfica In: FERREIRA, Marieta de Morais. Usos e abusos da história Oral . Rio de Janeiro: FGV, 1998. p. 183-91.

LECLERC, Gèrard. Sociologia dos intelectuais. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Unisinos, 2004.

SILVA, Conceição de Maria Freitas Tapety e. Apresentação. In: Possidônio Queiroz: memória piauiense. Teresina: Fundação José Elias Tajra, 1995.

STALLYBRASS, Peter. O casaco de Marx: roupas, memória, dor. 4. ed. Tradução de Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

VENÂNCIO, Giselle Martins. Cartas de Lobato a Vianna: uma memória epistolar silenciada pela história. In: GOMES, Angela de Castro (Org.). Escrita de si, escrita da história. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

Publicado
2015-12-21
Como Citar
Tapety, A. M. M. de F. . (2015). TRAJETÓRIAS BIOGRÁFICAS E MODOS DE SUBJETIVAÇÃO NAS CARTAS TROCADAS ENTRE INTELECTUAIS DA SOCIEDADE PIAUIENSE/BRASILEIRA NAS DÉCADAS DE 1980/1990. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 12(2). Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/748
Seção
Dossiê