Brega, brega pop e tecnobrega

um estudo sobre performatividade de gênero na cultura musical paraense

Palavras-chave: História e musica, Musica Popular, Brega, Amazônia, Performatividade de gênero

Resumo

A cultura musical da Amazônia, em particular a do estado do Pará, é composta por uma variedade de ritmos, estilos e sonoridades. Essa pluralidade musical dialoga e se mescla a elementos da cultura cabocla e urbana, e é ressignificada como elemento de identidade pelas populações da periferia das cidades amazônicas. Um estilo musical que, no Pará, adquiriu um significado diferente daquele comum ao restante do Brasil é o brega. Este artigo analisa as transformações do brega paraense e os sentidos que adquiriu ao longo das décadas de 1980, 1990 e 2000. O objetivo é perceber, a partir do conceito de performatividade de gênero, como as pessoas que vivem e consomem as canções bregas criam modos de ser que subvertem as normas sociais que se fundamenta em na concepção de masculino e feminino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

“Beba doida” (Gaby Amarantos), Gaby Amarantos. CD Treme, Som Livre, 2012.

“Cheiro no teu cangote” (Alípio Martins), Alípio Martins. LP Alípio Martins, Chantecler, 1986.

“Meu coração é brega” (Veloso Dias) Fafá de Belém. CD Do tamanho certo para o meu sorriso. Jóia Moderna, 2015.

“Mulher” (Kim Marques), Kim Marques. CD A dança do brega, K Produções, 1998.

“Os passa vida” (Rambolde Campo e Osmar Júnior), Fafá de Belém. CD Do tamanho certo para o meu sorriso, Jóia Moderna, 2015.

“Pistoleiro do amor” (José Orlando), José Orlando. LP José Orlando, Visom, 1991.

AMARAL, Paulo Murilo Guerreiro do. Estigma e cosmopolitismo na constituição de uma música popular urbana de periferia: etnografia da produção do tecnobrega em Belém do Pará. 2009. Tese (Doutorado em Música) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

ARAÚJO, Paulo César de. Eu não sou cachorro, não: música popular cafona e ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2010.

AZEVEDO, Rafael José. Brega paraense: uma evolução na cena musical. Cuadernos de Etnomusicología. 2018. nº 12. Disponível em: http://www.sibetrans.com/etno/public/docs/12-rafael-azevedo.pdf. Acesso em 16 out. 2019.

BURKE, Peter. Hibridismo cultural. Trad. Leila Souza Mendes. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2006.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 10ª ed. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da Modernidade. 4ª ed. Trad. Ana Regina Lessa e Heloísa Pezza Cintrão. São Paulo: Edusp, 2013.

CATETE, Ricardo; PRESSLER, Neusa; BARBOSA, Denison. Ao som das poderosas: a memória do brega e a representação feminina nas relações de poder do tecnobrega paraense. V Encontro de Pesquisadores em Comunicação e Música: territórios e fronteiras da música midiática. Belém, PA, 2013. Disponível em: http://docplayer.com.br/66240011-Ao-som-das-poderosas-a-memoria-do-brega-e-a-representacao-feminina-nas-relacoes-de-poder-do-tecnobrega-paraense-1.html. Acesso em 15 out. 2019.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. 3ª ed. Trad. Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

COSTA, Tony Leão da. “Música de subúrbio”: cultura popular e música popular na hipermagem de Belém do Pará. Tese (Doutorado em História). Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013a.

COSTA, Tony Leão da. Carimbo e brega: indústria cultural e tradição na música popular do norte do Brasil. Revista Estudos Amazônicos, v. VI, nº 1 (2011), p. 149–177.

COSTA, Tony Leão da. Tecnobrega, territorialidades sonoras e a cultura popular da hipermargem. Revista Estudos Amazônicos, vol. X, n. 2 (2013b), pp. 01-45.

FONTELLA, Fernando Israel. A estética do brega: cultura de consumo e o corpo nas periferias do Recife. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico, as heterotopias. Trad. Salma Tannus Muchail. São Paulo: N1 Edições, 2013.

HOLANDA, Aurélio Buarque de. Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Curitiba, PR: Editora Positivo, 2015.

HUNT, Lynn. Apresentação: história, cultura e texto. In: HUNT, Lynn (Org.). A nova história cultural. 1ª ed. Trad. Jefferson Luís Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 16ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. A ilha encantada: medicina e xamanismo. Belém: Universidade Federal do Pará, 1990, 196.

NAPOLITANO, Marcos. A história depois do papel. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2006.

NAPOLITANO, Marcos. História e música popular: um mapa de leituras e questões. Revista de História 157 (2º semestre de 2007), p. 153–171.

ORLANDO, José. Entrevistado em O Programão. Rede Clube, mai. 2016. Disponível em: http://gshow.globo.com/Rede-Clube/Programao/noticia/2016/05/jose-orlando-relembra-sucessos-e-celebra-40-anos-de-brega-dancante.html. Acesso em 16 out. 2019.

PICANÇO, Miguel de Nazaré Brito; LOPES, José Rogério. Os outsiders do brega: corporeidade, estilo de vida e identidade bregueira em Belém, Pa. Urdimento, v. 2, nº 27, p. 136–153, dezembro 2016.

RANCIÈRE, Jacques. Os nomes da história: ensaios de poética do saber. 1ª ed. Trad. Mariana Echolar. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

SILVA, Expedito Leandro. Do bordel às aparelhagens: a música brega paraense e a cultura popular massiva. 2009. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

SILVA, Jerônimo da Silva e; PACHECO, Agenor Sarraf. Diásporas de encantados na Amazônia bragantina. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 21, nº 43, p. 129–156, jan./jun. 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-71832015000100006. Acesso em 10 out. 2019.

SILVA, José Maria da. Na periferia do sucesso: um estudo sobre as condições de produção e significação da cultura musical brega. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidade de Brasília, Brasília, 1992.

VASCONCELLOS NETO, Dilermando Gadelha de; LIMA, Regina Lúcia de. Barbarella amazônica, amazona paraense: imagens de Gaby Amarantos como suporte material do imaginário amazônico. Sessões do Imaginário. Porto Alegre, v. 19, n. 31, 2014, pp. 74-84.

Publicado
2022-06-01
Como Citar
SOUSA Cerqueira, R. (2022). Brega, brega pop e tecnobrega: um estudo sobre performatividade de gênero na cultura musical paraense. Fênix - Revista De História E Estudos Culturais, 19(1), 473-493. https://doi.org/10.35355/revistafenix.v19i1.924