O NOVO MUNDO DE SEXTA-FEIRA

IRONIA E RE-CRIAÇÃO MESTIÇA NA LITERATURA LATINO-AMERICANA

  • Keila Carvalho Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF
  • Janaína Cordeiro Universidade Federal Fluminense – UFF
Palavras-chave: Literatura, América Latina, Resistência

Resumo

Tomando por base a análise da peça Adeus, Robinson, de Julio Cortázar, este artigo discute os elementos a partir dos quais a literatura latino-americana, especificamente, resignifica e traduz a experiência imperialista, de forma a subverter o papel destinado ao mundo colonizado pelo discurso do dominador. Nesse sentido, pelo próprio contexto de produção da peça em questão, dá-se especial ênfase para a conjuntura política dos anos 1970, mas simultaneamente, recupera-se o valor deste tipo de produção literária para o tempo presente uma vez que resgata o caráter de resistência cultural e política que a diferencia. Além disso, procura-se contestar o rótulo de “Literatura do Terceiro Mundo”, eventualmente atribuído a produção das ex-colônias, na medida em que tal classificação reserva a este discurso uma posição intransponível de subalternidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Keila Carvalho, Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF

Mestranda em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF.

Janaína Cordeiro, Universidade Federal Fluminense – UFF

Mestranda em História pela Universidade Federal Fluminense – UFF.

Referências

AHMAD, Aijaz. Linhagens do presente. Tradução de Sandra Guardini T. Vasconcelos. São Paulo: Boitempo, 2002.

BHABHA, Homi. O local da Cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Tradução de Heloísa Pezza Centrão e Ana Regina Lessa. 4. ed. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2003.

CORTÁZAR, Julio. Adeus, Robinson. In: CORTÁZAR, Julio. Adeus, Robinson e outras peças curtas. Tradução de Mário Pontes. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997.

PIZARRO, Ana. Áreas culturais na modernidade tardia. In: ABDALA JUNIOR, Benjamin. (Org.). Margens da cultura: mestiçagem, hibridismo & outras misturas. São Paulo: Boitempo, 2004.

PRATT, Mary Louise. Os olhos do império: relatos de viagem e transculturação. São Paulo: Edusc, 1999.

RETAMAR, Roberto Fernandez. Caliban. Apuentes sobre la cultura en nuestra América. México: Editorial Diógenes, 1974.

SAID, Edward W. Cultura e Imperialismo. Tradução de Denise Bottman. São Paulo: Cia. das Letras, 1995.

SANTIAGO, Silviano. O entre-lugar do discurso latino-americano. In: SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos: ensaios sobre dependência cultural. São Paulo: Perspectiva, 1978.

Publicado
2007-06-14
Como Citar
Carvalho, K. ., & Cordeiro, J. . (2007). O NOVO MUNDO DE SEXTA-FEIRA: IRONIA E RE-CRIAÇÃO MESTIÇA NA LITERATURA LATINO-AMERICANA. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 4(2), 1-17. Recuperado de https://www.revistafenix.pro.br/revistafenix/article/view/711