Muito além da medalha

Guilherme Paraense – entre o urbano e o suburbano

Palavras-chave: História do Esporte, História do Rio de Janeiro, tiro, subúrbio

Resumo

Guilherme Paraense foi o primeiro brasileiro a ganhar uma medalha de ouro olímpica (Antuérpia, 1920). Para além de breves referências biográficas esparsas, pouco se sabe sobre sua vida, até mesmo sobre sua carreira vitoriosa. Este estudo tem por objetivo discutir sua trajetória, com ênfase na sua capacidade de transitar pelas regiões do Rio de Janeiro. Ao final, percebemos que promoveu conexões entre as experiências urbana e suburbana, uma postura interessante para melhor entendermos a dinâmica social da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Melo , Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Professor Titular da UFRJ

Victor Almeida

Mestre em História Social - PPGHS - UERJ/FFP

Referências

ABREU, Maurício. A evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IPLANRIO/Zahar, 1987.

ASSMANN, Alice Beatriz. O associativismo esportivo em Santa Cruz do Sul/Rio Grande do Sul: configurações de práticas culturais (da década de 1880 à década de 1910). Dissertação (Mestrado em Educação Física). Porto Alegre: UFRGS, 2015.

CASTRO, Celso. A invenção do Exército Brasileiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

FERNANDES, Nelson da Nobrega. O rapto ideológico da categoria subúrbio. Rio de Janeiro: UFRJ, 1995.

GUIMARAES, Roberta Sampaio; DAVIES, Frank Andrew. Alegorias e deslocamentos do “subúrbio carioca” nos estudos das Ciências Sociais (1970-2010). Sociologia & Antropologia, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 457-482, ago. 2018.

KOSIK, Karel. O indivíduo e a história. Novos Rumos, Marília, v. 25, n. 1, p. 1-16, 2014.

GONZALES, Selma Lúcia de Moura. A territorialidade militar no Brasil: os Tiros de Guerra e a estratégia da presença. Tese (Doutorado em Geografia Humana). São Paulo: USP, 2008.

HEROLD JUNIOR, Carlos; MELO, Victor Andrade de. Escotismo e esporte: propostas de educação do corpo no Rio de Janeiro dos anos 1910-1920. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 23, e230045, 2018.

MACIEL, Laura Antunes. Outras memórias nos subúrbios carioca: o direito ao passado. In: OLIVEIRA, Márcio Piñon de; FERNANDES, Nelson da Nobrega (orgs.). 150 anos de subúrbio carioca. Rio de Janeiro: Lamparina/Faperj/EdUFF, 2010. p. 187-218.

MELO, Victor Andrade de; SANTOS JUNIOR, Nei Jorge. Entre o rural e o urbano, entre o civil e o militar: peculiaridades (esportivas) do bairro de Realengo/Rio de Janeiro (1902 –1940). Rio de Janeiro: PPGHC, 2020.

MELO, Victor Andrade de. Educação, civilização, entretenimento: o Tivoli – um parque de diversão no Rio de Janeiro do século XIX (1846-1848). Revista Brasileira de História da Educação, Maringá, v. 20, e114, 2020.

MISIAK, Eliane. O retorno do indivíduo como objeto da história: reflexões à luz da teoria semiótica. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 5, n. 9, p. 57-71, 2012.

MIYASAKA, Cristiane Regina. Os trabalhadores e a cidade: a experiência dos suburbanos cariocas (1890-1920). Tese (Doutorado em História). Campinas: Unicamp 2016.

PINTO, Genivaldo Gonçalves. Manifestações da cultura militar no espaço educacional brasileiro na primeira república: o contexto de Pelotas-RS. Tese (Doutorado em Educação). Pelota: UFPel, 2015.

PRIORE, Mary Del. Biografia: quando o indivíduo encontra a história. Topoi, Rio de Janeiro, v. 10, n. 19, p. 7-16, dez. 2009.

SOUZA, Maria Zelia Maia de. Educar o jovem para ser útil a si e a sua Pátria: a assistência pela profissionalização, Rio de Janeiro (1894-1932). Tese (Doutorado em Educação). Belo Horizonte: UFMG, 2013.

VIANA, Claudius Gomes de Aragão. Realengo e a Escola Militar: um estudo sobre memória e patrimônio urbano. Mosaico, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 39-59, 2009.

VIANA, Nildo Silva. O papel do indivíduo na história. Cadernos de História, Belo Horizonte, v. 14, n. 21, p. 118-134, 2013.

FONTES

A GRANDE Assembleia Geral da Liga Suburbana. O Imparcial, 24 jan. 1921, p. 9.

A IMPONENTE sessão solene da Liga Suburbana. Gazeta Suburbana, 10 mai. 1919, p. 4.

A SEMANA. O Paiz, 8 ago. 1920, p. 3.

AS OLIMPÍADAS de Antuérpia. O Jornal, 30 jun. 1920, p. 2.

AMARAL, Luis; PINHEIRO, Sebastião. Guilherme Paraense: medalha de ouro, em Antuérpia, 1920. O Jornal, 14 dez. 1956, p. 6.

