Falas silenciadas

Relatos de mulheres educadoras sobre a campanha De pé no chão também se aprende a ler

  • Roselia Cristina de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN
Palavras-chave: História, Educação, Memórias, Mulheres Educadoras, Silêncio

Resumo

O presente artigo trata da reinterpretação de um dos movimentos de Educação popular do Rio Grande do Norte, na Década de 1960, buscando compreender a participação das mulheres no cenário político social e as redes de relações estabelecidas a partir de suas práticas, de modo a analisar as configurações e os desvelamentos semânticos do projeto tal como foi percebido por essas protagonistas. Procuramos perceber de que forma essas mulheres visualizavam sua inserção social, sua prática educativa e os motivos que as levaram a integrar um projeto considerado educativo, popular e democrático. O trabalho foi desenvolvido a partir da metodologia da Análise Compreensiva do Discurso baseada nos estudos de Jean-Claude Kaufmann, entrelaçando a fala das entrevistadas com as teorias que oportunizam entender os fundamentos de suas práticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARÓSTEGUI, Júlio. A pesquisa Histórica: Teoria e Método. Trad. Andréa Dore. Bauru/SP: EDUSC, 2006.

BASSANEZI, Carla. Mulheres dos anos dourados. In: DEL PRIORE, Mary (Org.). História das Mulheres no Brasil. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2000.

CASTORIADIS, Cornelius. A instituição imaginária da sociedade. Trad. Guy Reynaud. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1992.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? Rio de Janeiro: Paz eTerra, 1977.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GÓES, Moacyr de. De pé no chão também se aprende a ler (1961-1964) – Uma escola democrática. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,1980.

GONÇALVES, Andrea Lisly. História e Gênero. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

KAUFMANN, Jean-Claude. L’entretien Compréhensif. Paris: Nathan, 1996.

MATOS, Maria Izilda S. Estudo de Gênero: Percursos e Possibilidades na Historiografia Contemporânea. Campinas: Cadernos Pagu, 1998.

MILLS, C. Wright. A imaginação sociológica. 6. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1982.

NAGLE, Jorge. Educação e Sociedade na Primeira República. Rio de Janeiro, Fundação Nacional de Material Escolar.1976.

OLIVEIRA, Roselia Cristina de. Falas Silenciadas: Relatos de mulheres/educadoras sobre a Campanha de pé no chão também se aprende a ler. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal/RN, 2005.

PERROT, Michele. Os Excluídos da História: operários, mulheres, prisioneiros. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998

PERROT, Michelle. Minha História das Mulheres. Trad. Ângela M. S. Corrêa. São Paulo: Contexto, 2008.

PERROT, Michelle. As mulheres ou os silêncios da História. Trad. Viviane Ribeiro. – Bauru, SP: EDUSC, 2005.

POLLAK, Michael. Memória, Esquecimento, Silêncio. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3, 1989.

RAGO, Margareth. Entre a história e a liberdade: Luci Fabri e o anarquismo contemporâneo. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

REIS, Daniel Aarão. Ditadura militar, esquerda e sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

SILVA, Rosália de Fátima e. A Entrevista Compreensiva. Natal: DEPED, UFRN, 2002.

Publicado
2020-12-23
Como Citar
de Oliveira, R. C. . (2020). Falas silenciadas: Relatos de mulheres educadoras sobre a campanha De pé no chão também se aprende a ler. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 17(17), 710-723. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v17i17.974