Olivares e a universidade de Salamanca

lógicas corporativas em uma dedicatória

Palavras-chave: Lógicas corporativas, hierarquia social, retórica, Universidade de Salamanca

Resumo

Neste artigo, analisamos uma dedicatória a Gaspar de Guzmán, O Conde-duque de Olivares, contida em uma relação fúnebre acerca das pompas que a Universidade de Salamanca ofereceu em virtude da morte do Rei Filipe III de Espanha, em 1621. Tal obra foi escrita por Angel Manrique, catedrático da Universidade de Salamanca. A partir dessa dedicatória, propomos uma interpretação histórica com enfoque nas estratégias retóricas utilizadas por Manrique para angariar as boas graças de Guzmán em favor da universidade, a partir de uma lógica corporativa que propõe uma relação do tipo clientelar entre a universidade e o valido de Filipe IV.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Referências:

ANDRADE, Francisco Eduardo de. A invenção das Minas Gerais: empresas, descobrimentos e entradas nos sertões do ouro da América portuguesa. Belo Horizonte: Autêntica Editora/Editora PUC Minas, 2008.

AQUINO, T. Summa Theologica. Tradução: Alexandre Correia. São Paulo, Indústria Siqueira, 1959.

CARDIM, Pedro. Amor e amizade na cultura política dos séculos XVI e XVII. Lusitânia Sacra, Lisboa, n. 11, p.21-57, 1999. Disponível em: https://revistas.ucp.pt/index.php/lusitaniasacra/article/view/7501/7309

DANTAS, Vinícius Orlando de Carvalho. O conde de Castelo Melhor: valimento e razões de Estado no Portugal seiscentista (1640-1667). 2009. 293 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de História, Departamento de História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009. Disponível em: http://www.historia.uff.br/stricto/teses/Dissert-2009_Vinicius_Orlando_de_Carvalho_Dantas-S.pdf

FEROS, Antonio. Clientelismo y poder monárquico en la España de los siglos XVI Y XVII. Relaciones, Zamora, v. 19, n. 73, p.16-49, 1998.

GUERÍN, Patricio. Fray Ángel Manrique, Obispo de Badajoz y su famoso Memorial. Miscelánea Comillas, Madrid, n. 40, 1963.

HANSEN, João Adolfo. Barroco, neobarroco e outras ruínas. Destiempos, México, v. 14, n. 3, p.169-215, 2008.

HESPANHA, António Manuel. A mobilidade social na sociedade de Antigo Regime. Tempo, Niterói, v.11, n.21, p.121-143, p. 121-143, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141377042006000200009&script=sci_abstract&tlng=pt

HESPANHA, António Manuel; XAVIER, Ângela Barreto. As redes clientelares. In: MATTOSO, José (org.). História de Portugal: o Antigo Regime. Lisboa: Estampa, 1992.

KANTOROWICZ, Ernst H. Os dois corpos do rei. Um estudo sobre teologia política medieval. São Paulo: Cia das Letras, 1998.

MANRIQUE, Angel. Exequias. Tumulo y pompa funeral, que la Universidad de Salamanca hizo en las honras del rey Felipe III. En cinco de Junio de mil y seyscientos y veynte y uno, Salamanca: en casa de Antonio Vasquez 1621, Biblioteca Nacional de Portugal.

MASSIMI, Marina. Palavras, almas e corpos no Brasil colonial. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

MISSIO, E. A dissimulação como virtude entre os jesuítas da contra-reforma. Memorandum, Belo Horizonte, v. 9, p. 121-131, 2005. Disponível em: https://www.fafich.ufmg.br/~memorandum/a09/missio01.pdf

NIETO SORIA, José Manuel. Fundamentos ideológicos del poder real en Castilla (siglos XIII-XVI). Madrid: Eudema, 1988.

PÉCORA, A. A história como colheita rústica de excelências. In: As excelências do governador: o panegírico fúnebre a d. Afonso Furtado, de Juan Lopes Sierra (Bahia, 1676). São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

PÉCORA, Alcir. Teatro do Sacramento, São Paulo: editora da unicamp", 2008.

RODRÍGUEZ SAN PEDRO BEZARES, Luis E. (Ed.): Historia de la Universidad de Salamanca. Volumen II: Estructuras y flujos, Salamanca, Ediciones Universidad de Salamanca (Acta Salmanticensia. Historia de la Universidad, 52), 2002.

RODRÍGUEZ-SAN PEDRO BEZARES, Luis E.; POLO RODRÍGUEZ, Juan Luis (eds), Universidades hispánicas: colegios y conventos universitarios en la Edad Moderna, Valencia, Valladolid, Oñate, Oviedo y Granada. Salamanca: Ediciones Universidad de Salamanca, 2008.

SANTOS, Clara Braz dos. O exercício moral de memória da morte nos escritos religiosos do Brasil colonial (séculos XVII e XVIII). 2016. 207 f. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Programa de Pós-Graduação em História, Franca, 2016. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/144299/santos_cb_me_fran.pdf?sequence=3&isAllowed=y

SOUZA, A. A. T. Los conceptos de simulación y disimulación en la representación de la locura en El cuerdo loco de Lope de Vega. Revista Entrecaminos, São Paulo, v. 1, p. 29-37, 2015. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/entrecaminos/article/view/79019/106572

VIDAL y DÍAZ, Alejandro. Memoria histórica de la Universidad de Salamanca. Salamanca: Imprenta de Oliva y Hermano, 1869.

Publicado
2022-05-20
Como Citar
CARVALHO, G. (2022). Olivares e a universidade de Salamanca: lógicas corporativas em uma dedicatória. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 19(1), 92-108. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v19i1.998