Patrimônio ferroviário?

os resquícios da ferrovia Brasil-Bolívia no município de Ladário-MS (1937-2020)

Palavras-chave: Ladário, História, Ferrovia, Locomotiva Zero Um

Resumo

O presente trabalho realiza uma breve abordagem histórica dos resquícios ferroviários da Brasil-Bolívia em Ladário-MS. A ferrovia Brasil-Bolívia foi construída pela Comissão Mista Ferroviária Brasileiro-Boliviana (C.M.F.B.B.) que foi instalada na região da fronteira oeste, Corumbá e Ladário. O resultado da análise indicou a importância histórica do contexto ferroviário bem como da valorização e (re) conhecimento como parte integrante da história local o que, implicará, em “despertar” a história ferroviária “adormecida”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

LE GOFF, Jacques, 1924. História e memória / Jacques Le Goff; tradução Bernardo Leitão ... [et al.] – Campinas: SP Editora da UNICAMP, 1990.

MATOS, Lucina Ferreira. Memória Ferroviária: da mobilização social à política pública de patrimônio. 2015. 200f. Tese (Doutorado) – Curso de História, Política e Bens Culturais, Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais. CPDOC, Rio de Janeiro, 2015.

NASCIMENTO, Rodrigo Modesto. O patrimônio cultural na cidade de Marília: entre a preservação e o “progresso”, 1985-2012. 2014. 249f. Tese (Doutorado). PUC, São Paulo, 2014.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História. São Paulo, n. 10, dez. 1993, p. 07-28.

OLIVEIRA, Vinicius Martins de. Patrimônio ou (apenas) lugar? Discursos e relembranças como uma maneira de inventariar: uma análise sobre o caso do povoado de salobra, cidade de Miranda-MS. Usjt. Arq. urb. número 16/segundo quadrimestre de 2016. p. 96-119.

PROCHNOW, Lucas Neves. O IPHAN e o patrimônio ferroviário: a memória ferroviária como instrumento de preservação. 2014. 177fls. Dissertação (Mestrado em Preservação do Patrimônio Cultural – IPHAN) Rio de Janeiro.

QUEIROZ, Paulo Roberto Cimó. Uma ferrovia entre dois mundos: A E. F. Noroeste do Brasil na primeira metade do século XX. Bauru: Edusc: Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2004.

RICOEUR, Paul. A memória, a história e o esquecimento. Trad. Alain François Campinas: Editora Unicamp, 2007.

TOMAZ, Paulo Cezar. A preservação do patrimônio cultural e sua trajetória no Brasil. Fênix – Revista de História e Estudos Culturais, Maringá, vol. 7, ano VII, nº 2, p. 1-12, 2010.

UZEDA, Helena Cunha de. Turismo e patrimônio. v. 1 / Helena Cunha de Uzeda. – Rio de Janeiro: Fundação CECIERJ, 2010.

WHATELY, Luís Alberto. Realidades de uma política continental de comunicações ferroviárias. São Paulo: Companhia, 1952. 38 p.

WHATELY, Luís; RIVERO TORRES, Juan. Relatório da Comissão Mista Ferroviária Brasileiro-Boliviana referente aos exercícios de 1938 e 1939. Rio de Janeiro: Companhia Carioca, 1940. 146 p.

Legislação

BRASIL. Congresso. Lei nº 3115, de 16 de março de 1957. Determina a transformação das empresas ferroviárias da União em sociedades por ações, autoriza a constituição da Rede Ferroviária S.A., e dá outras providências. 1. ed. Rio de Janeiro, RJ: Diário Oficial da União, 20 mar. 1957.

BRASIL. Congresso. Senado. Constituição (1988). Constituição Federal artigo 216, de 05 de outubro de 1988. Constituição Federativa da República da Brasil. legislação federal. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 05 out. 1988.

BRASIL. Lei nº 11.483, de 31 de maio de 2007. Dispõe sobre a revitalização do setor ferroviário, altera dispositivos da Lei no 10.233, de 5 de junho de 2001, e dá outras providências. legislação federal. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 31 mai. 2007.

BRASIL. Portaria nº 407, de 21 de dezembro de 2010. Dispõe sobre o estabelecimento dos parâmetros de valoração e procedimento de inscrição na Lista do Patrimônio Cultural Ferroviário, visando à proteção da memória ferroviária, em conformidade com o art. 9º da Lei n.º 11.483/2007. 1. ed. Rio de Janeiro, RJ: Iphan, 21 dez. 2010.

Lei nº 1.735 de 26 de março de 1997. Dispõe sobre o tombamento dos sítios históricos localizados, desde Três Lagoas até Corumbá, consistentes das estações ferroviárias da antiga NOB e seus respectivos entornos históricos.

Lei nº 3.522 de 30 de maio de 2008. Dispõe sobre a proteção do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Mato Grosso do Sul.

Colaboradores entrevistados

CARVALHO, Marcionílio de. 2018. Entrevista concedida a Daiane Lima dos Santos, em 23 de julho de 2018, na casa do colaborador situada na cidade de Ladário-MS.

VIANNA, Edelberto Gomes Campos. 2018. Entrevista concedida a Daiane Lima dos Santos, em 15 de julho de 2018, na casa do colaborador situada na cidade de Ladário-MS.

Publicado
2022-05-31
Como Citar
SANTOS, D. (2022). Patrimônio ferroviário? os resquícios da ferrovia Brasil-Bolívia no município de Ladário-MS (1937-2020). Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 19(1), 315- 334. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v19i1.935