Revisitando delimitações historiográficas cristalizadas na História do Cinema Brasileiro

O Cinema Novo e o Cinema Marginal

  • Alcides Freire Ramos Universidade Federal de Uberlândia – UFU
Palavras-chave: História do Cinema Brasileiro, Cinema Novo, Cinema Marginal

Resumo

Este artigo busca refletir a respeito da necessidade rever delimitações existentes entre o Cinema Novo e o Cinema Maginal, de modo a propor um quadro mais matizado, que sirva de contraponto à interpretação dominante na historiografia do cinema brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AVELLAR, José Carlos. O cinema dilacerado. Rio de Janeiro: Alhambra, 1986.

BERNARDET, Jean Claude. O Vôo dos Anjos: Bressane, Sganzerla. São Paulo: Brasiliense, 1991.

CAETANO, Maria do Rosário. João Batista de Andrade: alguma solidão e muitas histórias - a trajetória de um cineasta brasileiro. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004.

PEIXOTO, Fernando. Teatro em pedaços. São Paulo: HUCITEC, 1989.

RAMOS, Alcides Freire & PATRIOTA, Rosangela. Fernando Peixoto: um artista engajado na luta contra a ditadura militar (1964-1985). Fênix – Revista de História e Estudos Culturais, Uberlândia, v. 3, n 4, p. 1-34, 2006. Disponível em: www.revistafenix.pro.br.

RAMOS, Fernão. Cinema Marginal (1968-1973): A representação em seu limite. São Paulo: EMBRAFILME/MinC/Brasiliense, 1987.

RAMOS, Fernão; SCHVARZMAN, Sheila (orgs). Nova História do Cinema Brasileiro. São: Edições Sesc, 2018.

XAVIER, Ismail. O desafio do cinema. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985.

Publicado
2020-12-23
Como Citar
Freire Ramos, A. . (2020). Revisitando delimitações historiográficas cristalizadas na História do Cinema Brasileiro: O Cinema Novo e o Cinema Marginal. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 17(17), 401- 411. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v17i17.958