A Olimpíada Nacional em História do Brasil e a História do tempo presente

  • Rodrigo Francisco Dias Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG - Campus Bambuí) https://orcid.org/0000-0003-4791-6625
Palavras-chave: Olimpíada Nacional em História do Brasil, História do Tempo Presente, Ensino de História

Resumo

Este artigo analisa como a História do Tempo Presente foi abordada nas últimas edições da Olimpíada Nacional em História do Brasil (2014-2020). Inicialmente, tratamos dos limites e das possibilidades da História do Tempo Presente. Em seguida, analisamos as características gerais da Olimpíada Nacional em História do Brasil e como algumas questões da competição abordaram a História do Tempo Presente, no intuito de demonstrar como a Olimpíada Nacional em História do Brasil pode ser inserida no Ensino de História.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. 11. ed. Tradução de Roberto Raposo. Revisão técnica e apresentação de Adriano Correia. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Meio ambiente e ensino de História. História & Ensino, Londrina, v. 9, p. 37-61, out. 2003. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/histensino/article/view/12076/10609>. Acesso em: 19 jan. 2021.

______. Ensino de História: fundamentos e métodos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

BLOCH, Marc. Apologia da História, ou, O ofício de historiador. Prefácio de Jacques Le Goff. Apresentação à edição brasileira de Lilia Moritz Schwarcz. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2001.

BOSCHI, Caio César. Por que estudar História?. São Paulo: Ática, 2007.

BURKE, Peter. A Revolução Francesa da Historiografia: a Escola dos Annales (1929-1989). Tradução de Nilo Odália. São Paulo: Editora UNESP, 1991.

______. O que é História Cultural? Tradução de Sérgio Góes de Paula. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2005.

CARVALHO, Fábio Câmara Araújo de; IVANOFF, Gregorio Bittar. Tecnologias que educam: ensinar e aprender com as tecnologias de informação e comunicação. São Paulo: Pearson, 2009.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. 3. ed. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. Revisão técnica de Arno Vogel. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

COSTA JÚNIOR, José Gerardo Bastos da. A Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB) e o Ensino Médio Integrado do IFRN. 2017. 157 f. Dissertação (Mestrado em Ensino) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Universidade Federal do Semi-Árido, Mossoró-RN, 2017.

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves; FERREIRA, Marieta de Moraes. História do tempo presente e ensino de História. Revista História Hoje, v. 2, n. 4, p. 19-34, jul./dez. 2013. Disponível em: <https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/90/70>. Acesso em: 19 jan. 2021.

DOSSE, François. História do Tempo Presente e Historiografia. Tempo e Argumento – Revista do Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 5-22, jan./jun. 2012. Disponível em: <https://www.revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180304012012005/2014>. Acesso em: 19 jan. 2021.

FONTANA, Josep. História: análise do passado e projeto social. Tradução de Luiz Roncari. Revisão técnica de Fernando Novais. Bauru: EDUSC, 1998.

FREITAS, Nivaldo Alexandre de; BALDAN, Merilin (Orgs.). Dossiê “Escola Sem Partido e Formação Humana”. Fênix – Revista de História e Estudos Culturais, Uberlândia, v. 14, ano 14, n. 1, jan./jun. 2017. Disponível em: <https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/issue/view/41>. Acesso em: 19 jan. 2021.

GINZBURG, Carlo. O Queijo e os Vermes: o cotidiano e as ideias de um moleiro perseguido pela inquisição. Tradução de Maria Betânia Amoroso. São Paulo: Cia. das Letras, 2006.

GOMES, Nilma Lino. Relações étnico-raciais, educação e descolonização dos currículos. Currículo sem Fronteiras, v. 12, n. 1, p. 98-109, jan./abr. 2012. Disponível em: <https://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss1articles/gomes.pdf>. Acesso em: 19 jan. 2021.

HOBSBAWM, Eric J. Sobre História: ensaios. 2. ed. Tradução de Cid Knipel Moreira. São Paulo: Cia. das Letras, 2006.

HUIZINGA, Johan. O Outono da Idade Média: estudo sobre as formas de vida e de pensamento dos séculos XIV e XV na França e nos Países Baixos. Tradução de Francis Petra Janssen. Revisão técnica de Tereza Aline Pereira de Queiroz. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

LACOUTURE, Jean. A história imediata. In: LE GOFF, Jacques. (Org.). A História Nova. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1990, p. 215-240.

LANGLOIS, Charles V.; SEIGNOBOS, Charles. Introdução aos Estudos Históricos. Tradução de Laerte de Almeida Morais. São Paulo: Renascença, 1946.

LE GOFF, Jacques. A história nova. In: LE GOFF, Jacques; CHARTIER, Roger; REVEL, Jacques (Dirs.). A História Nova. Tradução de Eduardo Brandão. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998, p. 25-64.

LEMOS, Renato. Anistia e crise política no Brasil pós-1964. Topoi: Revista de História, Rio de Janeiro, v. 3, n. 5, p. 287-313, jul./dez. 2002. Disponível em: <http://www.revistatopoi.org/numeros_anteriores/topoi05/topoi5a12.pdf>. Acesso em: 19 jan. 2021.