BALANCETE da Confederação Brasileira de Desportos. O Paiz, 2 mar. 1921, p. 7.

BRASIL nas Olimpíadas da Antuérpia, 4 jul. 1920, p. 7.

CARNAVAL. O Paiz, 8 fev. 1921, p. 5.

COISAS do Cascadura. A Época, 22 nov. 1919, p. 7.

CONCURSO nacional “Maiores brasileiros vivos”. Fon-Fon, 28 mar. 1925, p. 29.

CONFEDERAÇÃO do Tiro Brasileiro. A Época, 26 dez. 1914, p. 1.

CONSIDERAÇÕES sobre o tiro nacional. A Noite, 5 jan. 1928, p. 8.

DIÁRIO CARIOCA, 9 jan. 1932, p. 6.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS, 24 abr. 1968, p. 11.

DIVERSAS notícias. Jornal do Comércio, 27 set. 1926, p. 4.

EM FAVOR do esporte do tiro. O Imparcial, 28 nov. 1920, p. 2.

ESCOTISMO. Jornal do Brasil, 18 fev. 1938, p. 14.

FESTA da Liga Gráfica. Jornal do Brasil, 2 fev. 1928, p. 12.

FESTAS e bailes. Jornal do Comércio, 26 mar. 1912, p. 5.

FUTEBOL. O Imparcial, 21 dez. 1920, p. 9.

GENTE da rua. A Época, 25 jun. 1918, p. 1.

INSTRUÇÃO militar. O Paiz, 9 nov. 1911a, p. 6.

INSTRUÇÃO militar. O Paiz, 31 ago. 1911b, p. 5.

INSTRUÇÃO militar. O Paiz, 29 nov. 1911c, p. 12.

INSTRUÇÃO militar. O Paiz, 8 fev. 1912a, p. 6.

INSTRUÇÃO militar. O Paiz, 11 abr. 1912b, p. 8.

INSTRUÇÃO militar. O Paiz, 19 mai. 1914, p. 7.

JORNAL DOS SPORTS, 2 mar. 1964, p. 8.

LIGA Suburbana de Futebol. O Paiz, 19 jun. 1918a, p. 7.

LIGA Suburbana de Futebol. Correio da Manhã, 25 jul. 1918b, p. 6.

LIGA Suburbana de Futebol. A Época, 2 ago. 1919, p. 6.

LIGA Gráfica de Esportes. O Imparcial, 7 ago. 1926, p. 9.

MANIFESTO político. A Federação, 27 abr. 1907, p. 1.

NO CLUBE Militar. A Rua, 12 jan. 1919, p. 3.

NOMEAÇÕES na Polícia Militar. O Jornal, 5 out. 1924, p. 2.

NOTAS militares. A Província, 24 jan. 1901, p. 2.

NOTAS mundanas. O Jornal, 8 jun. 1920, p. 9.

O BRASIL em Antuérpia. O Paiz, 30 set. 1920a, p. 9.

O BRASIL em Anvers. O Paiz, 5 ago. 1920b, p. 6.

O BRASIL e as Olimpíadas. Correio da Manhã, 5 ago. 1920c, p. 1.

O BRASIL em Anvers. O Paiz, 31 out. 1920d, p. 8.

O CAMPEÃO de tiro. A Noite, 8 set. 1929, p. 6.

O JORNAL, 22 dez. 1956, p. 18.

O NATAL dos tiros. O Jornal, 29 dez. 1919, p. 3.

O NOME do Brasil, mais uma vez, sacrificado! A Rua, 9 mai. 1924, p. 1.

O TENENTE Paraense foi proposto para a DGTG. O Jornal, 11 fev. 1921, p. 3.

O RADICAL, 28 out. 1938, p. 4.

OS ESCOTEIROS no desfile da mocidade. Jornal do Brasil, 16 set. 1938, p. 14.

OS ESPORTES. O Imparcial, 21 jan. 1921, p. 2.

OS NOVOS dirigentes da Liga Metropolitana. O Imparcial, 30 mar. 1927, p. 10.

OS PRIMEIROS quadros de uma galeria de esportistas. Mundo Esportivo, 12 dez. 1947, p. 14.

PARAENSE destituído da presidência da Liga Suburbana. O Imparcial, 22 jan. 1921, p. 8.

REVOLVER CLUBE. Jornal do Comércio, 21 jun. 1914, p. 10.

SPORT. O Paiz, 18 set. 1908, p. 7.

TIRO ao alvo. Jornal do Brasil, 8 ago. 1912, p. 13.

TIRO ao alvo. Jornal do Comércio, 4 abr. 1916, p. 6.

TIRO. O Imparcial, 10 jul. 1917, p. 8.

TODOS os esportes. O Jornal, 14 ago. 1920, p. 6.

VIDA esportiva. O Imparcial, 4 dez. 1919, p. 7.

Publicado
2022-05-31
Como Citar
MELO, V., & ALMEIDA, V. (2022). Muito além da medalha: Guilherme Paraense – entre o urbano e o suburbano. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 19(1), 330 - 352. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v19i1.980