JORGE ANDRADE E O DRAMA MODERNO NO BRASIL

Palavras-chave: Teatro moderno brasileiro, Drama moderno, A Moratória

Resumo

O presente artigo defende o ponto de vista que situa A moratória, de Jorge Andrade, em lugar de Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, como a peça inauguradora de uma tradição sistemática de teatro e drama modernos brasileiros. Para tanto, além de destacar alguns elementos do desenvolvimento de uma estrutura teatral moderna no Brasil, serão explicitados os pressupostos teóricos do drama moderno – compreendendo teatro moderno brasileiro como a junção de estrutura teatral e de drama nacional modernos. Propõe-se uma análise dos principais elementos formais e temáticos de A Moratória, posto que é a combinação desses que torna esta peça efetivamente moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

COSTA, Iná Camargo, A produção tardia do teatro moderno no Brasil. In: ______. Sinta o drama. Petrópolis: Vozes, 1998.

COSTA, Iná Camargo, Alaíde Moreira no purgatório. Praga – Revista de Estudos Marxistas, São Paulo, n. 02, p. 69-85, 1997.

GUZIK, Alberto. TBC: crônica de um sonho (O Teatro Brasileiro de Comédia – 1948-1964). São Paulo: Perspectiva, 1986.

PRADO, Décio de Almeida. O teatro brasileiro moderno. SP: Perspectiva, 2003.

MACIEL, Diógenes André Vieira. Ensaios do nacional-popular no teatro brasileiro moderno. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 2004

Publicado
2020-10-23
Como Citar
Ribeiro, R. M. . (2020). JORGE ANDRADE E O DRAMA MODERNO NO BRASIL. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 2(4). Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/877