MENEGUELLO, Cristina. Olimpíada Nacional em História do Brasil – Uma Aventura Intelectual? Revista História Hoje, v. 5, n. 14, p. 1-14, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://anpuh.org/arquivo/download?ID_ARQUIVO=11915>. Acesso em: 19 jan. 2021.

MONTEIRO, Ana Maria. Professores de História: entre saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

MUNHOZ, Antonio Siemsen. Aprendizagem Ativa via Tecnologias. Curitiba: Editora Intersaberes, 2019.

OLIMPÍADA NACIONAL EM HISTÓRIA DO BRASIL. 2021. Disponível em: <http://www.olimpiadadehistoria.com.br/>. Acesso em: 19 jan. 2021.

ORDINE, Nuccio. A utilidade do inútil: um manifesto. Tradução de Luiz Carlos Bombassaro. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

PAIM, Elison Antonio; PINHEIRO, Patrícia Magalhães; PAULA, Josiane Beloni de. Educação, relações etnicorraciais e decolonização na práxis de professores/as. Perspectiva, Florianópolis, v. 37, n. 2, p. 437-452, abr./jun. 2019. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2019.e52614/pdf>. Acesso em: 19 jan. 2021.

PEREIRA, Nilton Mullet; SEFFNER, Fernando. O que pode o ensino de história? Sobre o uso de fontes na sala de aula. Anos 90, Porto Alegre, v. 15, n. 28, p. 113-128, dez. 2008. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/anos90/article/view/7961/4750>. Acesso em: 19 jan. 2021.

PONTES, Júlia Clara de; SILVA, Cristiane Gonçalves da. Cisnormatividade e passabilidade:

deslocamentos e diferenças nas narrativas de pessoas trans. Periódicus, Salvador, v. 1, n. 8, p. 396-417, nov. 2017 / abr. 2018. Disponível em: <https://periodicos.ufba.br/index.php/revistaperiodicus/article/view/23211/15536>. Acesso em: 19 jan. 2021.

REBELATTO, Martha; PASSOS, Anna Julia da Rocha; SOUZA, Felipe Matheus. Olimpíada Nacional em História do Brasil e o Ensino de História. In: INSTITUTO FEDERAL DE MINAS GERAIS. Anuário de Projetos de Ensino – 2019. Belo Horizonte: IFMG, 2020, p. 167-189.

RIBEIRO, Djamila. Pequeno Manual Antirracista. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

RODRIGUES, Cristiano Antônio Brugger; SANTOS, Rodolpho Gauthier Cardoso dos. Cartilha Digital da Olimpíada Nacional em História do Brasil. Ouro Branco: Instituto Federal de Minas Gerais, 2020.

ROUMIEH, Erica Y. Rapper Triz fala sobre a diversidade de gênero em seu primeiro clipe; assista. Tenho Mais Discos Que Amigos, 09 ago. 2017. Disponível em: <https://www.tenhomaisdiscosqueamigos.com/2017/08/09/triz-diversidade-genero/>. Acesso em: 19 jan. 2021.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Narrar o trauma – a questão dos testemunhos de catástrofes históricas. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 65-82, 2008. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/pc/v20n1/05.pdf>. Acesso em: 19 jan. 2021.

SILVA, Edson. O ensino de História Indígena: possibilidades, exigências e desafios com base na Lei 11.645/2008. Revista História Hoje, v. 1, n. 2, p. 213-223, jul./dez. 2012. Disponível em: <https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/48/38>. Acesso em: 19 jan. 2021.

SOIHET, Rachel; PEDRO, Joana Maria. A emergência da pesquisa da História das Mulheres e das Relações de Gênero. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 27, n. 54, p. 281-300, jul./dez. 2007. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/rbh/v27n54/a15v2754.pdf>. Acesso em: 19 jan. 2021.

THOMPSON, Edward Palmer. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. Tradução de Rosaura Eichemberg. São Paulo: Cia. das Letras, 1998.

______. A Formação da Classe Operária Inglesa. 6. ed. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo: Paz e Terra, 2011. 3 v.

______. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Textos organizados por Antonio Luigi Negro e Sergio Silva. 2. ed. Campinas: Ed. Unicamp, 2012.

WILLIAMS, Raymond. Cultura e Materialismo. Tradução de André Glaser. São Paulo: Ed. UNESP, 2011.

ZORZO, Nathalia. Exército veta participação de alunos de colégios militares em olimpíada alegando ideologia da prova. CBN, 13 maio 2019. Disponível em: <https://cbn.globoradio.globo.com/media/audio/259920/exercito-veta-participacao-de-alunos-de-colegios-m.htm>. Acesso em: 19 jan. 2021.

Publicado
2021-12-16
Como Citar
Rodrigo Francisco Dias. (2021). A Olimpíada Nacional em História do Brasil e a História do tempo presente. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 18(2), 725-751. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v18i2.987